Estudo aponta que brasileiros compraram 104 smartphones por minuto em 2014

Por Redação | 06 de Abril de 2015 às 12h57

O ano de 2014 foi muito favorável ao mercado de smartphones no país. Segundo uma pesquisa da consultoria IDC Brasil, as vendas no território atingiram a marca de 54,4 milhões de aparelhos, 55% a mais do que em 2013, quando o número ficou em 35,2 milhões. Se comparada com 2012, a diferença fica ainda mais acentuada: somente o último trimestre de 2014 já iguala o número de aparelhos comercializados durante aquele ano inteiro (16 milhões).

Segundo Leonardo Munin, analista de pesquisas da IDC Brasil, se o ano passado não tivesse sido marcado por eventos excepcionais como a Copa do Mundo, as eleições e a alta do dólar, o desempenho do mercado mobile teria sido ainda melhor. Aparelhos como tablets, PCs e impressoras perderam forças, por exemplo: "Passamos por um ano muito complicado do ponto de vista econômico e, se levarmos em conta as outras categorias de dispositivos, o mercado de smartphones foi o único que apresentou um resultado positivo. Para ter ideia, foram comercializados cerca de 104 smartphones por minuto".

Se somarmos ainda as vendas de feature phones (os celulares "não-smart"), o desempenho do mercado brasileiro subiu 7% em relação a 2013, totalizando 70,3 milhões de telefones vendidos, inteligentes ou não. Tal número coloca o Brasil em 4º lugar no mercado mundial de telefonia móvel, atrás apenas de EUA, China e Índia. “O smartphone é cada vez mais popular no Brasil e a tendência é que essa popularização aumente, principalmente pela força de vendas das redes varejistas e pela crescente onda de lojas conceito, voltadas apenas para celulares”, afirma o analista da IDC Brasil.

A pesquisa da IDC também notou uma mudança de comportamento do consumidor na hora de comprar, o que influenciou o resultado final do comércio. De acordo com Leonardo Munin, "o brasileiro é muito sensível a preço, mas em smartphones tem avaliado melhor a questão do custo-benefício. E como tem a facilidade de crédito e parcelamento oferecidos pelo varejo, em vez de comprar um celular de entrada tem optado cada vez mais por um intermediário, contribuindo não só para o aumento das vendas mas também para o aumento do ticket médio", concluiu.

A análise feita pela IDC Brasil apontou, por fim, que a questão das marcas é muito relevante para o consumidor nacional na hora de comprar. Um total de 6 marcas de smartphone é responsável por 95% dos aparelhos comercializados no país. De acordo com o analista, isso demonstra que o Brasil se comporta como país desenvolvido quando a questão é mercado de smartphones – uma vez que os países emergentes não concentram uma fatia tão grande do mercado nesse número restrito de empresas. "Esse é um fato curioso e mostra que tanto fabricantes nacionais quanto estrangeiros que estão chegando agora têm um grande desafio para se estabelecerem por aqui”, finaliza Munin.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.