Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Leica M11 pode perder característica marcante de câmeras anteriores

Por| Editado por Wallace Moté | 08 de Dezembro de 2021 às 07h44

Link copiado!

Divulgação/Leica
Divulgação/Leica

A Leica, uma das fabricantes mais tradicionais de câmeras do mundo, deverá apresentar em breve a M11. As primeiras fotos divulgadas do produto mostram que ele poderá perder uma de suas características mais tradicionais: a presença de uma placa removível na parte inferior, para proteção dos compartimentos como entrada de cartão SD e bateria.

Com isso, a marca substituiria a peça por uma aba mais compacta e tradicional, assim como é vista em câmeras de outras marcas e até mesmo em modelos da própria Leica, como o Q2. A troca pode parecer uma questão trivial e simples, mas ela ganha um tom de complexidade quando se considera o histórico da marca.

Continua após a publicidade

Quando a câmera Leica M3 foi apresentada em 1954, o modelo se diferenciava por apresentar essa abertura na parte inferior, por onde era possível colocar o filme onde as imagens eram gravadas — com isso, a marca apresentava uma inovação em relação às suas concorrentes, em que os filmes eram instalados pela parte traseira do corpo da câmera, em um processo menos prático. Mesmo que a Leica tenha deixado de vender câmeras analógicas desde o modelo M8 de 2006, a peça sempre foi mantida por motivos puramente simbólicos, já que a companhia pretende manter sua história presente mesmo nos produtos mais novos.

Leica M11 terá mais mudanças de construção

Além da mudança na tampa inferior, outra diferença do novo modelo poderá ser o posicionamento do botão de foco, que seria localizado na parte superior da câmera. Porém, as maiores novidades deverão ficar na parte interna, já que a Leica implementará um novo sensor full-frame de 60 MP, em vez do componente de 40 MP presente na câmera M10-R, sua antecessora — na M11, ainda será possível capturar imagens em 50 MP, 36 MP ou 15 MP no formato RAW.

Outras especificações rumoradas para a nova câmeras incluem suporte para tethering (que permite a visualização das mesmas imagens do display integrado em telas maiores), Wi-Fi dual-band (2,4 GHz e 5 GHz) e Bluetooth para transferência de arquivos, porta USB-C, bateria atualizada com maior autonomia, um novo carregador e novo visor OLED que poderá ser compatível com a atual linha M10.

Ainda não existem informações concretas sobre a apresentação da Leica M11, mas portais especializados indicam que o lançamento deve acontecer em breve — uma curiosidade é que o nome "M11" já é patenteado pela marca desde o ano de 2012, mas não foi utilizado desde então. O preço sugerido da nova câmera deverá ser ainda superior aos 6.495 dólares (cerca de R$ 36.651 em conversão direta) cobrados pela M10 na época em que ela começou a ser vendida.

Fonte: LeicaRumours.com