Guia: como montar um PC básico para jogos

Por Pedro Cipoli

Pois bem, como montar um PC mais barato sem abrir mão de qualidade? E um modelo para jogos, em que as exigências de desempenho se tornam mais críticas? É aqui que “o mais barato quanto possível” se torna diferente de “o mínimo necessário sem deixar a experiência de uso de lado”, que serviu de base para montarmos a configuração abaixo. É claro que é possível montar uma configuração mais básica, mas é necessário dimensionar se vale a pena ou não, já que não adianta montar um PC que mal consegue rodar títulos antigos. Então, vamos à lista!

Processador (e placa de vídeo): A10-7700K

PC Gamer básico

Começando por baixo, levando em consideração a excelente evolução dos gráficos integrados das APUs da AMD, temos o A10-7700K, com quatro núcleos rodando a 3,4 GHz (Turbo até 3,8 GHz) e gráficos integrados Radeon R7, este com 6 núcleos de computação. É o que chamaríamos de configuração mínima para quem pretende montar um PC voltado para jogos, sendo perfeitamente capaz de lidar com MOBAs como League of Legends e Diablo III, além de títulos menos exigentes, como Civilization V e Civilization: Beyond Earth (em especial com o Mantle ativo).

É possível extrair um pouco mais de desempenho com um overclock módico (o “K” no final significa que é um modelo destravado), mesmo com o cooler box, além de executar alguns ajustes nos níveis de tensões e clocks intermediários para que ele rode frio sem grandes necessidades de um cooler mais avançado. Escolhemos o A10-7700K ao invés do A10-7850K pois a diferença entre eles é, basicamente, o clock de fábrica, não sendo uma justificativa para investir R$ 100 a mais.

Preço médio: R$ 510

Memória RAM: HyperX Fury 8 GB

PC Gamer básico

O suporte nativo do A10-7700K é o DDR3 com frequências de até 2133 MHz (pode ser maior, dependendo da placa-mãe). Aqui vale mais usar dois pentes de memória em dois canais do que somente um, já que tanto o processador quanto a GPU integrada compartilham a memória RAM do sistema, oferecendo ganhos diretos nessa abordagem. Alguns jogos podem até rodar bem com 4 GB, mas acreditamos que 8 GB seja o mínimo para tirar proveito de alguma sobrevida.

Como estamos falando de um modelo gamer, modelos com dissipador de calor são sempre bem-vindos, em especial pelo fato de o cooler box não ajudar no resfriamento do sistema. Considerando tudo isso, a HyperX Fury 1600 é uma excelente opção, trazendo um preço até acessível no kit de 8 GB ( 2x4 GB) e a garantia de que não irá falhar nos primeiros meses de uso, já que foi projetada para não superaquecer.

Preço médio: R$ 350

Placa-mãe: ASRock FM2A88M-HD+

PC Gamer básico

O soquete em questão é o FM2+, utilizado pelas APUs série 7000 codinome Kaveri. Nesse quesito, a FM2A88M-HD+ é uma das melhores opções que encontramos sem abrir mão de quesitos essenciais, já que há modelos que trazem somente saída de vídeo VGA, enquanto esse modelo trás tanto DVI quanto HDMI. Além disso, o chipset em questão é o A88X (Bolton D4), que permite uma boa customização na UEFI para mais controle sobre a APU.

Fora isso, há várias expansões disponíveis, como o PCI Express 3.0 para uma posterior placa de vídeo, aproveitando o suporte ao Dual Graphics, 8 conectores SATA 3, seis portas USB no painel traseiro (2 USB 3.0 e 4 USB 2.0) e vários controladores de FANs. E, claro, a placa-mãe utiliza somente capacitores sólidos, algo extremamente bem-vindo em um modelo gamer.

Preço médio: R$ 420

Armazenamento: Seagate SATA III 1 TB 7200 RPM

PC Gamer básico

O armazenamento é um dos componentes mais fáceis de realizar upgrade, então um modelo de qualidade com preço acessível é a melhor estratégia aqui. Vale destacar, porém, que não vale economizar tanto a ponto de pegar um modelo com 500 GB, já que a diferença de preços para um modelo de 1 TB é bem pequena. No caso, temos o modelo da Seagate de 1 TB com 7200 RPM, que de quebra suporta a tecnologia AcuTrac para uma precisão maior na hora de ler ou escrever dados.

Preço médio: R$ 330

Fonte de alimentação: Xigmatek Calibre 400

PC Gamer básico

Uma das grandes vantagens em uma configuração mais econômica é que ela necessita de pouca energia para funcionar, de forma que fontes mais simples são perfeitamente capazes de sustentá-la sem machucar o bolso. Porém, não vale nem um pouco a pena economizar demais em modelos genéricos, ou mesmo modelos que não consigam oferecer uma quantidade razoável de potência, levando em consideração a degradação natural desse componente.

A nossa escolha aqui é a Xigmatek Calibre 400, capaz de oferecer 400 watts reais de potência e contanto com proteções OVP, OPP e UVP e selo 80 Plus de eficiência energética. Pode parecer superdimensionado, já que a configuração acima puxa muito menos energia do que isso, mas garante uma boa margem de segurança para overclocks e na instalação de componentes extras no futuro, sejam novos discos rígidos, seja uma placa de vídeo mais básica.

Preço médio: R$ 155

Gabinete: DeepCool Smarter

PC Gamer básico

Com suporte a fonte na parte de cima (o que não chega a ser um problema, já que a configuração não gera tanto calor), furação para FANs na lateral, traseira e região frontal e construção em aço, o Smarter da DeepCool tem um preço até bem acessível. Além de suportar a configuração acima sem problemas, ele oferece versatilidade quando o usuário considerar um possível upgrade, já que tem espaço para HDs extras e um cooler mais sofisticado, além de placas de vídeo maiores na região de baixo.

Preço médio: R$ 125

Preço total: R$ 1.890

Extra: o que é possível melhorar?

A configuração que montamos não é a mais barata, já que o nosso foco aqui foi o mínimo possível sem abrir mão de qualidade, além de proporcionar uma boa margem de trabalho para possíveis expansões. Por exemplo, não consideramos o preço de um cooler de terceiros para manter o processador mais frio, além de possibilitar uma margem maior para overclocks, já que se trata de um processador destravado, e de fans extras, que seriam bem-vindos para que o gabinete possa “respirar”.

Outro ponto é a memória RAM. Dependendo do foco do usuário, ele pode optar por uma quantidade maior (16 GB), já que a placa-mãe escolhida possui somente dois slots, e frequências maiores de operação, o que garantiria um desempenho extra por parte da APU. No armazenamento, pode valer a pena adquirir um SSD para funcionar como disco primário e reservar o HD de 1 TB para dados, tornando o computador bem mais responsivo.

Ainda falando da APU, vale considerar, mesmo que posteriormente à compra, as placas de vídeo dedicadas com suporte ao Dual Graphics da AMD, muitos dos modelos, aliás, com implementações passivas de cooler. Pode ser o diferencial se um determinado jogo rodará ou não, já que serão duas GPUs trabalhando de forma híbrida. E é por isso que selecionamos uma fonte com mais potência, capaz de segurar upgrades futuros.

Leitura extra: