Análise de Produto 303 / 317 vídeos

Sony Xperia XZ Premium [Análise / Review]

Duração: 12min • 07 de Julho de 2017

Mantendo sua nada bacana marca de um smartphone potente novo a cada seis meses, a Sony repaginou o lançamento de setembro do ano passado e apresentou em fevereiro, com nome de Xperia XZ Premium. Ele tenta, mais uma vez, emplacar tela 4K e, pela primeira vez no Brasil, não tem preço astronômico como principal recurso. Será que, agora, vale? 

Olá, marcas de dedos

Não é de hoje que você olha para um smartphone e consegue identificar a marca, ou mesmo a linha de um modelo, apenas pelo visual. Apple consegue fazer isso e a Sony também tem feito bem, com o design OmniBalance. Isso significa que o smartphone é quadradão, com botão de liga/desliga e leitor de impressões digitais na lateral e a capacidade de ficar de pé, sem qualquer apoio. Bem parecido com muitos lançamentos recentes da própria marca.

Pessoalmente, eu acho que a lateral é o melhor para qualquer leitor biométrico. Fica ao alcance do dedão nos destros e do indicador nos canhotos, deixa a frente do aparelho livre para mais tela (por mais que isso não aconteça por aqui) e está perto até mesmo para quem deixa o smartphone na mesa por mais tempo, como eu.

O Xperia XZ Premium não foge, nem tenta fugir, desta regra de design e é bonito. O conjunto de metal com vidro encaixa bem no dispositivo, que agrada até ao olhar mais conservador. Mas...a beleza passou um carrinho na comodidade e a pegada por aqui é péssima.

A lateral tem a mesma estrutura da parte da frente, o que significa que o local onde deveria ser menos escorregadio, escorrega tanto quanto qualquer outra parte do celular. E ele escorrega muito. Parado, numa superfície lisa, ele escorrega até mesmo sem receber alguma chamada ou notificação. E, além disso, quantas marcas! É só limpar o vidro e ele ganha marcas de dedo automaticamente. Num ciclo vicioso e sem fim.

Deixando de lado estes dois pontos, bastante negativos, temos uma lente de 19 megapixels que só tem o aro saltado para evitar riscos, USB-C na parte inferior e alto-falantes estéreo para frente. Na melhor posição possível. O motivo? Já já te explico.

Ah, um extra: a entrada de fones de ouvido continua por aqui. Nada de modinha de sair arrancando este conector. Parabéns, Sony!

Bordas grandes

Se uma coisa vem mudando no design dos dispositivos deste ano, é a tela. Samsung, LG e Xiaomi já apresentaram soluções que aproveitam mais da frente do celular e mostram mais conteúdo. A Sony não. As bordas laterais são finas, mas o topo e na parte inferior, imensas!

É isso que eu quero de um celular: tela enorme (mostrar o S8). Não isso (mostrar o Xperia XZ Premium).

Deixando de lado a parte de ergonomia, o display trabalha com maestria. São 5.46 polegadas em resolução 4K. Diferente da geração passada, o Xperia XZ Premium exibe os 3840 x 2160 pixels o tempo todo. Isso vale tanto para vídeos que são gravados em 4K, como outros em resolução menor e até mesmo pra tudo. Apps, jogos, menus, tudo.

De forma geral, a tela é uma das melhores do mercado, perdendo apenas para a saturação elevada e contraste superior dos painéis AMOLED. O lado positivo é que é possível, dentro dos menus, ajustar alguns detalhes e tornar as imagens mais intensas, simulando assim uma tela AMOLED.

O resultado pode e vai depender das suas escolhas destes menus, que podem até alterar as cores no balanço de branco. No padrão, com tudo pro meio, cores são vivas e ângulos de visão são imensos. Por conta da resolução cavalar, é impossível notar qualquer pixel que está formando a imagem da tela.

Lembrando que a qualidade da imagem não passa apenas pela resolução, que após Full HD, fica imperceptível quando você não está com um óculos de realidade virtual. Os avanços por aqui tendem a funcionar graças aos truques da Sony, com base nas tecnologias chamadas de Triluminos Display e X-Reality Engine.

A resolução absurda, com sua densidade de 807 pixels por polegada, é só a cereja do bolo.

Especificações

Como estamos com o melhor da Sony para este semestre, temos o melhor do hardware atualmente. Resumindo: o Xperia XZ Premium conta com um Snapdragon 835, 4 GB de memória RAM e 64 GB de espaço interno. Que pode crescer com mais 256 GB extras de um microSD.

- Snapdragon 835
- Octa-core (4x2.45 GHz Kryo e 4x1.9 GHz Kryo)
- GPU Adreno 540
- 4 GB de RAM
- 64 GB de memória (49,92 GB livre)
- Android 7.1.1

Desempenho para tudo, com o pé nas costas

Se você tem o melhor hardware disponível para Android, naturalmente o desempenho surpreende. E, sim. O Xperia XZ Premium voa e não consegue sequer engasgar, mesmo com grande quantidade de apps abertos ao mesmo tempo. Muitos.

Junte isso com um Android que vem entulhado de pouco lixo, de apps pré-instalados que você nunca pediu, e o desempenho agrada a qualquer um. Sim, alguns deles estão por aqui, como o AVG, atalho para o blog Sony Xperia, app da Amazon e até mesmo clientes diferentes para álbum de fotos e tocador de músicas.

Felizmente a maioria pode ser removida da sua frente, infelizmente não desinstalados. Mas, de qualquer forma, alivia o peso no sistema operacional. Ainda está longe de apresentar o avanço que foi a TouchWiz ou do case de sucesso que é a Motorola, mas não fica nem sequer perto de pesos pesados, como a ZenUI.

