Crítica | 3ª temporada de Marvelous Mrs. Maisel tem sucesso e decisões erradas

Por Natalie Rosa | 14 de Dezembro de 2019 às 08h27
Divulgação: Amazon Prime Video

Viver como uma mulher nos anos 1950 nunca foi fácil. A cada década se torna mais simples, mas nunca deixou de ser difícil. Querer tomar o rumo da própria vida, optar por não aceitar os problemas do casamento, como infidelidade, por exemplo, sempre foi motivo de muitas críticas e julgamento. E quem passa por tudo isso é Midge Maisel (Rachel Brosnahan), a protagonista da série The Marvelous Mrs. Maisel, do Amazon Prime.

Atenção: esta matéria contém spoilers da série The Marvelous Mrs. Maisel.

A evolução da personagem nessa nova temporada, que estreou no último dia 3 de dezembro, é tão clara quanto as cores do cenário e figurino em tons pastéis. Midge, ao lado de sua empresária Susie Myerson (Alex Borstein), literalmente viu sua carreira de comediante de stand-up decolar, agora abrindo os shows do cantor Shy Baldwin (Leroy McClain) em sua turnê.

Para agarrar essa oportunidade, foi preciso fazer o que os homens ainda fazem sem serem julgados (ao menos não tanto quanto as mulheres): deixar os filhos em casa para outras pessoas cuidarem. Inclusive, a série brinca com essa situação quando Midge está em processo de divórcio com Joel Maisel (Michael Zegen). Ao explicar o que vai acontecer quando eles se divorciarem, parece impossível acreditar que o pai é quem vai cuidar das crianças.

Imagem: Divulgação/Amazon Prime Video

Amadurecimento

Midge tem uma personalidade única, sendo o clássico tipo “8 ou 80”. Não existe gostar mais ou menos da personagem, mas sim gostar muito ou nada. Rachel consegue transparecer todas as características da comediante que a tornam a melhor aposta para o cenário humorístico nova-iorquino ou, por que não, norte-americano. Tudo aconteceu muito rápido para Midge desde que ela foi abandonada e traída pelo marido. Precisou enfrentar a fúria dos pais por ter simplesmente aceitado essa condição, mas a maior luta sempre foi contra a mãe, Rose (Marin Hinkle). Nesta temporada, Midge chega a dizer à matriarca que o prazer dela está em se decepcionar com a filha, visto que assistir Midge no palco foi uma tarefa evitada por Rose a todo custo.

Já o pai de Midge, Abe (Tony Shalloub), parece começar a aceitar a nova profissão da filha. Na verdade, ele se mostra mais preocupado com os seus problemas e a sua carreira, visto que a filha já é uma mulher adulta. A situação com Joel, no entanto, segue ainda muito confusa. Mesmo que eles tenham resolvido que não ficarão mais juntos, a série sempre acaba fazendo uma ligação de carinho entre os dois, seja com flashbacks ou com elogios. Até mesmo Susie diz a Joel que ele ainda a ama e que todo mundo sabe. Só não foi nessa temporada que a situação recebeu o foco principal.

Imagem: Divulgação/Amazon Prime Video

Joel também mostrou um salto de amadurecimento na temporada, se desvencilhando um pouco da empresa dos pais e criando o seu próprio negócio. As cenas com o personagem, inclusive, conseguem ser as mais humorísticas da série. Disposto a abrir um bar, ele acaba comprando uma casa de shows em um bairro asiático que, nos fundos, abriga um cassino ilegal. Por mais que ele tente um diálogo com aquelas pessoas, que parecem não entender inglês, e não consiga, tudo flui perfeitamente para que a abertura aconteça sem a interferência da polícia. É nessa situação também que Joel ganha uma nova namorada.

