Análise | Razer Leviathan Mini tem potência de sobra em tamanho compacto

photo_camera Leonardo Pavini
TUDO SOBRE

Razer

Digamos que você acabou de montar um setup muito style para jogos, mas ainda não conseguiu decidir qual caixa de som comprar. O mercado oferece inúmeras possibilidades, mas algumas sempre ganham destaque, como é o caso da Leviathan Mini da Razer, que foi emprestada gentilmente a nós do Canaltech pela empresa.

A versão menor do conjunto de som Leviathan, lançado originalmente em 2014, carrega algumas características importantes, como o design aparentemente robusto, graves fortes e som nítido.

Design, emparelhamento e compatibilidade

Esteticamente a Leviathan Mini seguiu bem o seu predecessor. Ela pesa 550 gramas e tem 54 x 185 x 55 mm, o que lhe confere um formato mais “achatado”, porém com cantos arredondados para deixar a estética mais agradável.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

O que fica de mais Positivo, neste caso, é que ela se torna um dispositivo portátil que vale a pena levar na mochila. Mas a caixinha não tem proteção contra água e nem suporta quedas “numa boa” (quem suporta, afinal?), então o mais recomendado é deixá-la dentro de casa. Se você, por acaso, quiser levá-la para algum lugar, ainda existe uma bolsinha maneira dentro da caixa para você proteger o gadget.

Case de proteção vem incluso na caixa da Leviathan Mini. (Foto: Leonardo Pavini/Canaltech)

A Leviathan Mini tem botões na lateral direita para energia e outro para o Bluetooth, além de um microfone logo abaixo da entrada de carregamento microUSB e da porta auxiliar de 3,5 mm. O outro microfone fica na parte superior, próximo dos botões de volume e de pausar/retomar a reprodução.

Em uma ligação, por exemplo, a pessoa que está do outro lado da linha consegue ouvir com clareza, e o viva-voz da caixa, no caso, é mais que satisfatório.

Vale lembrar que a outra lateral do aparelho não traz absolutamente nada além do sensor NFC, que serve para emparelhar mais rápido com o seu smartphone ou tablet. Por aqui, o recurso rolou com smartphones Android, mas não com um iPhone.

De qualquer forma, a caixinha é compatível com dispositivos Android e iOS tranquilamente e carrega conectividade Bluetooth para isto. Mas eu preciso dizer que o alcance não é muito legal, e que objetos físicos, assim como em qualquer outro tipo de conexão sem fio, são uma grande dor de cabeça.

Mas, se por acaso você comprar uma segunda unidade da Leviathan Mini, elas poderão trabalhar em conjunto. Nós só não conseguimos, por exemplo, conectar dois smartphones ao mesmo tempo.

A caixinha em ação

Quando você ligar a Leviathan Mini pela primeira vez, recomendamos que esteja, talvez, em um ambiente fechado. Isso porque você vai sentir logo de cara que, apesar de pequena, ela carrega potência suficiente para impressionar.
A potência total de saída da Leviathan Mini é de 24 W (sendo duas saídas de 12 W com tamanho de 45 mm cada). O som, claro, sai de ambos os lados da caixa, mas com os graves sendo controlados pela parte da frente, com o logo da Razer.

A Leviathan Mini impressiona por causa do tamanho reduzido e potência exponencial. Com baixos e médios, ela entrega resultados muito bons, com graves e agudos crescentes e equilibrados. As vozes, também, ficam distintas e claras, o que faz da experiência ser agradável tanto para quem ouve Mobb Deep quanto para quem ouve um álbum ao vivo do Pink Floyd.

Lateral direita da Leviathan Mini carrega botões e entradas micro USB e P2. (Foto: Leonardo Pavini/Canaltech)

Nos graves, com volume máximo, ela também mostra que tem desempenho que desperta curiosidade, mas você perde um pouco da clareza do vocal. Ainda em tempo, ela pode atingir uma máxima de 90 decibéis.

Para quem joga, a experiência é bastante rica. Como existem variações audíveis em jogos de FPS, por exemplo, é de se esperar grandes estrondos e afins, mas nós não presenciamos ruídos durante as partidas.

A Razer Leviathan Mini tem uma estimativa de carregamento de 5 horas, que em tese são convertidas em 10 horas de uso. Ela traz bateria de 2.600 mAh e, de fato, sua autonomia gira em torno dessas 10 horas prometidas pela fabricante.

O único problema relacionado à bateira/autonomia, mesmo, é que carregar ela por completo leva um tempo considerável. Seria o caso de adotar um sistema de carregamento melhorado, talvez com a inclusão de uma porta USB-C e hardware mais robusto, mas isso também poderia aumentar o valor final da caixa.

Esta não é a melhor autonomia em caixas de som portáteis que nós já encontramos no meio do caminho, embora possa ser algo satisfatório para quem a usa dentro de casa.

O que achamos?

Parte superior da caixa com botões de volume e reprodução. (Foto: Leonardo Pavini/Canaltech)

De maneira direta, a Leviathan Mini cumpre bem o seu papel. Ela tem tamanho compacto, som de qualidade (com graves e agudos bem distintos) e é ótima para organizar um setup discreto, porém sem abrir mão de qualidade.

No entanto, devemos lembrá-los que ela não conta com proteção contra água e tem duração de bateria “dentro da média”. Isso, claro, considerando que você possa usá-la por 10 horas bem longe de uma tomada - o que pode ser relativamente pouco, mas ainda correspondendo a expectativa.

Por US$ 179 na gringa, ou cerca de R$ 1.000 a R$ 1.200 no varejo brasileiro, a Leviathan Mini segue como opção para quem busca um acessório compacto e robusto. Porém, pelo preço, você também pode optar por investir em um sistema de som melhor, ou mesmo em algo que reproduza som estéreo com mais de uma caixa no pacote.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.