TIM, Claro, Vivo e Oi explicam troca de chip remota na pandemia do coronavírus

Por Claudio Yuge | 31 de Março de 2020 às 20h45
Tiger Mobiles

Como sabemos, as lojas das operadoras de telefonia celular são bastante utilizadas pelos clientes para realizar trocas de chips, especialmente no caso de roubo, perda ou defeito, entre outras ações. E, nesse momento de distanciamento social por conta dos protocolos de prevenção ao novo coronavírus (SARS-CoV-2), essa atividade ficou comprometida, até porque muitas unidades estão de portas fechadas. A saída sa TIM, da Oi e da Vivo é enviar os SIM cards pelos Correios.

A TIM foi a única das maiores operadoras a publicar uma cartilha especial para o atendimento no período de quarentena. Vale destacar que isso só vale para os planos controle ou pós-pago — o pré-pago não faz parte das ações emergenciais. No caso de perda ou roubo do chip, é preciso ligar para o 1056 e relatar o problema. Após análise, a companhia se compromete a enviar um substituto para o endereço cadastrado para o recebimento da fatura.

No caso do chip com defeito, é preciso também ligar para o 1056 e relatar o ocorrido. Após avaliação se a solução remota não for possível, o SIM card vai para o mesmo endereço do recebimento da fatura. “Se você tiver urgência e não puder ficar sem número até que seu chip chegue, você pode ir até uma farmácia, mercado ou banca de jornal mais próximos e adquirir um chip novo na modalidade pré-pago. Assim, você ficará com esse número novo até que seu chip chegue e você recupere seu número original”, diz o documento com orientações.

Os clientes corporativos podem pedir a reposição do chip no app Meu TIM ou o Meu TIM Web. Aliás, esses canais, assim como o próprio site o www.tim.com.br ou o www.meuplano.tim.com.br, também podem ser usados pelos outros consumidores para outras ações, como recarga.

Vivo, Oi e Claro explicam procedimento

Procurada pelo Canaltech, a Vivo diz que fará a troca dos chips perdidos, defeituosos ou roubados, de todos os planos, por meio dos canais de atendimento 1058 ou *8486. "O chip será emitido para o endereço de cadastro do cliente e entregue através dos nossos parceiros logísticos que atuam em todo Brasil. Assim que o cliente receber o novo chip deverá retornar o contato com a Vivo, que efetuará o procedimento final de ativação do chip. Os prazos para entrega dos chips variam de acordo com cada região e todos os esforços estão centrados para tornar o processo ágil e atender aos clientes no menor período", informou a companhia.

A Oi não especificou planos, mas também se dispôs a enviar novos SIM cards no caso de furto, roubo ou defeito. O procedimento é feito pelo telefone 1057, com auxílio do app Minha Oi, para que os clientes possam comprovar sua identidade por meio de uma selfie ou documento de identidade.

A Claro respondeu ao Canaltech que, em caso de defeito, perda ou roubo, o cliente precisa ligar para o 1052 e pedir o bloqueio — o procedimento, neste caso, não inclui o envio de chips pelos Correios, pois a tentativa, especialmente no caso dos defeituosos é de resolução remota. A partir daí, ele será direcionado para um atendimento de acordo com seu caso e o processo seguirá mediante a confirmação dos dados pessoais do assinante da linha.

"Durante o período de quarentena, a aquisição de um novo chip poderá ser feita em supermercados e farmácias. Basta o cliente adquirir uma nova linha pré-pago no varejo, ativar a linha e entrar em contato com o atendimento 1052, para fazer a associação dos números e reativar o número antigo no novo chip. Importante ressaltar que a linha nova e a antiga devem ter a mesma titularidade", diz o comunicado. A companhia também destacou o uso do site www.claro.com.br, dos aplicativos Minha Claro residencial e Minha Claro móvel, além do suporte por WhatsApp no número (11) 99991-0621.

Fonte: Via Tecnoblog

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.