Pé na estrada

Shy Baldwin fazendo seu show (Imagem: Divulgação/Amazon Prime Video)

Tudo parece estar indo bem, ao contrário das temporadas iniciais que focaram mais na apresentação da personagem, mas nem só de vitórias se faz uma carreira no mundo artístico. Quem começa a dar esses sinais para a dupla Midge e Susie é Reggie (Sterling K. Brown), empresário de Baldwin, que com uma certa apatia mostra ser uma pessoa que não gosta de se apegar e que vive única e exclusivamente para o sucesso do artista e amigo de infância.

Susie também evoluiu por si só nestes novos episódios, quando começamos a conhecer a pessoa, não só a fechada empresária. Em meio a problemas familiares e (falta de) autocontrole, “cai a ficha” de que é preciso muito cuidado no gerenciamento de uma carreira, e isso fica claro quando ela perde uma parte do dinheiro de Maisel em apostas.

Imagem: Divulgação/Amazon Prime Video

Um detalhe interessante de Susie em The Marvelous Mrs. Maisel é que a personagem foge do estereótipo feminino da época, sendo completamente o oposto de Midge. Com cabelos nos ombros, sempre presos, boina, camisa, calça e suspensórios, ela geralmente é confundida com um homem, mas isso nunca é debatido. A série consegue levar questões sociais à tela com naturalidade, sem precisar dar explicações. As pessoas ali são como elas são e ponto final. O mundo que se adapte.

Em um determinado momento da turnê com Shy Baldwin, Midge descobre a homossexualidade do cantor e promete manter a informação em segredo. Naquela época, não havia a mínima possibilidade que o tema fosse levado à mídia, pois isso poderia significar o fim da carreira do artista. Mas como Midge é uma personagem tão desconstruída quando inocente, o detalhe sobre a vida pessoal do cantor acabou ficando implícito em um de seus shows.

Quando finalmente Midge estava prestes a se apresentar no teatro e casa de shows Apollo, a comediante percebeu que aquele público, a comunidade negra do Harlem, bairro de Nova York, não era de merecimento dela. Foi quando Reggie deu a dica de mostrar para as pessoas que ela conhece Baldwin, assim como todos aqueles que estão lá. Porém, ela foi fundo demais fazendo piadas como "eu o encontrei no banheiro feminino", "seu incrível guarda-roupa", entre outros estereótipos, praticamente cavando a sua cova.

No momento final, vimos que poucos segundos foram suficientes para que duas carreiras de sucesso fossem enterradas. Ao chegarem no aeroporto para seguir com a turnê, Midge e Susie foram interrompidas por Reggie, que revelou a notícia de que o contrato estava desfeito. Ao questionar o empresário do cantor, ele disse que o motivo foi por ela ter exposto demais Baldwin no palco, mesmo que esse tenha sido o seu conselho. O que ele não contava, no entanto, é que a comediante estava ciente da sexualidade do artista.

Reggie (Imagem: Divulgação/Amazon Prime Video)

Ao mesmo tempo em que a situação traz empatia por Shy Baldwin, que agora terá de enfrentar duros comentários da mídia, possivelmente vendo a sua carreira ser ameaçada, sentimos pelas consequências da inocência de Midge, que estava apostando alto em seu sucesso e investindo dinheiro para recuperar o seu apartamento. Susie também deve sentir o peso não só pelo desastre em si, mas por ela não estar presente na hora da apresentação, sem ter ninguém para aconselhar a comediante de outra forma.

A série chegou ao fim deixando todas essas questões abertas, incluindo a situação do gerenciamento da carreira de Sophie Lennon (Jane Lynch) por Susie, que foi um fracasso por teimosia da cliente, ou ainda o flerte de Midge com Lenny Bruce, interpretado por Luke Kirby.

Ainda não há uma data oficial para o lançamento da quarta temporada, mas ela já está confirmada. Os últimos dois anos vem sendo de reconhecimento para a trama, que recentemente foi indicada ao Globo de Ouro, que acontece em janeiro de 2020.

Você pode assistir à The Marvelous Mrs. Maisel no Amazon Prime Video.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.