Programa do Google promete recortar seus vídeos em qualquer formato

Por Diego Sousa | 18 de Fevereiro de 2020 às 19h20
Reprodução/Google
Tudo sobre

Google

Saiba tudo sobre Google

Ver mais

Todo mundo sabe a dor de cabeça de cortar vídeos na horizontal para postar nas redes sociais, onde a visualização padrão é feita na vertical, como Instagram, Snapchat e TikTok. Embora a Adobe e outras empresas venham trabalhando para facilitar este recorte, ainda é um processo complicado ver o arquivo segundo por segundo e ajustar conforme a gravação.

Contudo, com a ajuda do Machine Learning (“Aprendizado da máquina”, em tradução livre), o Google promete tornar esse processo muito mais fácil. Trata-se da plataforma de código aberto AutoFlip. As informações obtidas pela inteligência artificial servirão para reconhecer rostos e ações-chave nas gravações, fazendo a edição corretamente em seguida. Veja o exemplo abaixo:

Esquerda: Vídeo original (16: 9). Meio: reformulado usando um recorte central padrão (9:16). Direita: reformulada com AutoFlip (9:16) (Foto: Reprodução/Google)

Reprodução em qualquer formato

Segundo o Google, o AutoFlip analisa o conteúdo do vídeo - seja filmado casualmente ou editado profissionalmente, independente se estiver em modo paisagem, quadrado ou retrato -, desenvolve estratégias de rastreamento e produz um vídeo com a mesma proporção e duração que você desejar.

Assim, ele detecta alterações na composição para isolar cenas para o processamento. Dentro de cada cena, a análise de vídeo é usada para identificar movimentos salientes antes que ela seja reformulada, selecionando um modo de câmera e um caminho otimizado para o conteúdo. Essa funcionalidade também funciona com conteúdos com bastante movimento, como gravações de pessoas esquiando ou vídeos de animais de estimação.

Ferramenta AutoFlip fazendo a detecção do movimento do cachorro (Foto: Reprodução/Google)

O AutoFlip ainda terá a possibilidade de manter os rostos detectados no mesmo quadro, o que o algoritmo pode garantir adicionando preenchimento à parte superior e inferior dos clipes, além de conseguir fazer a detecção da cena quando houver uma alteração na tomada. Com a tecnologia, os criadores de conteúdo terão mais facilidade e praticidade editar vídeos que podem ser produzidos em qualquer formato.

Exemplo de preenchimento de bordas (Foto: Reprodução/Google)

O Google ainda está trabalhando no AutoFlip, ou seja, não há lançamento previsto. Porém, a empresa alerta para a importância de contribuições de desenvolvedores e cineastas, já que o algoritmo é de código aberto.

Você pode ver todos os recursos do AutoFlip em sua página no Blog do Google.

Fonte: Android Police, Blog do Google

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.