5G deve ser mais caro e sem pacotes ilimitados no Brasil

5G deve ser mais caro e sem pacotes ilimitados no Brasil

Por Roseli Andrion | Editado por Claudio Yuge | 09 de Dezembro de 2021 às 21h20
Shift F7

Maior velocidade e menor latência devem ser as principais qualidades do sinal 5G, quando ele estiver disponível no Brasil a partir de 2022. E isso pode fazer o preço dos planos ser mais alto que o cobrado atualmente nas opções com 4G.

Pietro Labriola, presidente da TIM Brasil e diretor-geral da Telecom Italia, compara a estratégia comercial da companhia à mecânica de preços da Uber. “Quando você usa Uber, tem o Uber Black e outros níveis. O preço é relacionado com o nível de serviço”, diz.

Além disso, as ofertas de uso ilimitado podem deixar de ser uma alternativa. O executivo lembra que em outros países existem pacotes de uso ilimitados, mas que eles são restritos — com redução de velocidade ou corte do sinal — se o uso estiver fora do padrão. Sem conta a proibição do roteamento de dados para outros usuários.

5G começa a funcionar no Brasil em 2022 (Imagem: Reprodução/Envato/twenty20photos)

Isso é possível porque a lei americana permite uma comunicação desse tipo, mesmo que o plano não seja ilimitado. “Isso não pode no Brasil: não pode dizer que é ilimitado se não for ilimitado”, destaca. “Por isso, há poucos lugares no mundo com ofertas verdadeiramente ilimitadas. Como as empresas buscam resultado econômico e financeiro, é importante entender se isso é viável.”

Segundo Alberto Griselli, vice-presidente comercial da operadora, as variáveis do 5G permitem criar pacotes para diferentes perfis de consumidores. “O 5G tem velocidade maior e latência menor. Essas características permitem ter planos tarifários para diferentes necessidades. É possível dar algo para todo mundo e algo mais sofisticado para grupos específicos.”

Os planos atuais de 5G DSS têm o mesmo preço do 4G porque não se trata de 5G puro. “O 5G vai revolucionar a atividade econômica. A expectativa é que os serviços estejam nas capitais antes do prazo inicial (31 de julho de 2022)”, diz Labriola. Para ter acesso ao 5G, basta ter um aparelho compatível com a rede.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.