Slack bate recorde de 12,5 milhões de usuários simultâneos em meio à COVID-19

Por Rafael Arbulu | 27 de Março de 2020 às 11h20
Slack/Divulgação
Tudo sobre

Slack

Saiba tudo sobre Slack

Ver mais

A Slack Technologies, empresa proprietária do app de mensagens e gestão de fluxos de trabalho Slack, anunciou que seu software atingiu a marca de 12,5 milhões de usuários simultâneos na quarta-feira, 25 de março, estabelecendo um novo recorde para a companhia.

Segundo as informações divulgadas pela empresa, o Slack já vinha passando por altas na demanda de usuários desde o início do mês de março. No último dia 10, o app chegou à marca de 10 milhões de usuários simultâneos, avançando para 10,5 milhões na semana seguinte, no dia 16. Agora, ambas foram superadas pela marca alcançada nesta semana. Vale ressaltar, porém, que a empresa não informa publicamente o número de usuários ativos diários desde novembro de 2019, quando afirmou ter chegado à marca de 12 milhões de pessoas.

O Slack, que passou por recentes reformulações no design, vem registrando picos cada vez mais altos no volume de usuários simultaneamente conectados (Imagem: Divulgação/Slack Technologies)

Os números não são tão altos quanto o seu principal concorrente — o Microsoft Teams —, que chegou a 44 milhões de usuários ativos diários no início do mês de março. Em ambos os casos, os picos de demanda têm um motivo específico: o isolamento causado pelo avanço do SARS-CoV-2, o novo coronavírus. Conforme a pandemia avança pelo mundo, mais e mais profissionais adotam o regime de trabalho remoto (home office), o que faz com que o uso de ferramentas dessa linha se torne cada vez mais necessário.

Não que a pandemia tenha impedido a concorrência do setor de continuar acirrada: recentemente, a Slack Technologies conseguiu convencer a IBM a adotar o seu software como a ferramenta oficial para seus funcionários, ao passo que o Microsoft Teams vem sendo objeto primário em comerciais da TV americana, com a Microsoft tentando fazer com que empresas adotem a sua solução ao invés do Slack.

Microsoft Teams: avanço do novo coronavírus não impede que a Microsoft busque formas de superar seus concorrentes por meio de anúncios na TV aberta americana (Imagem: Divulgação/Microsoft)

Ademais, o Slack está entregando uma atualização que consiste de uma reformulação completa de design e funcionalidade que será focada em “simplicidade e customização”, como uma nova capacidade de personalização de suas barras laterais e um botão mais evidente para compor mensagens. O novo design vem sendo gradualmente distribuído para atuais usuários desde 18 de março.

Paralelo a ambas as soluções, vemos o Zoom, uma aplicação de escritório focada na realização de videoconferências: de acordo com a agência de notícias Reuters, o software viu sua base ativa de usuários crescer 67% neste mês, mas analistas informam que isso não necessariamente se converte em receita, haja vista que muitas dessas soluções entram na categoria “Freemium”: ou elas oferecem uso gratuito em troca de exibição de anúncios, ou possuem uma versão gratuita com menos recursos disponível para download.

Fonte: The Verge; Reuters

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.