Como se tornar um entregador do Rappi e ganhar seu próprio dinheiro

Por Redação
Google Play

Então você está desempregado — ou está precisando de uma graninha extra — e não sabe o que fazer para pagar as contas? Que tal se tornar um entregador da Rappi? A empresa de entrega é uma das que mais crescem no Brasil, e está sempre precisando de novos entregadores para dar conta de todo o fluxo de pedidos que passa pelo aplicativo.

Tornar-se um entregador Rappi é tão simples quanto usar o app para comprar coisas sem sair de casa, e praticamente qualquer pessoa pode se inscrever para fazer parte desta equipe.

Entrando para o Time Rappi

Uma das grandes vantagens de ser um entregador Rappi é a flexibilidade: como você irá receber por cada entrega feita, não há um horário fixo que você deve cumprir com a empresa, e é você que irá definir o quanto irá trabalhar. Quer fazer turnos de 8h por dia e ser um entregador Rappi como um emprego fixo? Sem problemas! Está atrás apenas de um bico para complementar sua renda, e quer trabalhar apenas nos finais de semana como entregador da Rappi? Também não tem problema nenhum! Fica totalmente a cargo do entregadores os horários e dias da semana de trabalho, garantindo assim um tipo de flexibilidade que tem se tornado cada vez mais comum nos empregos do século XXI.

Participe do nosso Grupo de Cupons e Descontos no Whatsapp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Para se cadastrar é muito simples: tudo o que você precisa fazer é baixar o aplicativo Rappi Entregador e fazer seu cadastro por lá. No momento, o aplicativo está disponível apenas para aparelhos Android — ou seja, se o seu celular for um iPhone, precisará arranjar um outro aparelho que utilize o Android para se tornar um entregador Rappi.

O aplicativo do Rappi Entregador funciona para qualquer aparelho que utilize pelo menos o Android 4.1, então não precisa se preocupar em ter um celular “top” ou relativamente novo: como o Android 4.1 — também conhecido pelo nome Jelly Bean — foi lançado em 2012. A maioria dos smartphones que chegaram no mercado de 2011 em diante devem funcionar com o app, o que permite até mesmo pegar aquele celular perdido no gaveta e que há anos não é utilizado e transformá-lo em um aparelho de trabalho.

Aplicativo Rappi Entregador pode ser encontrado na Google Play (Captura: Rafale Rodrigues/Canaltech)

Além de um celular com pelo menos Android 4.1, para se tornar um entregador da Rappi é necessário também ser maior de idade e possuir uma moto ou uma bicicleta — e, no caso de utilizar moto, possuir também uma CNH (Carteira Nacional de Habilitação) válida. Isso porque a Rappi só trabalha com essas duas modalidades de transporte, além de só contratar entregadores que estão com todos os documentos de habilitação em dia. Para efetuar o seu cadastro como entregador, a Rappi irá pedir que envie uma série de dados (como nome, sobrenome, endereço residencial, CPF, telefone para contato) e que seja enviada a foto de alguns documentos para que o usuário comprove a sua identidade, como a foto da carteira de identidade, do cartão do CPF e uma foto própria que será usada em seu perfil no app.

Após efetuar o cadastro pelo app, o usuário precisará então participar de uma palestra ministrada pela app (presença física) ou, se morar em locais distantes de onde ocorrem essas palestras e não houver condições de se locomover até elas, também é possível completar seu cadastro assistindo a um treinamento online e respondendo um questionário após esse treinamento. A escolha de como esse processo será feito (em local físico ou via online) é do próprio usuário, que receberá todas as instruções de como prosseguir após efetuar seu cadastro com no aplicativo Rappi Entregador. Apenas após participar da palestra ou terminar o curso virtual que o usuário estará habilitado para começar a efetuar entregas pela Rappi.

