Comparativo 197 / 214 vídeos

Huawei P20 Pro vs Pixel 3: quem tem a melhor câmera?

06:58 | Por Leonardo Pavini | 02 de Janeiro de 2019

2018 foi um ano em que novamente as fabricantes de smartphones investiram com força em fotografia, chegando a colocar até 5 câmeras nos aparelhos. Dois exemplares de destaque desses smartphones são o Pixel 3 (e Pixel 3 XL) e o P20 Pro, da Huawei. Vamos analisar aqui o que cada um tem de melhor dentro de suas possibilidades.

Vale notar que já há uma diferença na traseira dos smartphones: enquanto o Pixel 3 tem apenas uma câmera, o P20 Pro tem nada menos que 3. No Pixel temos uma câmera de 12.2 MP, com abertura de f/1.8 e distância focal equivalente a 28mm.

Já no P20 pro os números são bem maiores: uma câmera principal de 40 MP com sensor um pouco maior em relação a praticamente todos os smartphones do mercado (e aqui isso faz muita diferença, já que em fotografia digital, quanto maior o sensor de imagem, melhor a qualidade das fotografias). Nesse sensor de 40 MP os pixels são combinados com uma tecnologia chamada quad-bayer, que resulta numa imagem mais detalhada de 10 MP. A abertura da lente nesta câmera é de f/1.8, assim como a câmera do Pixel 3.

Na segunda câmera do P20 Pro temos um sensor monocromático de 20 MP, lente com f/1.6 de abertura e equivalente de 27mm de distância focal. E, por último, a terceira câmera do P20 Pro tem um sensor de 8 MP mais simples, com teleobjetiva equivalente a 80mm e abertura de f/2.4. No P20 Pro a Huawei se gaba de usar lentes Leica, e quem gosta de fotografia sabe o que isso significa.

Ambos os smartphones tem câmeras com ótima qualidade de imagem, as imagens são detalhadas, com pouco ruído e boas cores. Um ponto no HDR para o Pixel, que tem a função integrada aos modos de fotografia e não vem como um recurso separado como no P20 Pro. Além disso, no Pixel temos dois níveis de HRD e ambos funcionam muito bem.

Notamos que em nossos testes, o Pixel 3 apresentou tons naturais, cores suaves, sem exagero. O P20 Pro é um pouco inconsistente nesse aspecto, principalmente quando tenta trabalhar com seus recursos de inteligência artificial. Por exemplo em fotos de plantas, o P20 entregou um verde supersaturado, mas que pode agradar quem gosta de uma imagem mais viva.

A performance em pouca iluminação de ambos agradou bastante; cada um tem um modo noturno: o P20 Pro assim como o Pixel faz uma combinação de fotos para reduzir o ruído e isso leva um tempo considerável, mas até que traz bons resultados. Já o Pixel 3 trouxe o novo modo Night Sight, que é assustador: em ambientes de quase total escuridão, a foto sai como de dia - o que parece bem artificial e não há como regular esse efeito (no entanto, a função ainda está em modo Beta, o que significa que podem vir melhorias por aí).

Na interface das câmeras desses aparelhos temos muita diferença. O Pixel foi feito para tornar o ato de fotografar mais fácil, com menus limpos e fáceis de usar, com o custo de remover o modo manual. O P20 Pro tem uma interface mais cheia de botões e não tão direta ao ponto, mas traz o bem vindo modo pro. claramente é direcionado pra quem realmente gosta de experimentar ao fotografar. Falando nisso, ambos tem modo RAW, o que abre as possibilidades de tratamento dessas imagens.

Chegando no famigerado modo retrato, vemos como a Google tem um software aprimorado para conseguir entregar resultados similares ao P20 Pro com apenas uma câmera. Ainda não é perfeito, mas o desfoque já é superior ao de câmeras de outros smartphones por aí. Mesmo assim, notamos que o P20 Pro consegue mapear melhor a profundidade, já que conta com o segundo sensor monocromático, que trabalha para refinar a imagem, ajudando no modo retrato. O desfoque seletivo do Pixel 3 funciona somente com base no software, reconhecendo a figura humana. Por isso, quando colocamos um objeto na cena, como um chapéu, pode ser que ele comece a se atrapalhar.

Temos um detalhe interessante pra comparar agora: o zoom. A Google trouxe um super-res zoom, que interpola a imagem para entregar um zoom digital mais detalhado. Funciona bem dentro do que pode fazer e realmente se destaca entre aparelhos de uma câmera só. Mas não tem como brigar com o P20 Pro nesse quesito. As imagens com zoom de 5x no P20 Pro continuam super detalhadas, e o que vemos aqui é o que a câmera realmente está vendo, sem interpolação, e isso garante resultados melhores. Até conseguimos um pouco de desfoque natural, sem ser aquele forçado pelo software. Ponto para o P20 Pro.

Já nas câmeras frontais, uma surpresa… quem tem mais de uma câmera é o Pixel, enquanto o P20 Pro tem apenas uma. Resultados semelhantes por aqui também, mas o Pixel sai na frente ao trazer duas distâncias focais, uma delas sendo super grande angular: cabe mais gente na foto. Uma crítica ao P20 Pro: como um aparelho tão voltado para fotografia ainda traz esse modo embelezamento fortíssimo? os resultados chegam a ficar bizarros. Pelo menos é possível desativar a função.

Falando um pouquinho de vídeo, a qualidade segue a de fotografia. bons resultados e a estabilização óptica de ambos os aparelhos garantiu que os takes não saíssem tão tremidos, ao mesmo tempo que não ficaram tão artificiais.

A conclusão que chegamos é que são dois ótimos smartphones para fotografia. O Pixel é um exemplo de software bem alinhado ao hardware, com muita rapidez ao fazer HDR, por exemplo. Aliás, o Pixel 3, ao fotografar em RAW, salva um arquivo combinado de 15 imagens sem compactação, que já são arquivos pesados, em segundos. Nisso o P20 Pro fica um pouco atrás… frequentemente vemos avisos pedindo para segurar firme o aparelho. Se o Pixel é fácil de usar, rápido e garantia de boas fotos sem quebrar a cabeça, o P20 Pro e para aqueles que gostam de experimentar na hora de fotografar e também imprimem fotos, devido a resolução maior.

Sabendo disso, qualquer que seja a sua decisão ao escolher um ou outro, será uma ótima pedida.

Gostou desse vídeo?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.