Rede de cinemas proíbe uso do Google Glass em salas de projeção

Por Redação | 11.06.2014 às 11:35

O Google Glass acaba de chegar comercialmente ao mercado norte-americano prometendo revolucionar a forma como são feitas algumas tarefas simples. Apesar disso, os óculos do Google já têm causado problema em algumas áreas, como no setor de entretenimento.

De acordo com o Ars Technica, a rede de cinemas Alamo Drafthouse anunciou nesta terça-feira (10) que proibiu o uso do Google Glass nas salas de cinema da rede em todo os Estados Unidos visando reprimir a pirataria. A Alamo Drafthouse é uma das pioneiras em proibir o uso do gadget nas salas de cinema.

Em uma publicação no seu perfil do Twitter, o executivo-chefe da companhia, Tim League, confirmou a decisão e disse que o uso dos óculos de realidade virtual está oficialmente proibido nos auditórios da rede de cinemas uma vez que as luzes se apagam para os trailers.

Esta não é a primeira vez que o Glass gera controversias e problemas com a lei nos Estados Unidos. Em janeiro, um homem foi retirado de um cinema de Ohio pelo FBI enquanto assistia Jack Ryan: Operação Sombra. Neste caso o Google Glass não estava ligado, funcionando apenas como óculos de grau. O ocorrido se passou em um cinema da AMC, que posteriormente declarou que não seria apropriado o uso de um dispositivo que grava vídeo dentro do cinema.

O Google Glass também já foi proibido em restaurantes, clubes e cassinos do país.