Top Tech 13 / 32 vídeos

10 Descobertas científicas mais legais dos últimos tempos [Top Tech]

08:32 | Por Patrícia Gnipper | 31 de Janeiro de 2018

Você gosta de ciência? Mesmo se a resposta for "não" e você não foi uma das crianças que cresceram fascinadas assistindo ao Mundo de Beakman na televisão, com certeza você acha bacana que a ciência faça descobertas e avanços incríveis a todo momento. Afinal, esses avanços impactam diretamente em nossas vidas, ainda que a gente não perceba.

Então, a gente pesquisou bastante sobre tudo o que foi destaque na comunidade científica nos anos mais recentes, e separamos uma listinha com as 10 descobertas mais legais dos últimos tempos (na nossa humilde opinião).

1. Exoplanetas potencialmente habitáveis

Desde que o telescópio espacial Kepler foi lançado, ele se tornou um verdadeiro "caçador de exoplanetas", aqueles que orbitam outras estrelas que não sejam o nosso Sol. E entre os "trocentos" planetas que o Kepler ajudou a descobrir, estão vários que têm condições suficientes para serem considerado habitáveis.

Um deles se chama LHS 1140b, que fica a 40 anos-luz daqui, e, além de ser um planeta rochoso como a Terra, ele fica na chamada zona habitável de seu sistema estelar, podendo existir água líquida por lá. Outro do mesmo tipo é o Proxima Centauri b, além do sistema estelar TRAPPIST-1, que tem várias "Super Terras" esperando que a gente descubra mais a seu respeito. Além desses, outro exoplaneta que foi uma descoberta e tanto foi o Ross 128b, que, a somente 11 anos-luz de distância, é um dos candidatos mais prováveis de se tornarem, quem sabe, uma futura morada para a humanidade, quando a gente já tiver destruído o nosso planeta por completo.

2. Útero artificial

No ano passado, médicos de um hospital infantil na FIladélfia conseguiram simular um útero de verdade usando um dispositivo sintético para gerar um cordeiro ali. A ideia é usar a tecnologia para prevenir a morte prematura de fetos, bem como ajudar os bebês a continuarem se desenvolvendo caso haja um nascimento muito prematuro.

O mais legal é que esse saco repleto de fluidos (tipo um Ziplock high tech) é alimentado pelo coração do próprio cordeiro em desenvolvimento, e o sistema bombeia sangue por meio do cordão umbilical do feto para uma máquina de oxigenação especial.

3. Sangue para combater a velhice

O tal "elixir da juventude" cativa a humanidade há muito tempo, só que ainda não existe nenhum produto que realmente impeça o envelhecimento. Mas pesquisadores recentemente descobriram que o sangue de um rato jovem foi capaz de rejuvenescer músculos e cérebro de ratos idosos, mostrando que esse pode ser um caminho para a criação de uma solução para problemas da terceira idade.

4. Manipulando memórias indesejadas

Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças da vida real: a ciência já sabe como manipular memórias específicas em ratos usando raios laser, com a finalidade de apagar aquelas lembranças traumáticas que influenciam seu estado emocional. Ainda, os pesquisadores conseguiram transformar boas memórias em ruins, e vice-versa.

A ideia aqui é que a tecnologia seja usada para tratar pessoas que vivenciaram situações traumáticas, e que não conseguem levar uma vida normal por conta disso. Mas, quem sabe, a coisa não evolua a ponto de podermos eliminar todas as lembranças daquele ex-embuste que fez um estrago e tanto na nossa vida, não é mesmo?

5. Ondas gravitacionais

Demorou praticamente 100 anos para que a ciência conseguisse comprovar a existência das ondas gravitacionais previstas por Albert Einstein, mas aconteceu. Isso rolou em 2016, quando pesquisadores do observatório LIGO detectaram a colisão de dois buracos negros a 1,3 bilhão de anos-luz, e essa explosão extrema acabou distorcendo o "tecido" do espaço-tempo ao seu redor. Com isso, formaram-se as ondas gravitacionais que, se propagando à velocidade da luz, puderam, enfim, ser analisadas daqui da Terra.

