Facebook cai no ranking de melhores lugares para se trabalhar, segundo pesquisa

Por Rafael Arbulu | 11 de Dezembro de 2019 às 14h20
Tudo sobre

Facebook

Saiba tudo sobre Facebook

Ver mais

A magia que as pessoas têm de “trabalhar no Facebook” está, aos poucos, perdendo a força. De acordo com o levantamento mais recente da Glassdoor, a rede social liderada por Mark Zuckerberg ficou na 23a posição no ranking das 100 companhias mais desejadas e melhores lugares para se trabalhar no próximo ano. Isso, depois de ficar em sétimo lugar em 2019 e liderar a listagem em 2018. A lista avalia o desejo de profissionais em ingressar em alguma empresa no ano seguinte.

Segundo o levantamento, o Facebook obteve nota média de 4,4 (de um máximo de 5), o que, segundo um porta-voz da Glassdoor disse ao Mashable, ainda é uma métrica digna de destaque, chamando o feito de “grande honra”. Em 2017, o Facebook ganhou destaque por uma série de benefícios de interesse dos funcionários, citando especificamente as estruturas médica e odontológica dentro de seu campus, até quatro meses de licença remunerada para pais, serviços de lavanderia e as hoje costumeiras geladeiras com comidas e aperitivos gratuitos.

Zuckerberg está "pistola": o CEO do Facebook está vendo a sua empresa — e a percepção dos outros sobre ele mesmo — caírem na preferência dos profissionais. O Facebook está perdendo a aura de "emprego desejável" devido aos inúmeros escândalos de privacidade dos usuários

Entretanto, nos últimos dois anos, os escândalos vividos pela empresa no que tange à privacidade dos seus usuários parece ter minado o seu desempenho na preferência dos profissionais em busca de emprego. Segundo uma reportagem da CNBC, os recrutadores do Facebook têm passado por dificuldades em atrair talentos após a situação da Cambridge Analytica. Ademais, o perfil de Mark Zuckerberg como bom empregador também levou um tombo feio: da 16a posição em 2018, o CEO do Facebook ficou em 55o lugar em 2019.

Pelo levantamento do Glassdoor, que leva em conta testemunhos anônimos de funcionários, mas determina o ranking com base em um algoritmo proprietário, o próximo ano não parece ser muito atraente para novos talentos no setor tecnológico: além do Facebook, o Google também caiu algumas posições (de 8o para 11o), assim como a Apple (de 71o para 84o).

Encabeçando o ranking, temos a empresa de desenvolvimento e fornecimento de softwares corporativos HubSpot no primeiro lugar, enquanto a companhia de certificações digitais DocuSign pegou a terceira posição. A consultoria Bain & Company ficou em segundo, a rede de fast food In-N-Out Burger chegou à quarta colocação, com a companhia aérea Southwest Airlines marcando o décimo lugar.

Fonte: Mashable; CNBC

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.