3 aplicativos de viagens apenas para mulheres

3 aplicativos de viagens apenas para mulheres

Por Kris Gaiato | Editado por Bruno Salutes | 06 de Setembro de 2021 às 18h40
(Imagem: Reprodução/Jan Baborák/Unsplash)

Aplicativos de mobilidade são cotidianamente utilizados por muitas pessoas. Embora ofereçam praticidade e economia, esses serviços podem criar um terreno fértil para situações como assédio. Em razão disso, surgiram alternativas exclusivamente dedicadas ao público feminino.

Bom, se você é uma mulher e já ficou desconfortável ao utilizar aplicativos como Uber, 99 e Cabify, essa matéria pode te ajudar. Mas, antes de citarmos alguns aplicativos de viagens para mulheres, vale destacar: por serem menos populares (e até incipientes), esses serviços se concentram em capitais e cidades maiores.

Em outras palavras, isso significa que regiões localizadas mais ao interior do país provavelmente não receberam esses aplicativos. Além disso, por terem um número menor de colaboradoras e usuárias, os preços e o tempo de espera podem ser maiores do que a média registrada em outros serviços. Ciente de tudo isso, confira a seguir as alternativas que o Canaltech selecionou para você.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

1. Lady Driver

A Lady Driver é um dos maiores e mais populares serviços especializados na mobilidade feminina. Com sede em São Paulo, a empresa atua em cidades como Campinas, Santos, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília e Goiânia.

A Lady Driver é, entre os três aplicativos dessa lista, o mais conhecido pelo público feminino. (Imagem: Kris Gaiato/Captura de tela)

O programa foi lançado em 2017 após a fundadora sofrer um episódio de assédio em um táxi solicitado por aplicativo. Sua interface é bastante intuitiva e o funcionamento, bem simples. Os pagamentos podem ser feitos por cartão de débito, crédito ou dinheiro. Aliás, vale destacar que homens também podem usar o serviço desde que sejam acompanhantes de passageiras.

2. Só Dellas

O aplicativo Só Dellas, embora seja um pouco mais simples do que o anterior, cumpre o que promete. Com o uso restrito ao público feminino, o serviço oferece recursos interessantes — alguns deles até mesmo inéditos. Entre eles, está a possibilidade de visualizar os veículos próximos à sua localização com a informação de ocupado ou livre.

O app Só Dellas funciona apenas no Paraná. (Imagem: Kris Gaiato/Captura de tela)

Os métodos de pagamento, aliás, são bem variados: dinheiro; cartão de crédito ou débito (maquininha); Pix; e PicPay. Segundo a empresa, pagamentos por cartões serão integrados ao aplicativo em breve. Outra vantagem do Só Dellas é a modalidade Comfort — algo relativamente raro em apps de modalidade alternativos.

Infelizmente, o serviço está disponível somente no Paraná, mais precisamente nos municípios Cianorte, Maringá e, em breve, em Umuarama.

3. Garupa Mulher

O Garupa surgiu em 2017 em São Paulo e também é bastante conhecido. Diferentemente das opções anteriores, contudo, o aplicativo permite o uso de qualquer pessoa. O seu diferencial, no entanto, é a oferta de serviços exclusivos para mulheres (além de crianças e pets). Outro ponto forte da plataforma são os descontos oferecidos a estudantes e professores.

Garupa é um app semelhante ao Uber e ao 99, mas com serviços especializados. (Imagem: Kris Gaiato/Captura de tela)

A experiência no aplicativo é bastante completa, se aproximando bastante dos serviços de mobilidade mais comuns. O serviço atua em mais de 700 municípios e em 19 estados do Brasil. As opções de pagamento, contudo, ainda estão limitadas a cartão de crédito, dinheiro e pré-pago.

Você já conhecia esses aplicativos de viagens para mulheres? Se sim, compartilhe a sua experiência através dos comentários abaixo!

Fonte: Garupa; Lady Driver; Só Dellas

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.