Ex-gerente da Microsoft planeja lançar a 'Starbucks da maconha' nos EUA

Por Redação | 04.06.2013 às 15:15
photo_camera Slate

James Shively, que atuou como gerente de estratégias industriais na Microsoft entre 2003 e 2009, acaba de anunciar que irá criar um novo negócio que não está nada relacionado com informática. O ex-gerente da gigante do software pretende criar uma espécie de 'Starbucks da maconha', ou seja, uma rede de comércio legal da erva nos Estados Unidos. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

"Esse negócio vai criar mais milionários do que criou a Microsoft", afirma Shively. Na última semana, o empreendedor se reuniu com investidores para apresentar seu novo projeto e tentar arrecadar cerca de US$ 100 milhões (R$ 211 milhões) com a venda de ações da companhia, dinheiro que será empregado na compra de terras e na produção da erva nos estados onde seu consumo é legalizado, tanto para fins médicos como recreativos. Dezoito estados norte-americanos aprovaram o consumo da maconha para fins medicinais, e em Colorado e Washington, o consumo recreativo é liberado.

A startup de Shively pretende cultivar a erva no estado do Colorado e montar uma grande rede de distribuição que poderá atingir até 100 lojas. E o mercado internacional parece ser o próximo passo para James Shively, que contou com a participação do ex-presidente mexicano, Vicente Fox, em sua coletiva de imprensa para o lançamento do projeto.

Segundo o relatório da Organização das Nações Unidas (ONU), em 2005 o mercado mundial da maconha movimentava cerca de US$ 142 bilhões (R$ 300 bilhões), indicando que o negócio de Shively tem um grande potencial de lucro. No entanto, o empresário deverá enfrentar alguns impasses jurídicos para implantar seu negócio, já que no país 32 estados mantêm a erva e seu consumo como atividade ilegal.