Yanny ou Laurel | Por que escutamos palavras diferentes ouvindo o mesmo áudio?

Por Wagner Wakka | 18 de Maio de 2018 às 19h07

A internet tem um novo vestido branco/dourado ou azul/preto. Se você não se lembra, esta foi uma das maiores discussões das redes sociais em que algumas pessoas viam cores diferentes em uma mesmíssima imagem, dando muito o que falar.

Agora, há uma nova questão na área, provando que tal dúvida pode também acontecer em som. Um áudio mostra uma voz robotizada que diz uma sentença a qual algumas pessoas dizem ouvir “Yanny” (com a pronúncia iâni) e outros relatam que se ouve “Laurel” (com a pronúncia lóreu). Não demorou para a questão virar um dos assuntos mais falados do Twitter.

Antes de continuar, faço você mesmo o teste. É Yanny ou Laurel?

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Há uma teoria para isso, contudo. Um usuário do Twitter chamado Jacob Livesay mostra que as duas palavras são ditas ao mesmo tempo no áudio, o que pode causar essa confusão. Ele mostra que, ao “quebrar” o áudio original, é possível ver que ambos termos são ditos, mas em frequências diferentes. “Eu mexi com o arquivo de áudio e descobri que, basicamente, as frequências mais baixas dizem Laurel, e as freqüências mais altas dizem Yanny”, explica.

De fato, pela demonstração dele, é mais fácil ouvir as duas sentenças em separado. O mesmo teste foi feito pelo New York Times, que criou uma ferramenta que permite mudar a frequência do áudio original.  

De acordo com o professor David Alais de psicologia da Universidade de Sydney em entrevista para o The Guardian, isso acontece por conta de um fenômeno chamado “percepção ambígua de estímulo”. “Eles podem ser vistos de duas maneiras, e muitas vezes a mente vai e volta entre as duas interpretações. Isso acontece porque o cérebro não consegue decidir sobre uma interpretação definitiva”. Ou seja, o cérebro não consegue decidir sobre qual frequência prefere interpretar, causando essa confusão.

“Se houver pouca ambiguidade, o cérebro trava uma única interpretação perceptual. Aqui, o som Yanny / Laurel pretende ser ambíguo porque cada som tem um tempo e conteúdo de energia semelhantes – por isso, em princípio, é confuso”, explica.

E você, o que ouve? Yanny, ou Laurel?

Fonte: The Guardian, NY Times

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.