Apple lança ferramenta para alertar usuários alvo de ataques governamentais

Apple lança ferramenta para alertar usuários alvo de ataques governamentais

Por Alveni Lisboa | Editado por Douglas Ciriaco | 24 de Novembro de 2021 às 19h35
Msporch/Pixabay

A Apple detalhou como fará para alertar os usuários quando detecta possível invasão na conta ou programa espião instalado que comprometa a segurança do usuário. Em post publicado no site oficial, a companhia falou sobre as notificações enviadas para os endereços virtuais de email e do iMessege associado ao ID Apple como forma de ajudar o usuário a saber se ele está na mira de criminosos ou de agentes do governo.

Segundo a Apple, quem desconfiar de algo pode acessar o endereço appleid.apple.com para saber se foi exposto de alguma maneira, pois uma mensagem em destaque ressaltará a notificação de ameaça. Ao obter mais detalhes, o site exibirá mais detalhes sobre o fato, quando ocorreu e o que deve ser feito para corrigir o problema.

Se você estiver sobre a mira de espiões, a companhia exibirá essa mensagem no topo do Apple ID (Imagem: Reprodução/Apple)

Vale ressaltar que tais avisos nunca conterão links para serem clicados, conteúdo para download ou solicitações de dados de login, como senhas ou códigos de verificação. Tanto nas mensagens recebidas pelo e-mail quando no celular sempre haverá o pedido para visitar o site da Apple ID com intuito de checar o ocorrido.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Para não ser alvo deste tipo de ocorrência, a companhia recomenda:

  • Atualize os dispositivos com o software mais recente;
  • Proteja os dispositivos com uma senha e autenticação de dois fatores para o ID Apple;
  • Instale aplicativos somente da App Store
  • Use senhas fortes e exclusivas;
  • Não clique em links ou anexos de remetentes desconhecidos

A Apple afirma estar preocupada com o uso de spyware e outras estratégias usadas para espionar, ameaçar ou coagir pessoas, especialmente quem atua em ramos socialmente visados, como ativistas, críticos, políticos, influenciadores digitais ou jornalistas.

Processo contra o NSO Group

A Apple se mostrou uma companhia focada em garantir a privacidade dos usuários em 2021, seja com o App Tracking Transparency (ATT) — que permite ver quais recursos do celular cada aplicativo usa — ou com suas ferramentas de privacidade online, como Retransmissão Privada do iCloud e a possibilidade de criar e-mails apenas para receber spam.

Mas a movimentação mais recente foi o processo contra o NSO Group, acusado de implantar spyware supostamente apoiado pelo governo de Israel. O programa espião Pegasus foi criado para vigiar um pequeno número de pessoas notáveis em várias plataformas, incluindo Android, e seria uma "violação flagrante" das leis federais e estaduais nos Estados Unidos.

O processo alega que a forma como o aplicativo Pegasus foi implantado em iPhones de ativistas do Oriente Médio é uma grave violação dos termos de serviço e de privacidade dos consumidores da Apple. Em razão disso, a ação judicial pede que o NSO Group seja impedido de usar qualquer programa ou dispositivo fabricado por ela.

Fonte: Apple  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.