BGS 2019 | Magic The Gathering mira crescimento nos eSports e consolida "Arena"

Por Felipe Ribeiro | 22 de Outubro de 2019 às 11h55
Wizards of the Coast

Com pouco mais de 26 anos no Brasil, Magic The Gathering é uma das maiores "nerdices" que temos disponíveis em território nacional. Com uma comunidade das mais engajadas, o card game é capaz de reunir fãs e jogadores de diversas faixas etárias e que, certamente, estão sempre ansiosos para as novidades que a Wizards of the Coast, criadora do jogo, apresenta ao mercado

De um ano para cá, com a criação do Magic The Gathering Arena, a versão digital e online do card game, muito mais pessoas passaram a acompanhar o cenário do jogo e se interessaram em jogá-lo, propriamente. Mas, a estratégia da Wizards of the Coast acabou indo um pouco além do aumento do público em si; o foco também acabou se voltando para a entrada do jogo no cenário competitivo.

"O Magic The Gathering Arena foi criado, inicialmente para ser a melhor maneira de se assistir ao Magic, com o pensamento nos streamers. Mas, desde o Game Awards, quando anunciamos que nossos campeonatos teriam premiações somadas de US$ 10 milhões, o interesse aumentou", revela Carolina Moraes, coordenadora de comunidade do Magic The Gathering no Brasil, em entrevista ao Canaltech durante a Brasil Game Show 2019. "Desde então, anunciamos a Magic Pro League, que reúne os 32 melhores jogadores do mundo, e, no ano que vem, teremos a Rivals League, que será uma espécie de ponte entre os jogadores amadores e a Pro League", complementa Carolina.

Transição?

Transição não é bem a palavra quando falamos da versão digital do Magic The Gathering, pois o jogo físico continua a todo o vapor. No entanto, a criação do MTG Arena não acabou apenas por criar novas oportunidades de mercado para a Wizards of the Coast, mas também "ressuscitou" jogadores que há muito tempo haviam abandonado o título, além, é claro, de trazer novas pessoas para a base da comunidade.

Para o bicampeão mundial de Magic e membro da Pro League, Carlos "Jabba" Romão, a criação do MTG Arena conseguiu deixar um jogo que era, sim, complicado, mais acessível, com uma compilação dos turnos mais homogênea e atrativa. "Hoje em dia é primordial que os jogos sejam mais rápidos e dinâmicos e o MTG Arena conseguiu fazer isso com o Magic, o que, certamente, o tornou atrativo não apenas para jogar, mas também para assistir. O Arena descomplicou o Magic", comentou Jabba em entrevista ao Canaltech na maior feira de games da América Latina.

MTG Arena é, de fato, mais descomplicado de ser jogado

Sobre os eSports, Jabba ainda considera que o Magic está engatinhando, porém com o caminho todo pavimentado para o crescimento. "O ano de 2019 foi o ano de consolidação do jogo, com o lançamento oficial e o anúncio do calendário. Mas o ano de 2020 será muito melhor, pois [a Wizards of the Coast] eles aprenderam com as experiências desta temporada e levarão as melhorias necessárias para a próxima", avalia Jabba.

Falando mais especificamente do Brasil, que é o terceiro maior mercado de MTG Arena no mundo, o profissional avalia que existem movimentos interessantes no sentido de criação de campeonatos e também na descoberta de novos talentos, uma vez que, mesmo diante das dificuldades, o Brasil é uma das referências no Magic competitivo. "Em breve veremos mais times focados em card games eletrônicos e, com o MTG Arena, que é mais acessível e mais fácil de ser (e assistir) jogado, veremos muitos novos jogadores, inclusive no profissional, além de uma leva nova de streamers focados nisso, além, é claro, do aumento do público", prevê Jabba.

Pelo lado da Wizards of the Coast, Carolina Moraes revela que muitas ações estão sendo pensadas para o público brasileiro. "Além de trazer o game digital 100% em português, criamos a Magic Open House, que são eventos feitos trimestralmente em lojas pelo país e que ajudam novos jogadores a entrarem no mundo de Magic, ganhando seu primeiro deck e tendo o auxílio de tutores", explica.

Para quem quiser se arriscar e competir, a Wizards of The Coast deixou a plataforma do MTG Arena bem amistosa, não separando os servidores e os preparando de modo que o jogador possa enfrentar adversários do mesmo nível, que podem ir do Bronze até o Mítico.

Novidades em breve

Por ocasião da BGS 2019, a Wizards of The Coast revelou duas grandes novidades envolvendo o MTG Arena. Uma delas, é que, em breve, teremos o game disponível para usuários do macOS e, por último, mas não menos importante, uma série da Netflix inspirada no jogo será lançada no segundo semestre de 2019.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.