Análise de Produto 437 / 532 vídeos

Análise | Apple Watch Series 4

11:49 | Por Wellington Arruda | 15 de Outubro de 2018
Tudo sobre

Saiba tudo sobre Apple Watch Series 4 (44 mm)

Ficha técnica

No finalzinho da nossa análise do Apple Watch Series 3 eu cheguei a dizer que entre ele e o Series 2 não houve uma mudança daquelas. Mas, desde o seu lançamento, o Watch agora atingiu mais maturidade e ganhou muito espaço.

Ele ainda não elimina a necessidade de usar um iPhone, mas ganhou melhores opções de conectividade. E também atualizações nos sistemas de rastreamento de atividades físicas e sensores voltados à saúde.

Mas, antes da gente falar da tela, do software, da Siri e tudo mais, é preciso dizer algumas coisas:

Esse aqui é o modelo GPS. O modelo LTE vem com um círculo vermelho na coroa lateral.
O recurso de ECG ainda não está disponível. A Apple cita que ele será liberado até o final do ano.

Apple Watch Series X

O Apple Watch Series 4 é muito parecido com o iPhone X/XS, que já era parecido com os outros Apple Watch com essa construção em aço inoxidável. A não ser pelo fato do relógio não ter um notch, aqui podemos imaginar até como seria um iPhone “sem bordas”.

Esse aspecto do novo relógio é o mais atraente. O display OLED de tamanho maior exibe mais informações e traz uma característica mais imponente. Mas, claro, uma série de outros relógios inteligentes trazem uma tela assim, e com formato arredondado, também, que muita gente prefere.

Só que o design da nova geração, em relação aos outros Apple Watch, acaba fazendo mais sentido, e você consegue usar as pulseiras anteriores nesse novo modelo. Vale notar que o microfone dele fica localizado entre os dois botões, e a saída de som fica no outro lado.A coroa para controle do sistema, agora, tem sensação tátil, e isso é bem legal.

Outra mudança bem-vinda no hardware foi a adoção de alto-falantes mais potentes. O áudio em chamadas é alto e claro, mas isso também traz vantagens para o novo recurso de walkie-talkie. É… esse não é um recurso super empolgante, eu sei, mas ele pode facilitar a comunicação, mas só se os seus amigos tiverem um Apple Watch.

Mas, é óbvio: a tela do Watch cresceu e é quem chama mais atenção. Esteticamente falando, o tamanho também avançou: o Series 4 tem 42mm ou 44mm, diferente dos 40mm e 42mm do modelo anterior. Ah, e ele ficou um pouquinho mais fino: são 10.7mm contra 11.4mm de espessura do Series 3.

Na parte interior da caixa, que é de cerâmica e cristal de safira, a Apple também usa uma nova geração de sensores, que se parecem com uma Pokébola. Ou será que eu estou vendo coisas demais?

A propósito, aproveitando que estamos falando do design, o botão de liga/desliga, que também é o de multitarefa, tem uma sensação mais uniforme com o corpo do relógio.

A tela do Series 4 tem área de visualização de 977 mm², com resolução de 368 x 448 pixels. Ela também mantém o Force Touch para as funções, mas o legal mesmo é ter mais informações. Os novos mostradores (Infograph) até podem ser confusos no começo, mas se você der uma chance eles podem ser bem úteis.

Ele sabe…

Detector de quedas, início de monitoramento de atividades automaticamente.} Ele sabe…

O Series 4 sabe muito sobre você. Se você quiser falar com a Siri, basta elevar o pulso até a altura da boca e começar a falar, sem precisar apertar nenhum botão. Aliás, não se assuste se você fizer isso e começar a falar sozinho, porque vez ou outra pode ser que o recurso não funcione.

Ele também sabe quando você começa uma atividade física mas sem selecionar nada. Se, por exemplo, você andar por 15 minutos, ele vai detectar uma caminhada leve. Se você começar a correr, ele também vai detectar isso e começar a fazer o monitoramento dessa atividade.

No aplicativo Exercício, você pode selecionar alguns como uma caminhada, corrida ou pedalada ao ar-livre, tem a “bicicleta interna”, o remo, trilha, ioga e o nado, que pode ser rastreado tanto em piscinas quanto em locais abertos.

O Series 4, assim como o Series 3, tem resistência a água numa profundidade máxima de 50 metros, mas não deve ser usado para “mergulho, esqui aquático ou outras atividades que envolvam velocidade na água ou submersão mais profunda.” Palavras da própria Apple.

Sabe outra coisa que ele sabe? Se você caiu. É isso aí mesmo. O Series 4 tem um detector de quedas que já vem habilitado para usuários com 65+ anos. Se você tem menos que isso, basta ir no menu SOS de Emergência e ativá-lo.

