Serviços de telecom também são afetados pela paralisação dos caminhoneiros

Por Jessica Pinheiro | 28 de Maio de 2018 às 10h40
DepositPhotos/BrianAJackson

Com a greve dos caminhoneiros bloqueando as principais rodovias do Brasil desde o meio da última semana e o desabastecimento de combustível e de outros produtos, dentre eles alimentos; eis que a Claro foi a primeira telecom a alertar a população sobre o comprometimento de seus serviços.

Em comunicado enviado à imprensa, a operadora alega que os serviços de manutenção de rede e atendimento residencial aos seus assinantes podem ficar temporariamente comprometidos. A companhia está aguardando que o governo e os caminhoneiros cheguem a um acordo para que estes encerrem as paralisações.

Em nota, a Claro também se desculpou e se solidarizou com seus clientes, além de se comprometer a recuperar o tempo perdido, retomando os agendamentos previamente feitos e agilizando as manutenções assim que a situação estiver normalizada.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Entenda a greve

Espera-se que o fim do ato dos caminhoneiros ocorra nesta segunda-feira (28), após oito dias de greve. Com o assunto finalmente resolvido e as medidas provisórias publicadas na edição extra do Diário Oficial, a situação nas principais rodovias do país deve se normalizar ao longo do dia. A expectativa é que o país volte a "funcionar" normalmente em até uma semana.

Neste domingo (27), o presidente Michel Temer (MDB) fez um pronunciamento falando sobre a lista de concessões aos caminhoneiros; o presidente também detalhou as medidas provisórias com o intuito de atender às demandas da categoria. Os caminhoneiros já tinham se deparado com uma proposta na última quinta-feira (24), mas a negaram por estarem insatisfeitos com as medidas oferecidas.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.