Análise de Produto 467 / 532 vídeos

Samsung Galaxy S10e: premium mais "acessível" [Análise / Review]

12:18 | Por Wellington Arruda | 18 de Março de 2019
Tudo sobre

Saiba tudo sobre Galaxy S10e

Ficha técnica

Quando os Galaxy S10, S10e e S10+ chegaram aqui pra gente o meu primeiro pensamento foi: “ok, o S10e é o mais legal de todos eles”. E, num primeiro contato, boa parte das pessoas também acharam isso.

Ele tem design em vidro e metal lateral nas laterais, tudo com 150 gramas. A reação dos meus amigos foi a mesma da minha, sobre o quão leve ele é. O S10e conta com saída dupla de som, entradas P2 e USB-C, além do slot híbrido (microSD de até 512 GB).

O Galaxy S10e tem Gorilla Glass 5 nos dois lados – os S10/S10+ têm GG6 na frontal –, e queremos destacar que os seus botões de volume se sujaram muito rápido nesta unidade que testamos. Eles ficaram “emperrados” e sem o “clique” natural. Como há certificação IP68, colocamos essa área em contato com a água e tudo voltou ao normal. Tá tudo bem.

Esse aqui, então, seria a resposta direta ao iPhone XR. São 5,8 polegadas com resolução Full HD+*, mas sem os cantos arredondados. O ‘Painel Edge’ está aqui com os atalhos na lateral, porém sem os incômodos reflexos da luz solar ou dos toques acidentais.

Por ser menos tecnológico, digamos assim, o S10e também não tem o leitor biométrico ultrassônico no display, mas sim na lateral direita, onde está o botão de energia. Uma das vantagens disso é ser muito mais rápido do que no S10/S10+, e ele também serve para puxar a ‘Central de Notificações’.

A experiência de uso desse modelo é muito semelhante a do S10 tradicional. Só que é possível usar o S10e com apenas uma das mãos sem atacar a tendinite, e ele não incomoda tanto quando está no bolso.

A propósito, a capinha que é enviada com este modelo apresenta boa qualidade. A menos que você tenha aquela fobia de buracos. Aliás, ela NÃO PARECE aquela capinha do iPhone 5C?

Continuando, o S10e tem o mesmo AMOLED Dinâmico dos seus irmãos, então é fácil perceber o alto nível de brilho e cores vibrantes na tela dele. A proporção também é 19:9 e, assim como nos outros, ele tem um “furo” no display para abrigar a câmera de selfies.

Já falamos que esse “furo” na tela é menos incômodo do que o notch/entalhe e também atrapalha menos no conteúdo, mas não é imperceptível. O S10e também traz HDR10+ e o modo Always-on com atalhos por toques. A propósito, o motor de vibração dele, ainda que seja uma diferença beeem perceptível só por quem já usou os outros modelos, é menos intenso neste aqui.

Nas especificações o S10e tem, basicamente, os mesmos itens dos seus irmãos. A versão que chega aqui para nós tem 6 GB de RAM e 128 GB de memória. Aqui no Brasil, ele também vem com chip Exynos 9820*. As especificações completas do Galaxy S10e você encontra na sua Ficha Técnica; o link está na descrição.

Em especificações o S10e não desaponta, mesmo com 2 GB a menos de RAM que seus outros irmãos. Neste caso, uma diferença de desempenho é que ele não pode usar o modo DeX sem aquele acessório adicional, algo que estreou no Note9.

De resto, o S10e vai ter desempenho tão fluido quanto os outros S10. A multitarefa dele é forte e você consegue, entre outros, trabalhar com o dispositivo sem se preocupar com quedas de desempenho. Os jogos pesados, sejam shooters ou de corrida, também funcionam muito lisos e com gráficos suavizados. A taxa de atualização da sua tela é de 60Hz.

Ele vem com Android 9 Pie e traz a One UI, nova interface da marca. Ela está mais limpa, traz novos gestos para navegação, a possibilidade de reduzir animações do sistema e está muito fluida. Tem também o botão Bixby, que pode ser remapeado mas não substituído por outro assistente virtual mais funcional (e em português).

Sendo assim, com desempenho muito bom, display de alta qualidade, design elegante e cheio de recursos, o S10e é, de fato, um smartphone interessante. Mas isso até chegar na bateria. O celular tem 3.100 mAh, contra 3.400 mAh/4.100 mAh do S10/S10+, ou 100 mAh a mais do que no S9, que tem o mesmo tamanho de tela e desempenho similar.

O celular foi capaz de cumprir aquele velho período de um dia inteiro de uso, mas não como os seus irmãos. Conseguimos fechar 12h de uso com 4h de tela; ou 16h de uso com 4 de tela; ou 24 horas de uso… com cerca de 4 horas de tela.

