Google desenvolve algoritmo que remove marcas d'águas em fotos

Por Redação | 18 de Agosto de 2017 às 09h59

Uma forma de proteger o trabalho de fotógrafos e sites que comercializam imagens são as marcas d'água, que impedem que as fotos sejam utilizadas sem o devido pagamento ou crédito pelo trabalho realizado por terceiros. Um algoritmo computacional desenvolvido pelo Google Research pretende ajudar esses profissionais que veem seus trabalhos sendo utilizados por terem as marcas d'água burladas.

A divisão de pesquisas da Google já havia demonstrado o algoritmo no mês passado, mas só agora novidades a respeito do que ele pode fazer foram divulgadas. A pesquisa envolveu as marcas d'água em fotos de banco de imagens à venda em sites como Fotolia, Depositphotos, Stockphotos e Shutterstock. O resultado foi impressionante, demonstrando que o algoritmo pode remover perfeitamente as marcas d'água inseridas nas imagens.

O algoritmo compara várias imagens do site para entender exatamente como a marca d'água está disposta nos arquivos. Ao entender isso, o algoritmo busca por padrões para reconstruir a imagem fornecendo um resultado bastante interessante. Os pesquisadores assumiram que o uso de bordas ou de sombras nas marcas d'água dificultam a remoção delas, o que, no entanto, não impede sua retirada.

A ideia do projeto não é facilitar aqueles que desejam utilizar as fotos de maneira indiscriminada, mas sim auxiliar as empresas e os profissionais de fotografia a melhorarem as marcas d'água para que elas se tornem mais difíceis de serem burladas ou editadas. É o que se pode ver na imagem abaixo, em que a equipe de pesquisas do Google aprimorou a marca d'água da imagem para dificultar a remoção.

O projeto realizado pelo Google Research foi liderado por Tali Dekel, Michael Rubinstein, Ce Liu e Bill Freeman. A equipe explica no vídeo abaixo como funciona todo o processo de remoção das marcas d'água nas imagens.

Fonte: Digit