Cofundador da Wikipédia diz que a plataforma não é mais confiável

Cofundador da Wikipédia diz que a plataforma não é mais confiável

Por Igor Almenara | Editado por Douglas Ciriaco | 20 de Julho de 2021 às 10h30
Pixabay

Quando criança, você deve ter utilizado informações da Wikipédia como base para trabalhos escolares de vários tópicos, mas deve ter escutado do professor que a enciclopédia virtual nem sempre é confiável, correto? Além dele, mais uma importante figura pensa a mesma coisa sobre a plataforma: trata-se de Larry Sanger, um de seus fundadores.

Em uma entrevista para o podcast LockdownTV, o cofundador da Wikipédia diz que defende a ideia original que regia o site — como um centro de informações acessível e “open source” —, mas o site atualmente apresentaria verdades parciais. “Você pode acreditar que ela dará a você a verdade? Bom, isso depende do que você acredita como verdade”, critica Sanger.

O cofundador comenta que a Wikipédia "parece assumir que existe apenas uma versão legítima e defensável da verdade para qualquer questão controversa", mas não era assim que a plataforma costumava ser.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Larry participou da criação da Wikipédia em 2001 (Imagem: Reprodução/Larry Sanger)

Sanger toma com exemplo o artigo que descreve o atual presidente dos Estados Unidos, Joe Biden. “Se você olha para ele [o artigo], há pouquíssimo conteúdo a respeito das ressalvas que os republicanos têm sobre ele”, comenta o cofundador. “Se você quiser ter algo remotamente parecido com o ponto de vista republicano sobre Biden, não o terá no artigo.”

Ele critica a ausência de qualquer citação às acusações de que Biden influenciou a política ucraniana para favorecer o próprio filho. O ex-presidente dos EUA Donald Trump alega que, em 2015, o seu sucessor teria pressionado o procurador-geral da Ucrânia, Viktor Shokin, para abafar investigações contra a empresa de gás natural Burisma. Esta companhia tem o filho do atual mandatário dos EUA, Hunter Biden, como membro do conselho desde 2014.

Não é bem assim

Ironicamente, essa afirmação de Larry Sanger não é totalmente verdade. O Canaltech passou pela Wikipédia (tanto em inglês quanto a em português brasileiro) em busca de informações e encontrou ao menos um parágrafo relacionado à acusação. No texto localizado para o Brasil, até é citado que o caso movimentou um pedido de impeachment contra Biden. Mais que isso: todas as informações foram lastreadas em artigos jornalísticos, o que rendem credibilidade ainda maior.

Contudo, a Wikipédia registra, sim, modificações no texto datadas dias depois da entrevista de Sanger — mas que não contribuem com sua alegação. No dia 18 de julho, a comunidade complementou o texto com linhas que descreviam o desfecho das acusações, informando que Joe Biden foi absolvido e que não havia evidências suficientes para incriminá-lo.

A fonte pode ser afetada por interesses pessoais

Apesar de não ter sido preciso em seus argumentos, Sanger levanta uma verdade. Figuras importantes para o mundo — políticos, gestores de empresas e outras pessoas poderosas — podem abusar da natureza mais aberta da enciclopédia virtual para pintar uma imagem mais positiva sobre si mesmos. Até a escolha de palavras, mesmo que não sejam erradas ou imprecisas, podem colaborar com a minimização de polêmicas. Com informações lastreadas, qualquer um consegue dar um novo tom a um artigo na Wikipédia.

Sanger aponta que existem empresas de marketing que se dedicam a isso: escrever e editar artigos específicos da Wikipédia para controlar a percepção pública dos consumidores. Isso tem ainda mais relevância agora, momento em que a enciclopédia virtual é conhecida por todos e tem uma enorme influência sobre o mundo.

Como uma solução, Sanger sugere que seria interessante implementar métodos de identificação para as colaborações de artigos online. "Eles [colaboradores] devem ser identificados pelo nome", explica o cofundador. Se estiverem sendo pagos, a empresa em que trabalham também precisa ser identificada. Por enquanto, de fato, isso não é necessário, porque a Wikipédia não exige o fornecimento de nomes reais.

"Como eu disse, é um jogo muito complexo... Existem todos os tipos de truques que as pessoas podem usar para vencê-lo", alerta Sanger.

De toda forma, o cofundador não fala nenhuma novidade. Assim como em qualquer outra pesquisa na internet, é importante estar atento às fontes e tentar observar o mesmo fato sobre múltiplos ângulos. Um fato é uma verdade, mas a forma com que ele é contado pode mudar a noção sobre o conteúdo.

E era por isso que seu professor de escola dizia que recolher informações somente da Wikipédia não era o suficiente. A internet é um ambiente de pluralidade de ideias que proporciona amplo acesso a muita coisa. Sendo assim, é crucial pesquisar a fundo sobre temas, em diferentes sites (incluindo a Wikipédia), na hora de elaborar artigos.

Fonte: Lockdown TV  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.