Crítica | 3ª temporada de Elite traz sentimento de justiça e fechamentos

Crítica | 3ª temporada de Elite traz sentimento de justiça e fechamentos

Por Natalie Rosa | 18 de Março de 2020 às 09h19
Divulgação: Netflix

A série espanhola Elite acaba de ganhar a sua terceira temporada na Netflix, finalizando um caso que começou no fim da primeira. A trama acontece no mundo adolescente, com foco em uma escola de elite e com jovens muito, mas muito ricos, em meio a alguns bolsistas.

Mas diferente de Malhação e outras séries do gênero, esses adolescentes não têm vidas nada fáceis, apesar da quantidade de dinheiro em suas contas bancárias. Eles estão envolvidos em crimes, ilegalidades e abuso de drogas, vivendo essa fase de muitas descobertas de maneira mais intensa que o normal.

Atenção, esta crítica contém spoilers de Elite!

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Imagem: Divulgação/Netflix

De uma forma inusitada, os produtores da série conseguiram levar um senso de justiça à trama, mesmo que seja de uma forma "suja", envolvendo sangue e corrupção. Polo, personagem de Álvaro Rico, foi o responsável pelo assassinato de Marina, interpretada por María Pedraza, e a temporada passada se deu nas investigações e, finalmente, na acusação do culpado.

Porém, como a justiça falha em todos os lugares do mundo, Polo conseguiu se safar, fazendo com que a polícia acreditasse na culpa de Nano (Jaime Lorente), que acabou fugindo do país. Já na terceira temporada, finalmente vemos um fim no caso.

Desde o começo, já descobrimos que Polo morreria, deixando algumas dúvidas, como quem o matou e se a sua culpa sairia impune. Isso é retratado na continuação de Elite de uma forma diferente, focando no ponto de vista de personagens diferentes em cada episódio, mas que no fim são acontecimentos entrelaçados.

Polo, personagem de Álvaro Rico (Imagem: Divulgação/Netflix)

Essa decisão trouxe um ritmo interessante para a produção espanhola, mesmo que algumas cenas acabassem sendo repetidas. Como todo bom mistério, a cada episódio que se passa, novas suposições sobre o culpado pelo assassinato de Polo surgiam, sendo um crime ainda mais difícil de decifrar pelo fato de que todos os personagens principais tinham, pelo menos, um motivo para isso.

Mas o que mais tornou a nova temporada de Elite diferente das anteriores são os destinos dos personagens, rumo à vida fora do ensino médio. Alguns dramas familiares foram intensificados durante o andamento dos episódios para levar uma sensação de alívio no final, algo que parecia nunca acontecer nas temporadas passadas.

Alguns tiveram um fechamento adequado e o tão sonhado final feliz, enquanto outros, por motivos claramente forçados pela produção, acabaram não finalizando o colégio e precisando repetir mais um ano. Esses que restaram, então, podem ser os protagonistas de uma nova temporada, acompanhada de mais uma leva de novos personagens.

Voltando ao final da temporada e o seu significado, a série quis mostrar que, apesar de todos os problemas e rivalidades, o grupo principal da trama sempre esteve envolvido em uma causa: a justiça por Marina. Com alguns personagens novos caindo por acaso nessa história na temporada passada, eles acabaram sendo cruciais para este fechamento.

Imagem: Divulgação/Netflix

A assassina de Polo é revelado no último episódio, que finalmente mostra como tudo aconteceu na festa de formatura, o que nos episódios passados era exibido em partes aleatórias, basicamente dando a entender onde toda a desgraça ocorreu. A culpada pelo assassinato não planejado foi Lu (Danna Paola), mas ela recebe o apoio dos amigos para não ser descoberta.

Polo não chegou a ir para a prisão, mas pagou pelo seu crime através de uma armação de seus ex-amigos, que sabotaram as investigações e conseguiram que os detetives entendessem que tudo não passou de um suicídio. A sua morte foi tão cruel e sofrida quanto a de Marina, fazendo com que os justiceiros de plantão tenham ficados contentes com a vingança "olho por olho, dente por dente".

Elite é entretenimento puro, com doses de sofrimento e mistério, tudo isso muito bem encaixado para uma trama adolescente e todos os seus clichês. Enquanto nas duas primeiras temporadas a história parecia se enrolar a cada vez mais, na terceira os personagens conseguiram, finalmente, ver uma luz no fim do túnel e pensar em se preparar para novos problemas, dessa vez bem mais simples e menos assustadores.

A terceira temporada completa de Elite já está disponível na Netflix.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.