Análise de Produto 432 / 459 vídeos

Xiaomi Redmi Note 5: A.I. ou custo-benefício? [Análise / Review]

10:55 | Por Adriano Ponte | 28 de Setembro de 2018
Tudo sobre

Por mais que possa parecer repetitivo, as fabricantes entraram de cabeça no conceito de câmeras com AI, aplicando traços de inteligência artificial nas capturas feitas pelo usuário. Nesse mote, temos um representante da Xiaomi dentro da linha Redmi Note, e é dele que falaremos nessa análise.

UM NOTÁVEL NOTE SEM NOTCH

Sólido nas mãos, sem dúvidas. Essa é a primeira impressão que temos ao segurar o Redmi Note 5. O corpo é todo em metal, deixando apenas para o topo e a parte inferior as janelas de plástico para os sinais sem fio. O peso de tudo isso é de 181 g.

Na traseira temos o local para a leitura de impressões digitais, como esperado na maioria dos aparelhos Android do momento.

É impossível falar dessa traseira sem comentar sobre o par de câmeras saltadas ligeiramente deslocado para a esquerda, mostrando que tendências de mercado existem e estão presentes mesmo que não façam sentido algum.

Sem brincadeiras, um olhar atento mostra que esse semáforo de trânsito realmente está deslocado, avançando para a curva do corpo do aparelho. Vai precisar de uma capa para proteger essa seção no dia-a-dia de colocar o celular sobre mesas e superfícies, e por sorte há uma inclusa na caixa do Note 5.

Voltando para a frente do modelo temos a tradicional ausência de botões, deixando os controles do Android para botões virtuais.

Na parte de baixo do aparelho temos um desatualizado conector microUSB, mesmo sendo 2018 o ano de lançamento desse Redmi.

DISPLAY + MULTIMÍDIA

É provável que não haja mais volta, visto que telas 18:9 só aumentam de quantidade entre nós, e isso também pode ser dito do Redmi Note 5. Ele conta com um comprido display de 5.99" rodando em resolução de 2160x1080 pixels, fechando em 403ppi de densidade nessa tela.

Temos um painel dentro do esperado para uma unidade IPS LCD, porém com uma nota para o pouco vazamento de luz nas cores pretas, típica fraqueza de telas LCD, dando ao Note 5 uma boa nota no contraste oferecido por sua tela. As cores são equilibradas e dentro do esperado para um modelo da categoria, bem como a legibilidade externa e nível mínimo de brilho excelente para uso em pouca luz (item característico da Xiaomi).

Nada diferente do esperado para um telefone no quesito "som" do Redmi Note 5; temos uma saída única na parte de baixo, sem sons envolventes nem nada do tipo, padrão e comum (mantendo distorções dentro do "OK" para um aparelho compacto).

ESPECIFICAÇÕES

Dentro dele temos um Chipset Snapdragon 636 com destaque para:

  • CPU Octa-core (1.8 GHz) Kryo 260
  • GPU Adreno 509
  • 64 GB (ROM) + 4 (ou) 6 GB (RAM)
  • (ou) 32 GB (ROM) + 3 GB (RAM)
  • + microSD

USABILIDADE + DESEMPENHO

Em vésperas de MIUI 10, temos no Redmi Note 5 a mesma regra para os Xiaomi que mostramos aqui no canal: um sistema altamente customizado, criando um ambiente próprio envolto no Android que conhecemos.

Um ponto curioso é a presença de infravermelho no topo do aparelho, com direito ao aplicativo padrão de "controle remoto universal" já instalado no sistema. Não é novidade, mas sempre vale pontuar esse item nos aparelhos da Xiaomi compatíveis com esse velho truque.

A versão base do sistema no Note 5 é o Android 8 (oreo), base da MIUI 9 (com upgrade para MIUI 10 programado.

Essa é a lógica de optar pelo sistema da Xiaomi, utilizar os recursos e ambiente da ROM, mudando consideravelmente a forma como o usuário utiliza o Android.

Quem prefere a versão limpa do Android não deve optar pelo aparelho; aqueles que optarem pela MIUI notarão um ciclo próprio de updates, trazendo recursos para a ROM sem necessariamente mudar a versão base do Android instalado.

Devemos lembrar que o Redmi Note 5 faz parte da família de aparelhos mais acessíveis e modestos em potência, antes de mais nada. Esse tom de intermediário é reforçado pelo Snapdragon 636, logo espere algo entre 20%~30% de ganho em performance ao optar pelo Note 5 se você já possui um intermediário da geração passada.

Para o usuário sem parâmetros de comparação disponíveis, é simples: você leva potência na medida para bons jogos e boa execução de apps sem engasgos, porém espere algum limite para games mais pesados (baixando um pouco a resolução ou descendo um pouco os quadros por segundo).

