Hands-on 237 / 260 vídeos

Android P: principais novidades

04:47 | Por Joyce Macedo | 09 de Maio de 2018

No primeiro dia da Google I/O, conferência voltada para desenvolvedores da Google, a empresa mostrou mais detalhes do esperado Android P, ainda sem nome, apesar dos votos para paçoca e pé de moleque estarem em voga.

Uma versão beta também foi liberada para alguns aparelhos: além dos esperados Pixel e Pixel 2, modelos de outras fabricantes também receberão a novidade para teste: Sony Xperia XZ2, Xiaomi Mi Mix 2S, Nokia 7 Plus, Oppo R15 Pro, Vivo X21, OnePlus 6 e Essential PH-1

O Android P é focado em três pilares: simplicidade, inteligência e bem-estar digital. Isso mesmo, a Google quer que você use MENOS o seu celular. Mas pera aí que a gente já fala sobre isso.

Para começar, o botão home está BEM diferente. Agora ele é achatadinho e tem uma animação quando passamos por ele. Em relações às suas funções, agora ele tem suporte para gestos, e para ver os aplicativos abertos é só arrastar uma vez para cima.  Se você arrastar mais uma vez para cima, verá todos os apps instalados no aparelho.

Os apps em uso aparecem listados horizontalmente, nos dando uma prévia de cada um deles. Um detalhe muito interessante é que o Android P permite selecionar textos nessa tela de rolagem, sem precisar entrar em um aplicativo. Já as configurações rápidas permitem o uso dos botões físicos laterais dos aparelhos para acessar configurações como volume e outras cositas más.

Só se fala em machine learning e inteligência artificial por aqui. Entre as novidades relacionadas ao tema, temos a bateria adaptativa, que aprende como você usa seu smartphone e prioriza a energia da bateria apenas para apps e serviços que você mais usa. A promessa é de uma redução de até 30% de uso do processador durante a execução de apps. O mesmo serve para o brilho adaptativo, que se ajusta ao uso de cada um por meio da aprendizagem de máquina, e não dos sensores que estamos acostumados a ver por aí.

Outro recurso que depende da inteligência da Google para aprender com o usuário é o App Actions, que analisa seu comportamento para tentar "adivinhar" qual será sua próxima ação, deixando cards disponíveis no topo do launcher.

Já o recurso Slices tira o melhor das pesquisas realizadas com o smartphone, se unindo aos aplicativos para responder o que você realmente quer saber. Ao pesquisar pelo Lyft (concorrente do Uber), por exemplo, o sistema operacional automaticamente exibirá uma pequena tela mostrando a estimativa de preço para uma viagem até o seu trabalho, permitindo que você chame um carro sem ter que necessariamente executar o programa inteiro.

Voltando a falar daquela parte que a Google quer que você use MENOS o seu celular, o destaque fica para os seguintes recursos:

Dashboard: gráficos mostram exatamente como e quando as pessoas têm usado seus smartphones. Dá pra saber quanto tempo você passa no aplicativo do Instagram ou quantas notificações você recebeu ao longo do dia, por exemplo.

App Timer: depois de descobrir esses dados, vc pode usar o app timer para regular o tempo de uso de cada app e ser avisado quando seu tempo estiver acabando.

Novo Não Perturbe: agora você pode simplesmente virar seu smartphone pra baixo quando estiver com os amigos ou com o date em um restaurante pra que nenhuma notificação seja sequer exibida no seu celular.

Wind Down: pra finalizar o bem-estar digital, também dá para deixar a tela em tons de cinza quando for a hora de dormir — um lembrete de que uma boa noite de sono não deve ser trocada por mais alguns minutinhos online.

Bom, por enquanto só ficamos um pouquinho com o Android P em mãos, então não dá pra dar um veredito final sobre essa versão beta, mas fica de olho no Canaltech pra saber se esses recursos que aprendem com o usuário realmente funcionam ao longo dos dias de uso.

Gostou desse vídeo?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.

Citadas no Vídeo