Cabo de fibra óptica entre Brasil e África começa a ser instalado

Por Redação | 09 de Agosto de 2017 às 18h52

Começou nesta quarta (9) a travessia do cabo que ligará o Brasil ao continente africano para impulsionar as comunicações digitais globais. A Angola Cables é a operadora de telecom responsável pela instalação do cabo de fibra óptica SACS (South Atlantic Cable Sytem), que parte da costa de Angola e é o primeiro cabo a conectar a cidade brasileira de Fortaleza a Luanda.

Ao todo, o processo de instalação do cabo até chegar à costa cearense levará cerca de quatro a cinco meses, sendo que o cabo terá capacidade de pelo menos 40 Tbps em 6 mil quilômetros de extensão. A transmissão dos dados é feita em até 63 milissegundos — mais rápido do que um piscar de olhos.

Para a companhia, “a instalação do SACS em alto mar irá envolver a participação de engenheiros, profissionais de TI e mergulhadores profissionais para que o cabo seja realmente fixado com a segurança em solo marítimo”. Atualmente, a Angola Cables conta com outros dois grandes projetos no Brasil, além do SACS, totalizando US$ 300 milhões em investimentos.

Um deles é o cabo Monet, que ligará Miami a Santos e começará a operar no último trimestre de 2017; enquanto o outro projeto é a construção de um Data Center internacional em Fortaleza, que será um agregador de cabos submarinos de fibra óptica. Ainda em construção, a instalação começará a operar no primeiro semestre de 2018.

Assim que toda a rede estiver concluída, a previsão é de transformar a telecomunicação global, já que a troca de dados entre os continentes será muito mais rápida, levando cinco vezes menos tempo do que atualmente. “Angola está cada vez mais próxima de se tornar um dos principais centros das telecomunicações da África subsaariana, e os cabos submarinos com o Data Center irão criar novos caminhos para a troca de informações, e nos tornar parte dos grandes circuitos internacionais”, conclui a empresa.