Vale ficar ciente que, por enquanto, o Rappi está disponível em vinte cidades do Brasil: Belo Horizonte, Brasília, Campinas,Curitiba, Florianópolis, Fortaleza, Goiânia, Jacareí, João Pessoa, Natal, Porto Alegre, Recife, Ribeirão preto, Rio de Janeiro, Salvador, São José dos Campos, São José do Rio Preto, São Paulo, Santos e Sorocaba. Assim, apenas pessoas que residem nessas cidades (ou que podem trabalhar efetuando entregas em alguma delas) podem de tornar um entregador da Rappi — ao menos durante o momento da publicação desta matéria.

Como a empresa está em constante expansão, a Rappi chega a novas cidades praticamente a cada mês, então para confirmar se a sua cidade já possui o serviço você pode acessar a página oficial da empresa.

Pagamentos e benefícios

Como em qualquer outro trabalho de entregas a partir de aplicativos, os ganhos obtidos por um entregador da Rappi vão depender de quantas entregas ele fará durante o mês. Ao contrário de outras empresas do tipo, não há nenhuma “matemática mágica” e modificadores para calcular o quanto você vai tirar por corrida; basicamente, o que o cliente estiver pagando de frete é o valor que será pago para o entregador, na íntegra. Isso quer dizer que, se alguma corrida estiver falando que o frete pago pelo cliente é de R$ 10, a Rappi não irá tirar nenhuma porcentagem para ela, e esses R$ 10 serão somados aos ganhos do entregador sem a necessidade de pagar nenhuma taxa ao aplicativo.

E, como já explicamos que os horários para um entregador Rappi são totalmente flexíveis, esse tipo de remuneração ajuda a tornar a função de entregador Rappi algo perfeito não apenas para quem está desempregado conseguir um sustento básico para pagar as contas, mas também para aqueles que possuem um emprego mas estão precisando de um dinheiro a mais. Mas, claro, o valor de frete não é igual para todos os pedidos: entregas mais distantes pagam mais do que corridas para locais próximos, e todos os fretes são aumentados em dias de chuva devido à complexidade de se efetuar entregas de moto ou bicicleta neste tipo de clima.

Quantidade de ganhos pode ser facilmente visualizada através do próprio app (Imagem: Rappi)

O pagamento dos serviços efetuados pelos entregadores da Rappi é feito mensalmente, sempre na primeira quarta-feira de cada mês. O repasse é feito pelo SmartMEI (uma conta digital exclusiva para uso de microempreendedores individuais), que funciona como uma “conta salário” onde a Rappi irá repassar todo o valor obtido no mês trabalhado, e a partir dessa conta digital é possível transferir para qualquer conta de banco usada pelo usuário. E ter o controle de seus ganhos também é bem simples, pois o próprio app Rappi Entregador mostra todos os dados para o usuário, desde quantas corridas ele fez naquele mês até a quantidade total de rendimentos que ele conseguiu.

Além dos pagamentos por cada entrega efetuada, a Rappi também oferece aos seus entregadores alguns “ganhos promocionais”, que são bônus pagos ao entregadores ao atingirem algumas marcas especiais. Esses bônus são habitados como “eventos” que os entregadores podem participar, e o app irá avisá-los sempre que surgir um novo. A maioria desses eventos especiais envolve fazer um certo número de entregas em um determinado período de tempo (por exemplo, efetuar 10 entregas entre às 13h e às 16h) e, caso escolha participar do evento e complete o objetivo, o entregador receberá um valor bônus pelo desafio cumprido. Ao contrário dos ganhos normais por entrega, esse bônus não é somado no valor mensal do repasse ao entregador, e é sempre pago (também através da SmartMEI) na quarta-feira seguinte ao evento.

Sobre o trabalho em si

Assim que a conta é ativada — ou seja, logo após participar da palestra presencial ou completar o curso online —, os usuários já podem usar o app Rappi Entregador para começar a trabalhar. Para isso, tudo o que precisa ser feito é abrir o app e verificar se ela está disponível para receber pedidos. Caso esteja disponível, o usuário poderá acessar uma lista de entregas pendentes do app, onde poderá ver o endereço de retirada do pedido, o endereço de entrega, o valor do frete, e se o entregador deverá ou não usar o cartão pré-pago (mais sobre isso logo abaixo) antes de aceitar uma corrida. Para finalizar o dia de trabalho, deve-se apenas abrir o app e tornar o perfil indisponível para entregas; assim, seu telefone não receberá mais nenhuma notificação sobre novos pedidos disponíveis.

