Microsoft Defender chega para detectar ameaças também no macOS

Por Rafael Arbulu | 21 de Março de 2019 às 19h18
Tudo sobre

Microsoft

Saiba tudo sobre Microsoft

Ver mais

Demorou, mas chegou: a Microsoft anunciou que está disponibilizando, para usuários de máquinas MacOS, a sua solução de detecção e remoção de ameaças Microsoft Defender ATP (Advanced Threat Protection). Anteriormente, o produto atuava exclusivamente para desktops e laptops Windows na proteção de usuários assinanes do Microsoft 365. Até pouco tempo atrás, a solução chamava-se “Windows Defender”, porém, com a chegada ao macOS, o nome perdeu o sentido, então a Microsoft rebatizou a marca de “Microsoft Defender”.

“Para nós, tudo funciona em prol da experiência que segue uma pessoa, auxiliando o indivíduo a ser mais produtivo. Assim como fizemos com o Office há alguns anos — aquela foi uma grande manobra nossa para sairmos do universo ‘Windows-only — mas era, em absoluto, a coisa certa a se fazer. Então é esse o caminho que vamos seguir”, disse Jared Spataro, o vice-presidente corporativo do Office e Windows na Microsoft, em entrevista ao Techcrunch.

Windows Defender muda de nome, passando a se chamar "Microsoft Defender" junto de sua nova disponibilidade para aparelhos MacOS

O executivo ressaltou que a empresa está se distanciando da percepção “exclusivo para Windows”, buscando oferecer as suas soluções em outras plataformas e usando de exemplo a disponibilidade da suite Office móvel para o iPad. Ele chamou isso de “cobrir todos os espectros e pontos de saída”.

A novidade não cria muito alarde para o usuário comum, haja vista que o Microsoft Defender é uma solução para assinantes dos serviços Microsoft 365. Entretanto, no âmbito corporativo, várias empresas possuem ambientes híbridos de Windows e MacOS ou outros sistemas. A mudança na cultura da Microsoft, que leva a empresa a desenvolver seus sistemas e soluções como um serviço ao invés de um pacote fechado, é especialmente interessante a este público.

Além do lançamento em si, Spataro ressaltou novidades no funcionamento do Defender, que agora emprega conceitos de machine learning a fim de se autoaprimorar na busca e detecção de ameaças virtuais.

Fonte: TechCrunch

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.