6. Dinossauros tinham penas

A gente cresceu estudando na escola que os dinossauros eram parecidos com répteis, mas nos últimos anos esse conceito está começando a ser derrubado. É que descobertas arqueológicas recentes mostraram indícios de que os dinossauros, ou ao menos algumas de suas espécies, tinham seus corpos cobertos por penas, assim como os pássaros. E o mais legal de tudo é que já se confirmou que algumas espécies de dinossauros com penas não eram voadoras, deixando a coisa toda ainda mais enigmática.

Algumas dessas descobertas foram possíveis pois restos mortais desses animais jurássicos ficaram preservados em âmbar, do mesmo jeitinho que aconteceu com o inseto de Jurassic Park. Mas, diferentemente do filme, os espécimes fossilizados em âmbar não preservam seu DNA a ponto de sermos capazes de fazer algum animal extinto renascer, mas servem para que a gente os estude a fim de aprender ainda mais sobre como eles eram de verdade.

7. Asteroide alienígena no Sistema Solar

No ano passado, um objeto de formato pontiagudo foi detectado passeando pelo Sistema Solar, e rapidamente a comunidade científica decretou que ele não "nasceu" aqui no nosso quintal espacial, tendo origem alienígena. O Oumuamua, como foi chamado, é bizarramente coberto por um isolamento orgânico, e acredita-se que ele tenha gelo em seu interior.

Por dentro, acredita-se que o asteroide seja composto por elementos como metais e carbono, não se tratando, portanto, de um cometa. Ainda, os astrônomos acreditam que existam mais objetos misteriosos do tipo vagando por aí, esperando serem descobertos e devidamente estudados, acabando com as especulações de conspiracionistas que acreditam que o Oumuamua seja uma nave espacial alienígena enviada para nos estudar.

8. Teletransporte quântico

Nada de teletransporte a la Star Trek por enquanto, mas cientistas chineses conseguiram um feito inédito recentemente: foi possível teletransportar fótons de luz que saíram da Terra para o espaço pela primeira vez na história. Inicialmente, o teletransporte foi bem sucedido a uma distância de 1.200 quilômetros.

A façanha pode abrir as portas para uma nova era na computação quântica, podendo tornar as telecomunicações muito  mais rápidas e seguras.

9. Planeta 9

Desde que Plutão foi rebaixado em sua condição de planeta do Sistema Solar, temos apenas oito planetas oficiais orbitando o Sol. Mas há muito especula-se sobre a existência de um outro planeta de verdade nos confins do nosso quintal espacial, e, recentemente, a NASA admitiu que suas evidências são tantas que não se pode mais ignorá-las.

O planeta estaria localizado além de Netuno, e, ainda que os astrônomos não tenham conseguido observá-lo de fato, a ação gravitacional causada por sua massa impacta em outros objetos na mesma região, e, por isso, algo grande o suficiente para ser um planeta pode mesmo existir por lá. Segundo a previsão de cientistas, o Planeta Nove deve ter uma massa 2 a 15 vezes maior do que a da Terra, e ele estaria orbitando o Sol a uma distância de 240 bilhões de quilômetros (muito além de Plutão, que está a pouco mais de 5 bilhões de km de distância a partir do Sol).

10. A Terra tem uma segunda Lua?

A resposta é: sim e não. O que aconteceu foi que cientistas da NASA descobriram um asteroide ao redor da Terra, em uma órbita estável, comportando-se como se fosse um segundo satélite natural do nosso planeta. Sim, há muitos objetos espaciais ao nosso redor, incluindo a Estação Espacial Internacional e um montão de lixo espacial, mas o HO3 é um asteroide que, de alguma forma, foi abocanhado pelo nosso campo gravitacional, entrando nessa órbita estável como se fosse uma segunda lua.

O objeto teria cerca de 40 a 100 metros de diâmetro, sendo bastante pequeno para ser considerado um satélite natural de verdade, e como ele está bastante longe da Terra, ele acaba sentindo mais o impacto do campo gravitacional do Sol do que do nosso planeta. A NASA acredita que o HO3 já está na órbita da Terra há pelo menos 100 anos, onde deverá permanecer por mais alguns séculos como se fosse um irmãozinho menor da Lua.

Gostou desse vídeo?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.