Nós não conseguimos comprovar como isso funciona, mas a análise da Joanna Stern, do WSJ, foi feita com dublês profissionais para ilustrar o recurso, e ele parece bem inteligente: ele pode, automaticamente, detectar um tombo forte e ligar para a emergência, mas você também pode dizer “ei, eu caí mas passo bem”.

Ele vai aprendendo de acordo com a frequência de suas atividades físicas, então se nos próximos dias a gente se estatelar no chão e ele identificar algo irregular, avisaremos no texto que está no Canaltech.

Esse recurso, em partes, é permitido por causa do novo processador S4 (dual-core) de 64 bits. Esse também é um esforço do novo acelerômetro, que está mais preciso. O Watch ainda conta com o chip W3 para permitir conectividade veloz e Bluetooth 5.0, além do NFC para pagamentos com Apple Pay. Ainda em tempo, ele tem 16 GB para armazenar dados, mídias e aplicativos.

Um outro recurso legal é como a sua frequência cardíaca é controlada. Ele exibe informações sobre a situação média durante as atividades enquanto faz a leitura, e também mostra um gráfico de como você vem se comportando no seu dia. Isso é bom pois cria um parâmetro, e então você pode tomar métricas mais precisas.

Ele também traz uma função que detecta quando seus batimentos estão altos ou baixos, considerando a média, e envia uma notificação informando isto. Nós não presenciamos esse fenômeno, o que eu ESPERO que seja algo positivo.

Então, assim, o Series 4 acaba sendo um ótimo produto para quem quer fazer acompanhamento médico e também das atividades físicas, mas ele não substitui uma avaliação profissional.

O Series 4 tem navegação muito fluida e, podemos dizer com facilidade, que ele trabalha sem demonstrar sinais de preocupação. Diferente do primeiro Apple Watch, o atual tende a ser mais confiável para o monitoramento de suas atividades e saúde, mas ainda é preciso entender que ele é apenas um gadget, não um profissional grudado no seu pulso.

Ele vai te incentivar a fazer exercícios, a levantar da cadeira (com base nos horários de suas atividades) e ainda oferece uma ótima experiência para responder mensagens rapidamente, atender e realizar chamadas, controlar suas músicas e muito mais.

Só que… você ainda precisa de um iPhone. E a Siri vem melhorando cada vez mais, mas ela só vai fazer o básico do básico por você no relógio da Apple. Aliás, outro incômodo é o seu brilho. Ele é forte e deixa as infos legíveis, mas de noite se a tela acender do nada na sua cara é bem provável que você solte um “cacete, que porra é essa”.

O julgamento, então, considerando que o Apple Watch é o relógio inteligente mais vendido da atualidade, não é errado. O relógio é bom, o watchOS 5 trouxe uma série de novos recursos e, de fato, este é um dos produtos mais legais que a Apple já lançou. Só que… ele ainda é um relógio, e todos estes sensores e tecnologias realmente excluem um pouquinho essa característica.

Não nos entenda errado, estamos falando da bateria. Mas, antes, aqui um questionamento: cadê o modo always-on? Eu só queria ver a hora sem mexer o pulso, ou tocar na tela dele, ou pressionar um botão. Fazer isso no meio do metrô lotado é um negócio muito, mas muito chato.

Agora, sobre a bateria, se você tem uma base de um dia de uso em mente, vá em frente, não há decepções. Mas, no caso, como estamos falando de um relógio, certamente esperávamos por muito mais do que isso. Normalmente saindo de casa com 80% de carga, ele segura até a noite numa boa, e ainda pode sobrar um pouquinho de energia.

Se você já sai com metade dessa carga, vai precisar de uma nova no meio da tarde. Estes são resultados nada empolgante, e pouquíssima coisa diferente do Series 3.

Vale a pena?

Sinceramente falando, vale a pena o novo Apple Watch Series 4. Mas só se você estiver disposto a sair do Android para usar um iPhone. Se você já tem um iPhone e um Apple Watch anterior, provavelmente também tem uma graninha, então eu diria que o esforço para fazer um upgrade também é válido.

Agora, se você quer um relógio inteligente para contar seus passos, fazer leituras cardíacas e, no caso, mostrar a hora por MUITO mais tempo, existem trocentos modelos como opção.

Uma outra coisa: o Series 3 ficou mais barato, enquanto que o Series 4 tem valor inicial de US$ 399. Agora, pessoalmente falando, gastar essa “graninha” em um relógio é algo que vai depender muito de cada usuário, e o meu fim de mês normalmente me fala para fugir dessas coisas e sobreviver com que o dá.

Gostou desse vídeo?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.