CEO da Epic diz que Microsoft quer "matar" Steam com Win10

Por Redação | 27 de Julho de 2016 às 13h20

Tim Sweeney, co-fundador da Epic Games e um dos responsáveis pela Unreal Engine, acredita que a Microsoft pode utilizar o Windows 10 para monopolizar o mercado de games para PC. Sweeney afirma que a Microsoft pode progressivamente acabar com a Steam, visto que a empresa pode "fazer uma série de mudanças sorrateiras até ser inconvenientes usar programas antigos e, simultaneamente, se tornarem a única fonte para os novos apps".

"Lentamente, nos próximos cinco anos, eles vão atualizar o Windows 10 de um jeito que faça a Steam progressivamente quebrada e pior. [...] em cinco ano, as pessoas estarão tão cheias da Steam que a Windows Store parecerá a alternativa ideal. Foi exatamente isso que a Microsoft fez com concorrentes anteriores em outras áreas", afirmou o CEO da Epic Games e desenvolvedor do game Gears of War.

Em entrevista, Sweeney ainda declarou que a tendência é que a Microsoft torne o Windows 10 um sistema cada vez mais fechado como o OS X. Para ele, as iniciativas da companhia de Redmond é acabar com programas em Win32 e impedir que os usuários possam instalar aplicativos de qualquer outro lugar que não sejam da Windows Store. "Cada app da Steam - e games feitos para PC nas últimas décadas - utilizaram o Win32", afirma o co-fundador da Epic Games. "Se a Microsoft convencer cada um [desenvolvedor] a usar a UWP, então eles extinguem os apps em Win32. Se eles tiverem sucesso fazendo isso será um pequeno passo para forçar todos os aplicativos e jogos a serem distribuídos na Windows Store".

Sweeney ainda disse que a Microsoft já adotou essa estratégia anteriormente "com os seus concorrentes em outras áreas", acrescentando que a empresa "pode não ser competente o suficiente para ter sucesso com seu plano, mas eles certamente estão tentando". É importante lembrar que o Windows 10 já permite a instalação de aplicativos universais por padrão, desde a atualização de novembro do ano passado. Com isso não existe a necessidade de liberação manual prévia, permitindo, em teoria, que os usuários continuem a instalar programas de sites independentes, mas que sejam desenvolvidos de acordo com os novos padrões.

Sweeney já se posicionou de forma clara a favor do mercado aberto e contra iniciativas como a da Microsoft, que podem vir a prejudicar a liberdade do mercado de PCs. A Oculus também foi alvo de críticas do desenvolvedor, que declarou que a necessidade de realizar download de aplicativos em VR apenas em sua loja prejudica consideravelmente seus concorrentes.

Via The Verge

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.