Smartphone da Energizer com bateria de 18.000 mAh é um fracasso retumbante

Por Wagner Wakka | 02 de Maio de 2019 às 11h33
Divulgação/Indiegogo

Em fevereiro deste ano, a Avenir Telecom criou uma campanha de financiamento coletivo no Indiegogo para levantar US$ 1,2 milhão para lançar o The Energizer. A ideia, apresentada no Mobile World Congress (MWC), consistia em uma bateria parruda de 18.000 mAh com uma tela. Em suma, o oficialmente chamado Energizer Power Max P18K Pop seria o smartphone com a maior bateria já lançado no mercado. O ponto é que ele não será mais produzido.

A empresa informou na terça-feira (30) que o produto não bateu a meta esperada. Aliás, passou bem longe disso. Arrecadou apenas US$ 15 mil, equivalente a apenas a 1% do total esperado. A empresa não buscava conseguir fazer o smartphone apenas com o financiamento coletivo, mas esse era um pré-requisito para que a Avenir levasse a ideia adiante. Como o primeiro passo não deu certo, o projeto será abandonado.

O aparelho contava apenas com uma bateria robusta, que a empresa garantia que duraria até dois dias inteiros rodando vídeo. Ele chegaria a até uma semana de utilização comum. Contudo, seria entregue com uma tela de LCD de 6,2 polegadas, sistema de câmera com duas lentes na parte da frente além de três atrás.

Aparelho conta com sistema de câmeras em pop up (Foto: Divulgação/Indiegogo)

Nas especificações, o The Energezier teria um chipset da MediaTek, 6 GB de RAM e 128 GB de armazenamento interno. O ponto mais controverso dele era a espessura: 18mm, cerca de três vezes e meio maior que a média dos smartphones atuais.

O aparelho entrou no Indiegogo pelo preço de US$ 549 (cerca de R$ 2.160) com promessa de entrega em outubro deste ano. Contudo, infelizmente, o projeto vai ficar só no campo das ideias.

Fonte: Indiegogo

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.