É possível fazer de tudo, só tenha em mente que é possível encontrar algum limite em performance para usuários mais exigentes. Simples assim.

BATERIA

Dentro do Redmi Note 5 temos 4000 mAh de bateria (com suporte ao Quick Charge 3.0), sendo assim uma quantia muito bem vinda para qualquer aparelho compacto; outra boa característica é o carregador de 5V (2A) que vem incluso no KIT.

Para quem lembra do memorável Snapdragon 625 (um dos melhores chipsets na relação potência x consumo de energia), temos no Snapdragon 636 sua sucessão, indo para a construção de 14nm (oferecendo mais potência sim, porém mantendo o consumo de energia baixo).

Em nossos testes essa teoria toda se traduziu numa média de 11% de descarga por hora contínua de uso ativo, sendo o pico de consumo de 24% por hora em estresse, com nota para a excelente conservação de carga durante os períodos de intervalo, mostrando que a junção MIUI + Android fazem um excelente gerenciamento de energia no modelo.

É seguro afirmar que quase todos os usuários poderão chegar até o dia seguinte com alguma carga residual no Redmi Note 5, mesmo com grande uso combinado do aparelho.

CÂMERAS

Na câmera principal temos uma dupla de 12 MP (f/1.9) + 5 MP (f/2.0), sendo o segundo sensor para profundidade de campo. A captura de vídeos ocorre em [email protected] (pelo software padrão de captura da Xiaomi).

Aqui temos um resultado equilibrado, com exceção do balanço de branco (que toma ajustes agressivos como padrão). Duas fotos sequenciais podem aparentar bastante diferença em algumas situações.

O HDR e o registro de cores (à parte disso) é eficiente, sem saturação anormal ou tons apagados; isso somado ao pós processamento também equilibrado entrega uma foto final justa, sem muitos artifícios (apesar do menor registro de detalhes).

Essa quantidade de detalhes cai visivelmente em fotos com menos luz, porém deixa sob controle o ruído que seria adicionado ao registro final; o Redmi Note 5 se vira bem no escuro para um aparelho mais simples.

Caso não tenha ficado claro, devemos lembrar que esse aparelho é de ENTRADA, logo as "boas fotos" condizem com "boas fotos" de um aparelho mais simples, logo é necessário "relevar" o desempenho mais fraco. Lembrem que começamos essa seção já citando o balanço de branco aleatório.

Quanto aos curiosos sobre o modo "bokeh" ou "desfoque", naturalmente temos problemas de recorte (como a maioria dos smartphones), mesmo com a presença da segunda câmera.

Na câmera frontal temos 13 MP (f/2.0) com vídeos de [email protected]; igualmente o "bokeh" falha, criando apenas "fotos para Facebook" de qualidade.

Já em uso normal, essa combinação de abertura e resolução resolve bem as fotos frontais, com boa quantidade de detalhes para uma unidade mais simples.

VALE A PENA?

Apesar de não contar com venda oficial no Brasil é relativamente simples encontrar o Redmi Note 5 à venda, com preço flutuando entre R$ 700 e R$ 1.100 (de acordo com a loja, forma de pagamento e tudo mais).

Uma dica para que encontra o mesmo note Note 5 que analisamos é buscar por "Redmi Note 5 AI" com câmera dupla, mesmo sendo essa "AI" mais marketing que de fato um benefício para o usuário, assim como 99% dos aparelhos que tem saído com "AI" (ou seja, inteligência artificial).

No momento temos o seguinte para o modelo, ignorando a parte de "AI": custo-benefício, e dos bons.

Dado o desempenho de intermediário, bateria de longa duração e câmera "sem problemas", dentro do esperado para um aparelho mais acessível (como sempre foi esperado para a linha "Redmi" da Xiaomi),  fechamos assim o Redmi Note 5 como uma das opções mais interessantes para quem não aprova a idéia do Xiaomi Mi A1 (ou) do Mi A2, opções da respeitável linha Android One.

Quem busca opções nacionais pode por valores (quase) similares perder um pouco de bateria e processamento, recebendo em troca telas melhores, mas fica a critério do que o usuário busca.

Para nós, fica aqui aqui nosso único ponto negativo inquestionável: microUSB (e não USB-C), visto que até modelos mais baratos e menos potentes tem saído de fábrica com USB-C; o Redmi Note 5 ainda fará você possuir adaptadores para os cabos de energia.

Mas sabemos que levando em conta o que o Note 5 entrega, isso é um ponto negativo bem pequeno.

Links para comprar a Xiaomi Redmi Note 5 pelo menor preço:

Leia a Ficha técnica do Redmi Note 5

Gostou desse vídeo?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.

Ofertas Redmi Note 5