Atualmente, a Rappi divide seus entregadores em quatro níveis, e é preciso sempre alcançar um certo número de entregas para se desbloquear o próximo. O primeiro nível é o de iniciante mais básico, liberado assim que o entregador Rappi participa da palestra presencial ou conclui o treinamento online. Neste primeiro nível, os entregadores terão acesso apenas a corridas do tipo “receber, entregar e cobrar”, ou seja, buscar um produto em um comércio, levá-lo para o cliente e cobrar pelo serviço. Esse é o tipo de corrida mais comum entre os usuários da Rappi, mas quando feita por entregadores de nível um só estarão disponíveis aquelas que o pagamento for feito via cartão de crédito ou PayPal.

A barra verde no topo da tela inicial do aplicativo Rappi Entregador mostra se o usuário está ativo para receber pedidos (Imagem: Rappi)

Ao completar dez corridas, o usuário passará então para o nível dois, onde ele receberá o seu cartão pré-pago da Rappi. Esse cartão pode ser retirado gratuitamente no centro de atendimento Rappi da cidade em que o entregador está cadastrado, e é imprescindível para qualquer pessoa que tenha a intenção de trabalhar como entregador Rappi, pois a não retirada dele é vista pela empresa como falta de comprometimento e pode terminar na desativação de sua conta. Com o cartão em punho, o entregador deverá utilizá-lo em todas as entregas do nível 2, e terá acesso a um novo tipo de serviço: a busca de medicamentos em farmácia.

Após completar mais algumas dezenas de corridas, o entregador pode então evoluir para o nível três, onde se tornará um entregador “completo” da empresa, permitindo aceitar corridas com pagamentos em cartão de crédito, débito, PayPal e dinheiro (além do cartão pré-pago da Rappi) e ter acesso à categoria de entregas “qualquer coisa”, na qual o cliente transfere para o entregador o valor total do pedido para que este possa ir até o estabelecimento, efetuar a compra e então fazer a entrega no endereço do usuário.

Ao completar 150 corridas no aplicativo, o entregador Rappi então passa para o nível quatro — o mais alto na hierarquia. O profissional passa a ser considerado como um entregador de confiança e ganha acesso a corridas para entregas de bebidas alcoólicas e também do serviço RappiCash — um “delivery de caixa eletrônico”, facilitando conseguir dinheiro em espécie sem o usuário precisar sair de onde está para passar em um caixa eletrônico fazer a retirada.

Ser um entregador da Rappi garante total flexibilidade de horários e permite que qualquer um possa trabalhar com o aplicativo (Imagem: Rappi)

Como se pode ver, é bem fácil ir subindo de nível na Rappi e se tornar um entregador de confiança da empresa — ou, ao menos bem fácil para quem trabalha bem. Isso porque o entregador dependerá da boa avaliação dos usuários do app para continuar trabalhando com o aplicativo. Caso muitos usuários classifiquem o serviço com ruim ou acusem o entregador de mau comportamento (que podem ser desde coisas como tirar sarro de algum pedido entregue ou do próprio usuário que o pediu, bater boca com o cliente na hora do pagamento ou até casos mais graves, como tentativa de agressão física) resultam em cartões amarelos ou vermelhos (dependendo da gravidade do problema) para o entregador, que pode ser punido com suspensões de alguns dias e até mesmo com a expulsão do app, ficando impedido de voltar a trabalhar com a Rappi.

Sabendo de tudo isso, você está pronto para ser um entregador Rappi? Então baixe agora mesmo o aplicativo na Play Store, faça seu cadastro e é só começar a correr atrás de sua autonomia financeira.

E caso queira, temos um Cupom Rappi de desconto para você solicitar suas entregas.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.