Organização vende suposto DNA de Donald Trump e outros líderes globais

Por Nathan Vieira | 16 de Fevereiro de 2020 às 18h10
Travel Mate
Tudo sobre

Donald Trump

Saiba tudo sobre Donald Trump

Nesta sexta-feira (14), uma organização chamada Earnest Project passou a oferecer a chance de possuir amostras de DNA de alguns líderes mundiais e outras celebridades. O grupo alega que coletou clandestinamente itens descartados pelos participantes do Fórum Econômico Mundial de 2018 em Davos, Suíça, que podem conter seu DNA.

Dentre os participantes dessa conferência, estão o presidente dos Estados Unidos Donald Trump, o presidente francês Emmanuel Macron, a chanceler alemã Angela Merkel e o cantor Elton John.

O grupo colecionou esses itens, que envolvem desde guardanapos a copinhos de café, jarras de vidro e até bitucas de cigarro, em um catálogo on-line chamado "Coleção Davos". Cada item desse bizarro acervo tem um valor estimado em dólar: um fio de cabelo humano está listado entre US$ 1.200 (o equivalente a R$ 4.800, aproximadamente) e US$ 3.000 (R$ 12.000, mais ou menos). Um garfo utilizado no café da manhã usado tem um valor estimado de até US$ 36.500 (R$ 146.000).

Organização vende suposto DNA de Donald Trump e outros líderes globais

E você acha que o mais caro é o garfo? Pois, muito que não: um copo de vinho é avaliado em nada menos que US$ 65.000 (cerca de R$ 260.000). A Earnest Project está planejando leiloar os itens para aumentar a conscientização sobre o "capitalismo de vigilância", a prática de monetizar dados pessoais das pessoas. Eles temem que nossos dados genéticos acabem nas mãos de empresas de tecnologia como o Facebook e o Google, que já coletam muitos dados pessoais.

"Ao coletar e vender dados vitais e sensíveis coletados das pessoas mais poderosas do planeta, esperamos incentivar uma reação visceral contra o capitalismo de vigilância entre a elite. Estamos todos constantemente depositando nosso DNA ao nosso redor e em itens descartados. Quando você começa a prestar atenção, é realmente muito fácil coletar o DNA de um alvo", argumenta a organização, durante entrevista a um veículo chamado One Zero.

Fonte: One Zero via Slashdot

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.