Os robôs sexuais masculinos com pênis funcionais e IA estão chegando

Por Redação | 15 de Janeiro de 2018 às 15h58

Já existem bonecas sexuais que assustadoramente se parecem com mulheres de verdade, e as robôs sexuais já estão disponíveis no mercado. Ainda que não substituam de verdade o contato corpo-a-corpo entre duas pessoas de verdade, robôs sexuais são uma tendência, e muita gente já deseja um robô que está ali somente para o servir sexualmente. Agora, robôs masculinos com pênis funcionais e equipados com inteligência artificial podem chegar ao mercado ainda em 2018, agradando, também, às mulheres hetero e bissexuais, além de homens bi ou homossexuais.

A empresa por trás disso se chama Realbotix, que lançou, no ano passado, a Harmony, a primeira robô sexuai capaz de interagir com o usuário com essa finalidade. Sua versão masculina, ainda sem nome, contará com as mesmas especificações de software da Harmony, com a adição de um pênis biônico.

(Reprodução: Realbotix)

Matt McMullen, CEO da companhia, já trabalha desenvolvendo bonecos sexuais há vinte anos, com sua outra empresa chamada RealDoll. No momento, ele vende manequins sexuais personalizáveis com características diferentes uns dos outros.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

A Harmony, por exemplo, consegue exibir várias expressões faciais durante o ato, além de piscar os olhos, mover a cabeça e mexer a boca de acordo com os sons emitidos. O mesmo acontecerá com o robô masculino, mas ainda não ficou claro se a IA será empregada para influenciar o seu comportamento, ou se será responsável por guiar os movimentos do pênis robótico.

De um lado, muita gente acharia o máximo ter um robô sexual em casa para satisfazer suas necessidades, em especial pessoas traumatizadas por relações anteriores, ou, até mesmo, por agressões. Mas, do outro, a comunidade científica critica a novidade, considerando implicações éticas e morais de se ter relações sexuais com máquinas, deixando o envolvimento humano de lado.

Fonte: Daily Star

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.