Vero Internet quer investir R$ 750 mi para dominar pequenas cidades do Brasil

Por Wagner Wakka | 29 de Julho de 2019 às 09h18
Divulgação/Vero Internet

Uma nova provedora de internet por fibra quer tomar o mercado de pequenas e médias cidades do Brasil. A Vero é uma nova companhia formada pela junção de oito provedoras de internet, atualmente atuando em 39 cidades do interior de Minas Gerais. Ela promete investir R$ 750 milhões para fazer esse número crescer para 200 nos próximos cinco anos.

A Vero nasceu por investimentos da Vinci Partners, gestora de recursos na casa dos R$ 26 bilhões. A investidora é quem vai bancar os R$ 750 milhões da expansão, dinheiro que a torna sócia majoritária no negócio.

A Vero comprou a BD OnLine, NWNet, Efibra, PowerLine, G4 Telecom, Viaceu, ViaReal e City10. Todas companhias com atuação no centro-oeste, sudeste e sul de Minas.

"A tese em que a Vero está pautada é a de que vai haver uma consolidação do mercado de pequenos provedores espalhados pelo Brasil para criar um provedor de médio a grande porte, para ter escalabilidade, melhor governança, melhor poder de negociação no mercado”, explica o presidente da Vero, Fabiano Ferreira, em entrevista ao Canaltech.

A ideia de comprar as oito operadoras de uma vez veio da facilidade. As empresas já trabalhavam juntas, chegando a formar uma holding em 2016. No ano seguinte, buscaram investimentos para crescer, quanto entrou a Vinci para bancar o projeto.

Ferreira enfatiza que o modelo de negócio não é chegar às cidades grandes. O filão aqui é exatamente o mercado de pequenas e médias cidades. Com a aquisição, a Vero passou a atuar em 39 cidades, com 150 mil clientes e 700 funcionários.

Uma das propostas é expandir para fora do estado de Minas. Até o final do ano, haverá mais 10 cidades com disponibilidade de internet da Vero, sendo que o ano que vem já deve marcar a expansão da companhia para outros estados.

"O foco da Vero é no interior do país, isso é importante destacar. A expansão vai acontecer para fora do estado, mas sempre mirando em cidades pequenas e de médio porte. A gente não quer entrar em cidades grandes, não é o nosso objetivo, não é onde a gente enxerga uma grande oportunidade de crescimento do negócio”, aponta o presidente ao Canaltech.

presidente da Vero, Fabiano Ferreira (Foto: Divulgação/Vero Internet)

Segundo a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), em março de 2019 o Brasil registrou 31,4 milhões de acessos em banda larga fixa. Desse total, 6,7 milhões eram de provedores regionais. A penetração da banda larga no Brasil é de 45%, ou pouco mais de 30 milhões de acessos.

Assim, no médio prazo, há espaço para 15 milhões de novos usuários em cinco anos, avalia Fabiano Ferreira. Mas já houve um crescimento de 276% da banda larga fixa no Brasil de 2007 e 2018.

Gestão 

A compra das oito empresas cria para a Vero uma força mais de negociação, mas custa à companhia perder o seu caráter local. Ferreira aponta que a proposta de gestão é exatamente segurar o que uma empresa regional tem de bom: a proximidade com o cliente e o tempo de resposta para solução de problemas.

Com autonomia, as empresas conseguem resolver as questões dos clientes de forma mais rápida. Segundo a Vero, os provedores locais têm uma taxa de 70% de solução de problemas em até 24 horas.

"Algo que é superimportante é que essas empresas nascem com a característica de ter um alto índice de satisfação porque o serviço é de baixo índice de problema; quando ele acontece, o cliente é atendido de uma maneira muito rápida. É algo que a gente realmente valoriza nesses provedores locais. Então, a ideia é ter uma empresa nacional com gestão e qualidade regional”, aponta Ferreira.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.