Brasil tem uma dezena de apps regionais similares a Uber e Cabify; conheça-os

Por Wagner Wakka | 31 de Dezembro de 2018 às 14h22

Quando a Uber nasceu há quase 10 anos nos Estados Unidos revolucionou muito da forma como o ser humano pensa transporte e uso do seu próprio carro. A empresa chegou ao Brasil há muito menos tempo que isso e mostrou aos brasileiros que era preciso repensar a utilização de carros por aqui. Contudo, a nossa Terra tem uma peculiaridade: nós não ficamos apenas na observação, mas experimentamos nossa próprias ideias.

Parte disso é o que leva o Brasil a ser um dos países em que mais se proliferam serviços de transporte por aplicativo. Um deles é o Mova, criado por um trio da Bahia e que foi apresentado aqui no Canaltech há algumas semanas. Contudo, a nossa reportagem foi atrás de outras propostas semelhantes pelo país e encontrou várias delas, cada uma com suas peculiaridades.

Pelo Brasil, há o Bora Cariri, do Ceará; CabiCar, app lançado há poucos dias em Campinas; Me leva agora, também de Campinas; Madame Drive, de Manaus, com a proposta de ser 100% voltado a mulheres; Mobi Driver, também no Amazonas; Driver BR, de Bauru, no interior de São Paulo; Servos, de Fortaleza; Brazil Go, de Vitória, Cariacica e Colatina, todas cidades do Espírito Santo; Urbano Norte, em Rondônia; e, claro, o já citado Mova, da Bahia.

São ao menos dez apps espalhados pelo Brasil e que fazem o serviço de levar pessoas e permitir que motoristas vivam desta profissão. Mas o que leva o nosso país a ser tão proeminente nisso?

Cenário possível

A apresentação da proposta da Uber foi um dos principais motivos que fez algumas das pessoas pensarem na possibilidade de lançar seus próprios programas. Isso porque, ela mesma, já nasceu com um modelo disruptivo.

O problema é que, com o passar o do tempo, a difusão do serviço, aumento de oferta e até a profissionalização dos motoristas, a plataforma se viu emaranhada a problemas burocráticos e trabalhistas. Como consequência, foi preciso cobrar mais pelo serviço.

Da mesma forma como parte dos usuários notou que o custo da viagem aumentou com o tempo, motoristas também passaram a sofrer com taxas maiores dos aplicativos.

Esse é o motivo principal pelo qual grande parte dos serviços brasileiros nasceu. Foram criados por motoristas ou ex-motoristas com a ideia de oferecer para os colaboradores cenários melhores que os atuais.

“Não sei se você sabe, mas a Uber não recebe hoje mais 25% do motorista. Ela pega do motorista como se fosse um taxímetro, que varia de acordo com a corrida por minuto ou por tempo decorrido. Se uma viagem deu, por exemplo, R$ 50 ela não vai dar para o motorista 75%. Isso é fantasia, hoje ela cobra até 40%. E eu tenho como mostrar isso”, explica Diogo Nunes Portela, um dos gestores e criadores do Mova, da Bahia.

Fugir das altas taxas foi o motivo que sete das 10 empresas contatadas informaram para criar seus próprios negócios. Com isso, eles criaram seus próprios modelos de negócio para a plataforma.

Contudo, outro fator também parece crucial para essa proliferação: a possibilidade técnica. O Brasil conta com uma empresa chamada Driver Machine, quem dá o suporte para essas ideias. Ela oferece as plataformas personalizadas para que cada serviço crie seu próprio negócio regional, mediante um investimento.

Quanto custa para criar seu app? Bom, nenhum dos entrevistados abriu números, à exceção do Mova. Segundo Nunes, eles investiram mais de R$ 120 mil para tirar a ideia do papel e começar a oferecer corridas.

No caso do Bora Cariri, por exemplo, os investimentos partiram de uma cooperativa com mais de 87 motoristas colaboradores.

Assim, 7 das 9 empresas citadas aqui utilizam ou já utilizaram o Driver Machine para fazer seu próprio app.

Propostas distintas

Alguns dos serviços só pretendem tirar a Uber da negociação da oferta de corridas. Esse é o caso do Bora Cariri. Sem a gigante do transporte por apps como mediadora, eles acreditam que podem fazer um serviço mais seguro e entregar mais aos motoristas.

Bora Cariri, da região do Ceará (Foto: Divulgação/Bora Cariri)

“Nosso diferencial é a segurança. Nossos motoristas passam por uma checagem de documentação, se apresentam presencialmente e passam por um treinamento antes de iniciar e dirigir pelo Bora Cariri, e a cada 3 meses essa documentação é verificada. Outro diferencial é um preço menor para o passageiro com um retorno de rendimentos maior ao motorista. Com isso, percebemos um melhor atendimento ao passageiro. Um grande diferencial é que toda a renda fica na região, e isso socialmente falando é um grande ganho para a região do Cariri. O passageiro pode selecionar o motorista e lhe favoritar, chamando diretamente pelo app na hora que precisar. Não cobramos taxa de cancelamento e não existe taxa dinâmica”, informou a empresa ao Canaltech.