Mesmo com resolução abaixo dos 1440p, o dispositivo não tem consumo diário reduzido, mas você pode apelar para o modo noturno ou para os de economia.

O resumo disso é que se você for um usuário intenso ou que precise trabalhar com o celular, pode precisar de uma nova carga já pela tarde, mesmo saindo de casa com 100% ou 90% de bateria pela manhã. Se você se considera mais casual, vai conseguir, sim, passar um dia todo com ele funcionando.

Em testes de estresse com vídeos online, por outro lado, a descarga média foi de 8%/hora, contra 9%/hora do S10, o que configura um belo desempenho para quem consome conteúdo multimídia.

A propósito, ele também conta com o Wireless PowerShare, capaz de carregar por indução outros dispositivos compatíveis. O recurso é lento mesmo, mas pode dar uma leve ajuda a um amigo ou para carregar dispositivos menores, como os Galaxy Buds.

Outra diferença do S10e para os S10 é que ele tem uma câmera a menos, ou ‘câmeras’ a menos se comparado ao S10+. A principal dele tem 12 MP (f/1.5 - f/2.4) com Dual Pixel PDAF, estabilização óptica e ângulo de 77°; e o novo sensor ultra-wide com ângulo de captura de 123° tem 16 MP (f/2.2) e foco fixo.

Ele também pode gravar em 2160p com 60 fps, tem o modo Super Steady de estabilização, grava em HDR10+ e com os modos de câmera lenta, mas também tem o ‘Otimizador de Cena’ que foi estreado nesta nova geração. O modo de ‘Cena Noturna’ dele pode não ser funcional como no Pixel 3, então o mais ideal é apelar para o sensor com lente variável.

As câmeras desse modelo têm a mesma qualidade dos seus irmãos mais velhos, mas sem o adicional do sensor com zoom óptico de 2X. Em todo caso, a câmera principal e a secundária de ângulo aberto fazem um belo trabalho. E, se você prefere uma lente aberta no lugar da telefoto, esta é uma bela opção de, em todo caso, guardar um dinheirinho e ter em mãos um bom smartphone para fotografias.

Mas saiba que o desempenho para fotos noturnas dele não será tão excelente. A câmera ultra-wide é a que mais sofre nestas situações. Por outro lado, o S10e ainda faz um bom trabalho com fotos em locais abertos, tal qual o S10/S10+.

As selfies também ficam por conta de uma câmera, com 10 MP (f/1.9), PDAF e gravação de vídeos em 2160p. Ele faz fotos tão boas quanto o S10 comum, com uma certa preservação de detalhes e coloração. Mas… ela ainda continua com aquela suavização de pele, o que também acontece com a câmera principal.

No geral, o conjunto de câmeras do S10e é mais “tímido” por não ter uma terceira câmera na traseira, e a frontal que é dupla no S10+ pode capturar mais detalhes de profundidade de campo. Mas são as câmeras principais do S10, e com melhorias em relação ao S9.

O S10e vem como opção ao S10 e S10+, concorrendo diretamente com outros celulares de tamanho reduzido. Ele, por exemplo, pode ser uma bela opção para quem já possui um Galaxy S9 e pretende entrar na nova geração sem gastar tanta grana assim. Certamente, ainda assim, R$ 4.299* não é um valor baixo.

Se você é do tipo que quer, de qualquer jeito, ter os principais recursos e novidades dessa linha, pode ser mais valioso investir em um S10 no lugar do S10e. O aparelho não traz, além do leitor ultrassônico, a câmera extra e sua bateria é menos confiável. Ele também deixa de lado os sensores de frequência cardíaca ou SpO2 (oxímetro), o que para muita gente pode não ser um grande diferencial.

Ah, e é claro, o leitor facial dele é tão fraco quanto o presente no S10 ou S10+. Ele foi burlado, em nossos testes, com um simples vídeo da face cadastrada. O sensor de íris (além do LED de notificação) saiu dessa geração por não ser tão prático e porque não há mais espaço ali no topo.

De qualquer forma, dentre as caras opções do S10, o S10e pode ser o mais legal, mesmo, por ser um compacto com os recursos dos seus irmãos mais potentes. Por outro lado, se você ainda quer uma opção boa da Samsung, é recomendado dar uma olhada nos valores atuais do Galaxy S9.

No S10e, por outro lado, você terá LTE (2.0Gbps) e Wi-Fi 6, que são ótimos recursos para quem trabalha remotamente. E ele também tem cores extras que não estão disponíveis nos outros S10.

Gostou desse vídeo?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.

Citadas no Vídeo