Usuário de iPhone processa Apple na Rússia por "transformá-lo em gay"

Por Nathan Vieira | 03 de Outubro de 2019 às 07h15
9to5mac
Tudo sobre

Saiba tudo sobre iPhone

Ficha técnica

A tecnologia realmente tem sido uma grande influência para as nossas atitudes do cotidiano, mas um rapaz da Rússia decidiu levar isso a outro nível e acusou a Apple por "transformá-lo em gay". E ainda resolveu levar essa história para o tribunal e quer 1 milhão de rublos - o equivalente a US$ 15 mil ou R$ 62,4 mil - da fabricante do iPhone. A informação foi veiculada primeiramente por uma rádio de Moscow, chamada Govorit Moskva.

O russo, dentificado como D. Razumilov, alega que passou a se envolver em relacionamentos com outros homens neste ano, depois de receber 69 GayCoins em um aplicativo de criptomoeda que ele baixou em seu iPhone em 2017. O remetente desses GayCoins, que era um completo desconhecido, teria também incluído uma mensagem em vários idiomas, que Razumilov interpretou como "não julgue sem tentar". E foi aí que ele tentou, de acordo com seu próprio depoimento à rádio.

Russo processa Apple por levá-lo à homossexualidade

“Pensei: de fato, como posso julgar algo sem tentar? E decidi tentar relacionamentos com pessoas do mesmo sexo que eu”, escreveu Razumilov em uma denúncia publicada pela rádio Govorit Moskva nesta quarta-feira (2). "Depois de dois meses, posso dizer que estou me relacionando com alguém do mesmo sexo e não posso sair", continua a queixa dele. “Eu tenho um namorado fixo e não sei como explicar isso para meus pais. Depois de receber a mensagem acima mencionada, minha vida mudou para pior e nunca mais será normal”, completa. Razumilov acusou a Apple de "o manipular em direção à homossexualidade", algo que lhe causou "sofrimento moral e danos à saúde mental".

As pessoas LGBTQI na Federação Russa enfrentam desafios legais e sociais não experimentados por heterossexuais. As leis afirmam que a atividade sexual consentida e em privado entre adultos do mesmo sexo foi despenalizada em 1993, com uma idade de consentimento de 16 anos. No entanto, existem leis de "propaganda" que podem punir a classe com multas ou prisões. O Tribunal Distrital de Presnensky, em Moscou, registrou a ação de Razumilov na semana passada, de acordo com o banco de dados do tribunal e agendou uma entrevista para o próximo dia 17. Então é preciso esperar para ver no que isso vai dar.

Fonte: The Moscow Times

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.