Contudo, outra companhias não pensam somente em lançar mais um serviço, mas criar uma nova proposta de pagamento para seus colaboradores.

Assinatura e Bônus

Um caso interessante é o da gama de serviços de Campinas. A cidade e adjacentes agora contam com dois apps para chamar de seus. O Me Leva Agora e o CabiCar trabalham com propostas totalmente opostas, com foco em oferecer mais para os motoristas.

Para tentar pagar mais quem já é profissional no transporte por apps, o Me Leva Agora tem a ideia de oferecer uma plataforma mediante uma assinatura. Assim, o motorista paga um preço por mês, mas 100% da corrida fica para ele.

Um dos criadores do Me Leva Agora, Nestor Sartoretto, viu que modelo precisava de ajustes, já que parte dos motoristas tinham dificuldade de aceitar a ideia de que pagariam uma mensalidade para trabalhar.

Assim, Sartoretto lançou um outro programa com uma proposta totalmente diferente. “A CabiCar explora outro nicho do mercado de aplicativos de mobilidade, em que o motorista paga uma taxa percentual das corridas pelo uso do aplicativo. Mas com um diferencial, único no mercado, a taxa é escalonada. Quanto mais o motorista fatura, menos ele paga”, apresenta.

CabiCar, serviço de Campinas (Foto: Divulgação/Cabicar)

Assim, quanto mais um pessoa trabalha, menos paga para a plataforma. A tarifa começa com 15% para quem fatura até R$ 500 por mês e até 7,75% por mês para quem faz mais de R$ 6.000 com o serviço. Ainda, ele conta com uma política de bônus a cada 3 meses para os melhores motoristas de cada região.

O app foi lançado no dia 21 de dezembro para as regiões de Campinas e cidades próximas.

Tarifa fixa

Outra proposta para o motorista é a de fazer uma cobrança, independentemente do tamanho da viagem do usuário. Esse já é o caso do Mova, que cobra apenas R$ 1 do motorista por corrida feita. Segundo Nunes, somente esta cobrança já deve ser o suficiente para pagar pelos encargos e investimentos do projeto.

Elas no volante e no banco de trás

Um dos apps mais interessantes da lista brasileira é o Madame Driver. Com oferta ainda apenas em Manaus, ele tem somente motoristas e passageiras mulheres. “Preocupadas com os casos de assédios aumentando a cada dia nos meios de transportes por aplicativo, muitas mulheres se sentem inseguras ao utilizar esse meio de transporte. Por isso, a Madame Driver foi criada, e também com o objetivo de oferecer um transporte seguro para todas as mulheres, e garantir o direito de ir e vir”, explica Soraia Pinheiro, CEO da empresa.

Madame Driver, serviço voltado exclusivamente para mulheres (Foto: Divulgação/Madame Driver)

Além de garantir a segurança feminina, a plataforma conta com preocupações interessantes, como a oferta de diferentes tipos de carros pensando, por exemplo, e uma mulher que carrega um carrinho de bebê.

A plataforma foi lançada em agosto de 2018 e conta com 7 mil passageiras cadastradas e 80 motoristas na capital do Amazonas. A CEO ainda lembra que ainda há cadastramento de mais mulheres para o serviço, o qual também conta com taxistas mulheres e não só serviços particulares.

Conheça os serviços

Madame Driver

  • Local: Manaus, AM
  • Público feminino
  • Lançamento: agosto 2018
  • 7 mil passageiros, 80 motoristas
  • iOS e Android

Bora Cariri

  • Local: Cariri, CE; cidades de Crato, Juazeiro do Norte e Barbalha
  • 18 mil clientes e 200 motoristas
  • Lançamento: setembro de 2018
  • iOS e Android

Servos

  • Local: Fortaleza, CE
  • Mais de 10 mil passageiros
  • Lançamento; agosto de 2016
  • iOS e Android

Mobi Driver

  • Local: Manaus, AM; Rio Branco, AC; São Luís, MA; e Boa Vista, RR
  • Lançamento: Janeiro de 2018
  • iOS e Android

Brazil Go

  • Local: Vitória, Cariacica e Colatina, ES
  • Lançamento: novembro de 2017
  • Mais de 50 mil passageiros
  • iOS e Android

Me leva agora!

  • Local: Campinas e região
  • Lançamento: julho de 2018
  • Oferta de assinatura para o motorista
  • Mais de 10 mil passageiros
  • iOS e Android

Urbano Norte

  • Local: Porto Velho, RO
  • Lançamento: janeiro de 2018
  • Mais de 40 mil passageiros e 700 motoristas
  • iOS e Android

Mova

  • Local: Petrolina, PE e Juazeiro, BA
  • Lançamento: dezembro de 2018
  • Mais de 3 mil clientes e 700 motoristas
  • Tarifa fixa de R$ 1 por corrida para o motorista
  • iOS e Android

CabiCar:

  • Local: Campinas e região, SP
  • Oferta de tarifa escalonada para os motoristas
  • Lançamento: dezembro de 2018
  • Android (em breve para iOS)
Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.