Telegram Premium é lançado com recursos adicionais para assinantes

Telegram Premium é lançado com recursos adicionais para assinantes

Por Alveni Lisboa | Editado por Douglas Ciriaco | 20 de Junho de 2022 às 10h29
Reprodução/Telegram

O Telegram Premium, serviço de assinatura paga com vantagens, começou a ser lançado para usuários. O pacote inclui benefícios como envio de arquivos com até 4 GB de tamanho, downloads mais rápidos, participação em até mil canais e acesso aos recursos de teste antes de chegar à versão estável.

O serviço chega custando R$ 24,90 por mês aqui no Brasil. Além do plano com os extras, quem usa a versão gratuita também deve tirar proveito de sete novidades que desembarcam agora, além das tradicionais correções de bugs e otimizações.

Além de apoiar o seu programa de mensagens favorito, assinantes terão vantagens adicionais (Imagem: Reprodução/Telegram)

Em geral, o pagamento da assinatura mensal serve para desbloquear o dobro dos limites impostos aos não-assinantes. Como já havia sido antecipado, não haverá nenhuma ferramenta exclusiva dos pagantes, pois o app de mensagens pretende manter sua premissa de ser "gratuito para sempre".

Apesar disso, ser assinante não significa ausência de exclusividades. O programa oferece ícones personalizáveis para a sua home, que devem mudar conforme a época do ano. Já os stickers com efeitos especiais serão visualizados por todos, mas enviados somente pelos "premiums".

O que contém o Telegram Premium?

  • Limites duplicados: o assinante tem limites duas vezes maiores do que os não pagantes. Isso significa: participação em até 1.000 canais, 20 pastas de chat, 10 pins, 4 contas em um único app, 200 pins dentro de uma pasta, 20 links públicos para canais e grupos, 10 stickers favoritos e 400 GIFs;
  • Sem anúncios: o assinante não verá mais propagandas em canais públicos;
  • Reações exclusivas: foram adicionados 10 novos emojis para reagir a publicações;
  • Figurinhas especiais: será possível usar adesivos exclusivos com efeitos especiais que mudarão todo mês;
  • Downloads mais rápidos: o Telegram não vai mais limitar a velocidade para transferir arquivos de mídia e documentos;
  • Transcrição de voz: o serviço vai transformar automaticamente mensagens de áudio em texto;
  • Carregamento de arquivos com até 4 GB: hoje, o limite para subir arquivos únicos é de somente 2 GB;
  • Mais caracteres na bio: o limite original são 70 caracteres, mas os assinantes terão 140;
  • Mais espaço para legendas: as descrições para fotos e vídeos foram aumentadas;
  • Emblema de perfil: cada assinante receberá uma insígnia (ao estilo Twitch) para indicar ser um apoiador do Telegram Premium;
  • Imagem de perfil animada: será possível criar avatares personalizados e com reações para listas de bate-papo ou conversas individuais;
  • Ícone de aplicativo diferente: em vez de usar a imagem tradicional, o usuário poderá selecionar um dos três ícones exclusivos para a tela inicial do celular;
  • Gerenciamento avançado de conversas: será possível definir a pasta padrão, arquivar automaticamente mensagens e ocultar conversas de quem não está na lista de contatos.

O mensageiro possui mais de 700 milhões de usuários ativos mensais, números impressionantes que colocam o Telegram como um dos principais rivais do WhatsApp em quantidade de acessos. Se a empresa conseguir que pelo menos 1% da sua base se torne assinante, isso significaria cerca de 7 milhões de pessoas, números que certamente ajudariam a custear as operações do programa.

Como assinar o Telegram Premium?

  1. Atualize o Telegram para a versão 8.8 ou mais recente;
  2. Abra o Telegram no Android ou iOS;
  3. Acesse as configurações do aplicativo;
  4. Toque em “Telegram Premium”;
  5. Aperte o botão “Assine por R$ 24,90/mês”.

A transação será concluída pela loja de aplicativos do seu dispositivo — você deverá efetuar o pagamento por uma das formas aceitas. Como de costume, a assinatura poderá ser cancelada também pela App Store ou Play Store, na parte dedicada às cobranças recorrentes.

Melhorias para quem não é assinante

Admins agora podem impedir o ingresso imediato do usuário, mesmo em grupos públicos (Imagem: Reprodução/Telegram)

Usuários que optarem por manter o plano gratuito ainda terão muito para celebrar. Isso porque o Telegram trouxe melhorias para todos, no intuito de fortalecer a experiência do uso, coibir fraudes e facilitar a gestão.

A principal chegada é a possibilidade dos administradores dos grupos analisarem novos membros antes de permitir o envio de mensagens. O usuário verá um botão "Solicitar participação" e só conseguira interagir após ter o acesso autorizado. O objetivo é evitar a entrada de robôs ou perfis criados para fazer spam.

Também foram adicionados crachás de verificação para grupos, canais e bots relacionados a uma personalidade ou organização. Esta é uma maneira de certificar a autenticidade daquela conta — de que já esteja verificado em duas redes sociais, como Twitter e Instagram —, em uma tentativa de reduzir os golpes com perfis falsos.

Desenvolvedores ainda poderão incluir uma foto ou vídeo na seção explicativa sobre o bot. A ideia é descrever a finalidade do assistente bem como os comandos que o robô oferecerá no bate-papo.

No Android, os usuários passam a ter visualizações de chat aprimoradas: dá para ver toda a conversa com o gesto de pressionar a segurar. Essa é uma solução alternativa para ler tudo sem marcar a conversa como lida. Há também novos botões para permitir a marcação de um algo como lido, silenciado, fixado ou deletado.

Estes são os recursos para usuários gratuitos:

  • Acesso controlado em grupos públicos
  • Selos de verificação nos chats
  • Bots mais explicativos como foto ou vídeo na área "sobre"
  • Melhorias nas prévias de chat no Android
  • Salvamento automático na galeria no Android
  • Capacidade de enviar arquivos de 2 GB ou 4 GB no iOS de outros apps
  • Criação de foto de perfil animada no macOS

No total, o Telegram apresentou mais de 100 correções e otimizações para provar que não está de brincadeira. A empresa com sede em Dubai prova que pretende manter seu foco no usuário, sendo subsidiada por eles, em vez de abrir as portas para propagandas de grandes companhias.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.