TikTok pode banir quem promover criptomoedas ou outras formas de ganhar dinheiro

Por Alveni Lisboa | Editado por Douglas Ciriaco | 19 de Julho de 2021 às 12h31
david mcbee/pexels

O aplicativo de vídeos curtos TikTok atualizou sua política de conteúdo pago para proibir serviços e produtos financeiros com foco na promoção de criptomoedas, negociação de ações e esquemas buy-now-pay-later (uma espécie de serviço de crediário). A mudança seria necessária para impedir o uso indevido da rede social para a realização de fraudes, golpes ou comportamento desonestos contra a comunidade.

A novidade chega pouco tempo após as autoridades chinesas terem reforçado o cerco contra os mineradores de criptomoedas. A atividade é acusada de elevar o consumo de energia no mundo — deixando uma cidade inteira sem luz — e elevar os custos envolvidos no setor elétrico. Em um país superpopuloso como a China, problemas energéticos podem ter um impacto severo na economia e na vida da população.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Conteúdos sobre criptomoedas podem estar ameaçados no TikTok (Imagem: Art Rachen/Unsplash)

Em sua política atualizada, o TikTok marca a produção de moedas virtuais como “indústrias globalmente proibidas” bem como tudo o que promove empréstimos e cartões de crédito, buy-now-pay-later, plataformas de negociação, tokens virtuais, câmbio de moeda estrangeira e negociação forex. Nenhum desses tipos de atividade são consideradas ilegais na maioria dos países, mas podem ser usados de forma negativa por criminosos.

Com o anúncio do TikTok, várias empresas que lidam com esse mercado podem ser impactadas, em especial porque muitas fazem parcerias com criadores de conteúdo para promover suas atividades. Às vezes, os conselhos dados por essas pessoas nem sempre são corretos ou então induzem a investimentos demasiadamente arriscados, o que faz com que muita gente perca dinheiro por desconhecimento do mercado.

Aqui no Brasil, a política do TikTok segue aparentemente a mesma, sem menção direta a criptomedas ou outros serviços similares. A restrição é apenas quanto a conteúdos que apresentem ou promovam:

  • esquemas de Ponzi, de marketing multinível ou de pirâmide;
  • investimento com promessas de retornos elevados, apostas manipuladas, esquemas de enriquecimento rápido ou outros tipos de golpe.

Muita gente pode alegar que as criptomoedas se enquadrariam na segunda variação, mas isso pode ser questionável por quem atua na área. O Canaltech entrou em contato com a assessoria de imprensa do TikTok no Brasil e aguarda esclarecimentos.

TikTok segue aberto a financeiras

Apesar das restrições, essas companhias poderão continuar ofertando serviços financeiros na plataforma, com anúncios voltados para maiores de 18 anos, desde que não tenham vínculo com as atividades proibidas. O que não está claro é como a rede pretende lidar com a diferença entre uma carteira simples de Bitcoin e um comércio da moeda, já que eles costumam estar vinculados em muitos sistemas.

O Google também assumiu uma postura similar em relação a potenciais tentativas de golpe usando sua plataforma de publicidade online. A partir de setembro, anúncios no Google Ads sobre finanças precisarão ser acompanhado de comprovação de identidade do autor. Isso deve reduzir a quantidade de anúncios que tentam se passar por legítimos ou enganam o usuário com promessas irreais.

Você costumava acompanhar conselhos financeiros de algum tiktoker? O que achou dessa novidade da plataforma? Deixe suas impressões nos comentários.

Fonte: Gadgets 360, TikTok

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.