Tinder pode criar moeda virtual para facilitar a busca pelo match ideal

Tinder pode criar moeda virtual para facilitar a busca pelo match ideal

Por Alveni Lisboa | Editado por Douglas Ciriaco | 06 de Outubro de 2021 às 18h27
(Imagem: Reprodução/ Mika Baumeister/Unsplash)

O Tinder pode apresentar em breve uma moeda virtual para ofertar novos recursos inéditos e incentivar usuários a passar mais tempo na plataforma. A ideia é que as pessoas acumulem esses recursos para fazer compras de melhorias para o perfil e até para troca de dinheiro real, ao estilo do que ocorre no TikTok e no Kwai atualmente.

Essas moedinhas serão acumuladas pelo tempo que permanecerem ativos no site, mas não está claro se haverão tarefas diárias ou requisitos extras para acumular os recursos. O que se sabe é que elas poderão ser compradas com dinheiro de verdade para uso na para aquisição de jogos e vantagens como Super Likes ou Boosts — uma alternativa para quem quer dar um único destaque no perfil, mas sem o vínculo de assinante.

Após trazer novos recursos para a paquera, agora o Tinder quer prender as pessoas por mais tempo no aplicativo (Imagem: Divulgação/Tinder)

O Tinder é um aplicativo freemium, ou seja, no qual as pessoas podem usá-lo sem pagar ou aderir a um sistema de assinaturas que dão recursos exclusivos, como filtros, omissão de anúncios, impulsionamento de perfil (ele aparece para as pessoas com mais frequência) e a capacidade de identificar quem demonstrou interesse no seu perfil.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Um modelo alternativo

Essa novo sistema de remuneração será algo independente ao modelo de assinaturas, mas pode ajudar a elevar a quantidade de arrecadação na plataforma, pelo menos essa é a perspectiva da Match, empresa dona do Tinder. Conforme a empresa, os pequenos testes de mercado realizados recentemente revelaram que as pessoas estão mais dispostas a investir recursos nos apps de relacionamento, provavelmente em razão da solidão do distanciamento social e da fragilidade causada pela pandemia.

As moedinhas podem ajudar a tornar as assinaturas mais populares (Imagem: Captura de tela/Canaltech)

As moedas digitais podem ter um papel fundamental nisso porque incentivariam as pessoas a passar mais tempo conectadas e expostas aos recursos do aplicativo, bem como experimentar recursos não testados antes, como os Super Likes. Os benefícios seriam duplos: ganhar dinheiro enquanto paquera e ainda ter a chance de conhecer sua alma gêmea.

Por enquanto, a moeda será lançada em caráter experimental apenas na Austrália, local onde há a maior base global de usuários do app, até o final de outubro. Não há previsão de chegada a outras localidades, mas o Brasil provavelmente entraria nessa rota, caso haja uma expansão futura.

Fonte: Bloomberg  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.