Golpe do vômito no Uber cobra taxas de limpeza de usuários e gera transtornos

Por Ares Saturno | 23 de Julho de 2018 às 16h27
TUDO SOBRE

Uber

Serviços de transporte urbano, como a Uber, vez ou outra lidam com... bem, vômitos. Seja alguém que está passando mal e solicita um carro para ir até o hospital, seja um manguaceiro consciente que recorre ao serviço para não combinar álcool e volante, o fato é que os motoristas do app Uber não ficam desamparados nesse sentido, uma vez que há taxas de limpeza que podem ser cobradas dos usuários quando alguma bagunça suja ou danifica os carros, inclusive internamente. Essas tarifas são cobradas diretamente no cartão de crédito cadastrado no app, bastando que o motorista avise a plataforma do ocorrido.

O problema surge quando usuários que não fizeram nenhum tipo de sujeira são cobrados, e é exatamente esse o caso de muitos clientes estadunidenses da Uber. O chamado "golpe do vômito" está onerando os bolsos dos usuários, dando muita dor de cabeça para pedir o reembolso das taxas erroneamente cobradas.

Foi o que aconteceu com uma jornalista dos EUA, que pediu um carro que nunca chegou, então cancelou a viagem e pediu outro motorista, que a levou ao seu destino sem problemas. Entretanto, ela foi surpreendida com uma cobrança de US$ 172 em sua conta na Uber pelo primeiro motorista, sendo US$ 16 de multa, US$ 6 de taxa de cancelamento da corrida e mais US$ 150 por ter vomitado no carro que nem mesmo chegou a ver. Após quatro e-mails para a equipe da Uber pedindo reavaliação do caso e o reembolso das taxas pagas, ela conseguiu receber o crédito de volta. A equipe de atendimento da Uber ainda disse que o reembolso era justo por ter sido uma experiência desagradável com a companhia, uma vez que "o motorista começou a viagem sem que a passageira estivesse no carro".

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

O Miami Herald também conversou com usuários dos serviços que alegavam ter sido vítimas do Golpe do Vômito. William Kennedy informou ter sido multado por dois motoristas diferentes na mesma noite, sem ter vomitado em nenhuma das ocasiões. Ele só conseguiu o reembolso após inúmeros e-mails. A Uber tende a apoiar as alegações dos motoristas, dificultando o processo de contestação das taxas.

Não é de hoje que esse golpe rola solto: em janeiro, uma cidadã de Melbourne, na Austrália, chamou atenção da imprensa após ser multada em US$ 150 após o motorista referir que ela havia feito uma "enorme bagunça de fluidos corporais nível 4". Em 2016, foi afastado dos serviços da Uber um motorista de Tampa, na Flórida, após praticar o golpe tantas vezes a ponto de chamar a atenção da equipe por apresentar relatos muito semelhantes e abundantes. Um motorista da empresa disse ao Miami Herald que não é incomum, no exercício da profissão, aplicar taxas ilegítimas e gerar um razoável lucro, uma vez que a maior parte das pessoas sequer verifica o que vem em suas faturas de cartão de crédito.

Nos EUA, as políticas de uso do app incluem cobranças de US$ 80 a US$ 150 em caso de bagunças e danos no interior dos veículos. Já no Brasil, não há multas ou taxas pré-estabelecidas, mas há a seguinte informação no site oficial da Uber: "As taxas de limpeza são avaliadas e cobradas de acordo com a extensão do dano. Se forem cobradas de um usuário, essas taxas são pagas integralmente ao motorista.

Se você receber a cobrança de uma taxa de limpeza, receberá também um recibo da viagem atualizado."

Através dessa página também é possível entrar com uma reclamação junto à equipe da empresa pedindo avaliação de taxas injustas ou incorretas, caso você seja a próxima vítima do golpe. Entretanto, fica o aviso para que as descrições das despesas com aplicativos de transporte sejam sempre monitoradas antes de pagar suas faturas de cartão de crédito.

Fonte: Gizmodo, Miami Herald

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.