Serviço de internet via balões Loon, da Alphabet, é descontinuado

Por Rubens Eishima | 22 de Janeiro de 2021 às 12h40
Divulgação/Loon
Tudo sobre

Alphabet

Saiba tudo sobre Alphabet

Ver mais

A Alphabet — empresa proprietária do Google — já começou 2021 mantendo a tradição de cancelar projetos e produtos. Três dias após o desligamento do serviço App Maker (que teve fim anunciado há um ano), a empresa anunciou o fechamento do projeto Loon, que desenvolvia um sistema de acesso à internet oferecido por balões na estratosfera.

O projeto nasceu para responder às necessidades de conexão em regiões remotas, onde não apenas é economicamente inviável instalar uma infraestrutura de comunicação, como às vezes quase impossível.

No anúncio do fim das operações do projeto, os responsáveis afirmaram que não encontraram formas de criar um negócio sustentável com base na tecnologia desenvolvida, apesar das parcerias firmadas ao longo dos últimos anos.

Uso de balões permitia conectar regiões remotas ou afetadas por tragédias (Imagem: divulgação/Loon)

A proposta do Loon envolvia utilizar balões voando por longos períodos na estratosfera, ampliando a cobertura de acesso à internet. A estrutura foi testada em caráter emergencial, após um terremoto no Peru e um furacão em Porto Rico, nos quais as operadoras de telefonia tradicionais perderam a capacidade de oferecer acesso.

A tecnologia se desenvolveu até chegar a um sistema que poderia ficar no ar (literalmente) por centenas de dias, oferecendo uma cobertura de sinal celular para uma área de aproximadamente 11.000 quilômetros quadrados, muito mais do que uma antena de telefonia.

Antenas nos balões ofereciam conexão celular tradicional (Imagem: divulgação/Loon)

O projeto desenvolveu ainda sistemas para gerenciar diversos balões simultaneamente para trocar dados entre eles, algo semelhante à técnica empregada pela constelação de satélites Starlink, desenvolvida pela SpaceX.

Com o desligamento do Loon, o projeto de internet espacial de Elon Musk surge como uma das principais soluções para oferecer acesso à rede em lugares remotos. No caso do Starlink, porém, não basta ter um celular com conexão 3G/4G, é preciso utilizar uma antena de comunicação semelhante às usadas pela operadora de TV Sky no Brasil.

Fonte: Loon

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.