WhatsApp avisará usuários caso uma conversa não esteja criptografada

Por Ramon de Souza | 22 de Outubro de 2020 às 21h40
Pixabay
Tudo sobre

WhatsApp

Saiba tudo sobre WhatsApp

Ver mais

*Atualizado com a resposta do WhatsApp no final da matéria.

Nesta quinta-feira (22), o WhatsApp anunciou uma série de novidades para a sua plataforma Business, voltada para uso comercial e corporativo. Porém, dentre tantos recursos inéditos, um deles acabou passando despercebido e não foi citado nem mesmo no comunicado oficial do próprio aplicativo: em breve, ele passará a avisar caso você esteja em uma mensagem que não seja protegida com criptografia de ponta-a-ponta.

Quem deu a informação foi Matt Idema, diretor de operações do WhatsApp, durante uma entrevista citada pela Reuters. Segundo o executivo, ao conversar com uma empresa que esteja usando os novos serviços de hospedagem (e que, desta forma, possivelmente armazene os históricos de chats em outro lugar fora dos servidores do app), o usuário final do Business será notificado que a proteção criptográfica pode não estar disponível.

Hoje, por padrão, toda e qualquer mensagem trocada entre usuários do WhatsApp é protegida por criptografia. Porém, já existem diversas ferramentas profissionais que intermediam o processo de gerenciar um perfil corporativo do WhatsApp Business — as empresas que adotam esse tipo de solução podem acabar sacrificando a infraestrutura de proteção do mensageiro ao colocar mais um ponto no meio da comunicação.

Com os novos recursos de hospedagem, é provável que isso se torne mais comum — daí a vantagem de ter uma notificação sobre o nível de segurança da conversa. O Canaltech entrou em contato com o WhatsApp para confirmar como esses novos alertas funcionarão. Segue abaixo as respostas.

WhatsApp explica como vai funcionar a novidade

A companhia diz que "A nova notificação será implementada somente para mensagens enviadas para empresas utilizando a API de negócios do WhatsApp e um provedor de soluções para negócios que armazene e gerencie essas mensagens em nome da empresa".

Imagem: Divulgação/Facebook

De acordo com o WhatsApp, todas as mensagens trocadas dentro do mensageiro — sejam de texto, voz, ou ligações de voz e vídeo — continuarão contando com o mesmo protocolo de criptografia que protege o conteúdo antes que seja enviado e até que seja recebido. Tudo isso acontece automaticamente, e não há necessidade de habilitar nenhuma configuração especial para proteger as conversas. "Porém, enviar uma mensagem para uma empresa é diferente de enviar uma mensagem para um contato próximo, então o WhatsApp deixará essa diferença mais clara".

Conversas com empresas que usam o WhatsApp Messenger, o aplicativo de negócios do WhatsApp ou que implementaram a API de negócios do WhatsApp em uma solução local dentro de sua própria infraestrutura são protegidas por criptografia de ponta a ponta.

Se uma empresa decide utilizar um provedor de soluções para negócios externo para operar a API de negócios do WhatsApp em seu nome, o WhatsApp não considera que essas mensagens sejam criptografadas de ponta a ponta, pois a empresa escolheu dar acesso à um terceiro para essas mensagens.

Este também é o caso se o provedor de soluções escolhido for o Facebook. É importante ressaltar que não é possível desabilitar a criptografia e os usuários continuarão verificando suas chaves de segurança para conversas com criptografia de ponta a ponta.

Atualmente, as grandes empresas têm duas opções para usar a API de negócios do WhatsApp: uma solução local dentro de sua própria infraestrutura ou contar com um provedor de soluções corporativas que armazene e gerencie as mensagens.

Para aumentar a transparência com os usuários, o WhatsApp decidiu não utilizar mais a notificação sobre criptografia de ponta a ponta quando existe um provedor de soluções para negócios, contratado pela empresa, intermediando as mensagens dos consumidores com essa empresa. "A notificação informará claramente o provedor de soluções contratado pela empresa para gerenciar as conversas no WhatsApp", finaliza a companhia. Para dar mais detalhes, o Facebook disponibilizou uma página especial para isso.

Fonte: Reuters

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.