Apple elimina mais de 30 mil games e apps não licenciados na App Store da China

Por Rui Maciel | 03 de Agosto de 2020 às 10h45
Tudo sobre

Apple

Saiba tudo sobre Apple

Ver mais

A Apple removeu mais de 30 mil aplicativos da App Store na China no último sábado (1º). Desse total, 90% deles era de jogos. A informação é do Qimai Research Institute e reproduzido pela Bloomberg.

A "limpa" promovida pela Apple foi iniciada em junho, ganhando escala massiva em julho. Com isso, a empresa encerra a prática não oficial de permitir a publicação dos games, enquanto a desenvolvedora aguarda a aprovação dos censores do governo chinês, algo que todos os apps no país (gratuitos, pagos ou no estilo freemium) devem ter.

GTA na App Store: jogos estrangeiros passam por rigoroso escrutínio do governo chinês

A brecha existia apenas para dispositivos iOS, já que os fornecedores chineses locais do Android já aderiam à regra, sem exceção. Após o expurgo de sábado, restavam cerca de 179 mil jogos na App Store chinesa, dos quais 160 mil eram gratuitos. A Apple já havia alertado os desenvolvedores e publishers de que a versão para iOS de seus games precisarão de licenças para continuar operando na China. A empresa disse explicitamente que todos os jogos não licenciados seriam banidos e removidos até 31 de julho.

A China é um dos maiores mercados da Apple para a venda de bens e serviços digitais, com o fabricante do iPhone, normalmente, levando 30% de comissão nessas operações. Os esforços da empresa em eliminar jogos e aplicativos que não obedeçam aos seus termos destacam uma postura mais vigorosa do governo chinês quando se trata de jogos. Anunciantes online como Tencent e ByteDance, provavelmente, também sofrerão um golpe, pois podem perder uma parcela das empresas que compram anúncios em seus jogos.

Tencent: gigante chinesa será uma das principais afetadas pela medida da Apple (Foto: divulgação)

Citando preocupações sobre a proliferação do vício em games entre menores e a disseminação de conteúdo ofensivo, os reguladores do governo chinês agora adotam um processo de revisão muito mais rigoroso e mais lento do que antes. Em 2018, eles chegaram até mesmo a interromper, temporariamente, todas as aprovações de jogos. Os títulos estrangeiros estão sob um escrutínio particularmente mais rigoroso e a brecha na App Store servia como último recurso para distribuir alguns deles naquele que é considerado o maior mercado de jogos mobile do mundo.

Fonte: Bloomberg  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.