Tinder vai compartilhar dados de usuários com autoridades russas

Por Thaís Augusto | 03 de Junho de 2019 às 16h52
Tudo sobre

Tinder

Saiba tudo sobre Tinder

Ver mais

E se as autoridades pudessem ler as mensagens privadas que você manda pelo Tinder? É o que acontecerá na Rússia, onde a plataforma está sendo obrigada a fornecer às autoridades os dados de usuários quando solicitada. As informações são do jornal Moscow Times.

A invasão de privacidade começou na sexta-feira (31), quando o aplicativo de namoro foi adicionado à lista de serviços que têm de cumprir as solicitações das autoridades russas. Os dados que poderão ser coletados e compartilhados incluem informações pessoais e todas as comunicações, incluindo áudios e vídeos.

O Tinder é o quarto aplicativo de namoro do país a ser forçado a cumprir o pedido do governo russo e também está entre os 175 serviços que consentiram compartilhar informações com o Serviço Federal de Segurança do país. De acordo com a política de privacidade do Tinder, são coletados detalhes básicos de perfil, como data de nascimento e sexo, bem como o conteúdo que você publica e seus bate-papos com outros usuários, entre outras informações. Isso significa que o governo russo poderá conseguir detalhes sobre onde você esteve ou para onde vai.

Tinder compartilhará dados de usuários com autoridades russas

Não está claro se a solicitação de dados pelo governo russo será limitado aos usuários do Tinder na Rússia ou a qualquer usuário do mundo. Procurado pelo Canaltech, o Tinder ainda não se manifestou.

Serviços vigiados

O governo russo não está apenas atacando o Tinder. Uma ampla gama de serviços está compartilhando dados de usuários com as autoridades, incluindo Snapchat, Wechat, Vimeo e Badoo, outro aplicativo de namoro popular na Rússia.

No ano passado, o Telegram se opôs ao pedido das autoridades por suas chaves de criptografia, o que resultou no banimento do aplicativo de mensagens pelo governo. Com isso, os provedores de serviços de internet russos acabaram interrompendo uma série de serviços online.

O incidente com o Telegram ilustra o que acontece se uma empresa não cumprir as solicitações de dados da Rússia. Reguladores no país têm um enorme arsenal de ferramentas disponíveis para penalizar serviços que deixam de compartilhar informações do usuário: desde forçá-los a pagar uma multa até bloquear o serviço completamente.

Fonte: Gizmodo

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.