Alguns truques na manga são úteis, com destaque para o puxar de tela, para baixo, a partir de qualquer lugar (que não seja na barra de notificações) e você pode buscar conteúdo de todo o smarphone. Outro, para os amantes do Android puro, é que o Google Now está logo ali. É só puxar a tela exatamente da mesma forma como no Google Now Launcher.

Para o desempenho em jogos, bem...você pode rodar qualquer coisa que quiser da Play Store e o Xperia XZ Premium não vai travar. Tentamos os pesados Breakneck, Asphalt Extreme e Unkilled, nenhum deles sentiu qualquer dificuldade para rodar bem. Com tanto hardware, este smartphone lida com games pesados com os pés nas costas.

E, em jogos, é onde você percebe que a localização dos falantes é muito boa. Como ambos estão virados para frente, você dificilmente abafa um deles com as mãos. Além disso, o som estéreo é mais envolvente e mais alto do que falantes que ficam nas bordas dos smartphones.

Câmeras

A Sony é uma das mais populares e famosas empresas criadoras de sensores para uma infinidade de clientes, como iPhones e Galaxies. O problema é que ela esquecia de fazer boas câmeras para seus próprios celulares.

Parece que o Xperia XZ Premium mudou a regra e fez a marca conversar mais entre suas divisões. As fotos dele são incríveis. Abaixo dos resultados fabulosos do Galaxy S8, mas bem perto disso.

Com um sensor de 19 megapixels e abertura de f/2.0, ele não tem a lente mais clara do mercado e a foto nem sempre cria um efeito buquê, ou de fundo embaçado, com facilidade. Mas faz bem a média das fotos. Imagens tiradas em boas condições de luz exibem detalhes visíveis com facilidade, lidando de forma satisfatória com grandes contrastes.

Nas fotos noturnas ainda sofre um pouco mais, já que a lente mais escura, de f/2.0, precisa aumentar a ISO para compensar a baixa luz. Isso gera imagens com uma proteção do granulado, que pode deixar alguns cantos mais embaçados do que deveriam estar. Outra forma de contornar este problema é aumentar o tempo de exposição, algo que deixaria as fotos mais borradas. Ao menos esta última estratégia não foi utilizada na maioria das fotos noturnas que tirei.

O grande trunfo fica na capacidade de filmar em câmera lenta. Ele consegue filmar em até 4K com 30 quadros por segundo, mas é nos 720p que o número impressiona. O Xperia XZ Premium registra pouco menos de um segundo em 960 quadros por segundo. São 32 vezes mais lento do que um vídeo normal.

O resultado é divertido e muito detalhado, mas exige que você faça os clipes em luz solar abundante. Mesmo no escritório, com todas as luzes acesas, parece que filmamos em meia luz.

A magia da super câmera lenta acontece com o apoio de memória extra apenas para o sensor de imagens, que utiliza uma parte de um vídeo capturado em 30 quadros por segundo, para deixar tudo lento. Até dá pra filmar apenas em 120 fps, mas os 960 quadros passando bem lentamente são bem melhores. Mesmo com a qualidade final do vídeo bem baixa.

4K precisa de mais bateria

Ter uma tela de alta resolução significa que ela gosta de consumir muitos elétrons. Sim, gosta. Utilizando o smartphone como meu aparelho pessoal por alguns dias, notei que era possível chegar ao final do dia com aproximadamente 20% de energia. O uso foi de algumas horas escutando música via streaming, vídeos ocasionais com upscalling para 4K, conectado ao 4G durante todo o tempo e algum Wi-Fi também, junto de Bluetooth ligado o tempo todo para alimentar as notificações de um smartwatch. Junte isso com jogos, navegação com o Google Maps e tela ligada por quase que quatro horas.

Chegou a me surpreender, mas notei que a tela poderia ser a vilã. Em nosso teste de reprodução de vídeo do YouTube com o brilho no máximo, no Wi-Fi, consegui 20% de descarga de energia por hora. O que deixa claro que, ter tela 4K, tem seu preço e ele é alto. Alto demais para os 3.230mAh de capacidade da bateria.

Vale a pena?

O Xperia XZ Premium entra na lista semestral de lançamentos da Sony. Continua confundindo o usuário, que fica sem saber se vale a pena comprar agora, em julho, ou se espera dois meses e conhece o novo Xperia parrudo. Ao menos uma lição a Sony aprendeu, cobrar mais caro e não entregar nada extra, como vinha acontecendo nos últimos anos, não funciona. A participação de mercado chegou em patamares tão pífios, que o Xperia XZ Premium teve que reverter a situação.

Ele ainda é caro, mas chegou com hardware de ponta, memória interna pomposa e câmera lenta bastante interessante, custando a mesma coisa que o preço de lançamento dos principais concorrentes: S8 e G6. O que deixa a vida da LG ainda pior, não é?

Hoje, se você olhar no mercado, já dá pra encontrar o Galaxy S8 por R$ 3 mil, R$ 1 mil mais barato que o Xperia XZ Premium. O G6 desvalorizou muito mais, podendo ser encontrado por preços que giram nos R$ 2,5 mil, só que ele tem um quarto da memória interna e vem com um Snapragon menos poderoso.

Pensando nestes concorrentes, se for com o meu dinheiro, o meu investimento e eu não prestar tanta atenção na câmera lenta, fico com o Galaxy S8. Se você curtiu a câmera lenta e o visual mais sóbrio do Xperia XZ Premium, com 4K o tempo todo na tela...ele realmente vale o investimento. Principalmente agora, que a Sony abandonou a péssima estratégia de vender mais caro do que todos os concorrentes.