Pesquisadores inventam pijama que monitora fisiologia durante o sono

Por Nathan Vieira | 21 de Setembro de 2019 às 12h05
Pixabay

Pesquisadores da University of Massachusetts Amherst inventaram tecidos com monitoramento fisiológico que podem ser costurados em pijamas, com direito a um apelido muito apropriado: "phyjamas". O experimento ficou nas mãos dos estudantes de pós-graduação Ali Kiaghadi e S. Zohreh Homayounfar, com seus professores Trisha L. Andrew e Deepak Ganesan.

De acordo com Andrew, o maior desafio foi justamente como obter sinais úteis sem alterar a estética ou a sensação do tecido: "Geralmente, as pessoas presumem que tecidos inteligentes possuem vários sensores embutidos para medir sinais fisiológicos e físicos, mas isso claramente não é uma solução para roupas comuns e, em particular, roupas de dormir".

“Nossa percepção foi de que, embora as roupas de dormir sejam usadas com folga, existem várias partes desse tecido que são pressionadas contra o corpo devido à nossa postura e contato com superfícies externas. Isso inclui a pressão exercida pelo torso contra uma cadeira ou cama, pressão quando o braço repousa na lateral do corpo enquanto dorme e pressão leve de um cobertor sobre a roupa de dormir. Essas regiões são locais em potencial onde podemos medir os batimentos cardíacos e respiração e podem ser usados ​​para extrair variáveis ​​fisiológicas”, explicou Ganesan.

(Foto: University of Massachusetts Amherst)

Andrew, Ganesan e os estudantes explicam que a equipe precisou apresentar várias novas ideias para que o tecido se tornasse realidade. Eles perceberam que não existe um método baseado em tecido para detectar mudanças contínuas e dinâmicas na pressão, principalmente devido aos pequenos sinais que eles precisavam medir.

"Esperamos que os avanços possam ser particularmente úteis para monitorar pacientes idosos, muitos dos quais sofrem de distúrbios do sono. Os wearables da geração atual, como os relógios inteligentes, não são ideais para essa população, pois os idosos geralmente esquecem de usar de forma consistente ou são resistentes ao uso de dispositivos adicionais, enquanto as roupas de dormir já fazem parte normal de sua vida diária. Mais do que isso, o relógio não pode dizer em que posição você dorme e se sua postura está afetando sua qualidade; nosso Phyjama pode", explica Andrew.

Fonte: University of Massachusetts Amherst

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.