Campus Party | Como a Turma da Mônica se reinventou em tempos de pandemia

Por Beatriz Vaccari | 11 de Julho de 2020 às 17h30
reprodução

A discussão do ano é como será o mundo na economia e nos negócios após a pandemia causada pelo novo coronavírus. Organizadores de diversos eventos tiveram que se reinventar e pensar em adaptações para não adiarem ou cancelarem as atividades que já estavam programadas. A própria Campus Party passou por isso, transformando a feira presencial em digital em apenas três dias.

O segundo dia de evento aconteceu nesta sexta-feira (10) e contou com diversas transmissões online e gratuitas que abordaram essa discussão. No palco New Horizons, Ciranda Morais, fundadora da She's Tech, movimento que Visa fortalecer a presença feminina no setor da tecnologia, recebeu Mônica Sousa, diretora executiva da Mauricio de Sousa Produções para debater como a Turma da Mônica se adaptou ao período de isolamento social.

“A gente nunca trabalhou tanto como agora”, comentou a empresária quando questionada sobre a equipe da Mauricio de Sousa Produções estar cumprindo home office. De acordo com ela, parte da companhia cujo trabalho é presencial está em casa há mais de 100 dias. "A maioria dos roteiristas e artistas já trabalhava em casa, nós temos profissionais pelo Brasil inteiro e isso foi muito positivo", contou.

Quanto às mudanças de conteúdo, Mônica Sousa revela que o primeiro passo para conscientizar as crianças que são fãs da turma do Bairro do Limoeiro foi mostrar Cascão, o personagem cuja característica mais marcante é o medo de água, lavando as mãos. "Isso foi ideia do meu pai", revelou. "É importante mostrar para quem gosta dele e se identifica com ele como é importante cuidar da higiene agora."

Além disso, a Mauricio de Sousa produções lançou cartilhas ilustradas com os personagens em parceria com a USP e a Unicef com orientações de higiene, informações sobre a COVID-19 e também dicas de limpeza para alimentos e produtos recebidos em casa.

Cartilha feita pela Mauricio de Sousa Produções em parceria com a USP (Foto: Reprodução/MSP)

Mônica Sousa também comentou que a empresa liberou conteúdos gratuitos e digitais durante 30 dias em seu aplicativo oficial, além de lançar passatempos virtuais toda sexta-feira nas redes sociais e maratona de filmes da turminha.

Ao ser questionada sobre a abordagem do novo coronavírus e da COVID-19 em futuras histórias no Bairro do Limoeiro, a filha de Mauricio de Sousa responde que as revistas infantis não serão focadas nesse assunto. "Quem lê nossas histórias acaba viajando para um lugar tranquilo, e é isso que queremos. Estar no mundo da fantasia, dar o momento de entretenimento e viajar para um lugar onde o leitor gostaria de estar", responde.

"É lógico que a gente vai conversar sobre o que estamos vivendo", continuou. "Todo artista se sensibiliza com o que está acontecendo, então uma história ou outra vai falar disso, mas sempre de uma forma otimista."

Ela também comenta sobre o Mônica Toy, projeto de curtas animadas publicadas exclusivamente no YouTube que hoje já atingem mais de 6 milhões de pessoas e tem como público alvo crianças um pouco mais velhas das que lêem as revistas em quadrinhos. "Essa Mônica está um pouco mais antenada no meio digital, ela fala com o Cebolinha no celular, mas continua incentivando a vontade de ficar com os amigos e os familiares e não se comunicar apenas virtualmente."

"Isso vai ser a consequência mais positiva de tudo o que estamos passando", finaliza referindo-se à vontade das pessoas de ficarem juntas e a saudade de se reunirem com os amigos e família.

A Campus Party acontece até este sábado (11) totalmente online com palestrantes de todo o mundo. Para acompanhar os painéis e encontrar mais informações, acesse o site oficial.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.