5 motivos para assistir Marianne, série de terror da Netflix

Por Laísa Trojaike | 28 de Setembro de 2019 às 11h00
Netflix

Às vezes estamos cansados daquelas histórias de terror que repetem os mesmos esquemas há tempos: parece que já sabemos tudo que vai acontecer e como vai acontecer. Quando você chega nesse nível, até os sustos perdem a graça. Uma solução é procurar experiências diferentes em outros lugares, ou seja, tentar contato com formas diferentes de expressão, histórias criadas por culturas diferentes, por exemplo. A recomendação do momento para quem busca um terror é a série francesa Marianne, que tem causado muitos arrepios nos espectadores por sua forma de abordar situações de susto e medo, fazendo muita gente ter pesadelos.

A série é dirigida por Samuel Bodin, que também assina o roteiro ao lado de Quoc Dang Tran, e acompanha a trajetória de Emma Larsimon (Victoire Du Bois), uma famosa escritora de livros de terror que se vê assombrada pela vilã sobre a qual escreve, a bruxa Marianne. Original Netflix, a série por enquanto tem apenas uma temporada, com oito episódios, mas como arrepiou muita gente e terminou com um final bastante intrigante, é possível especular que pelo menos uma nova temporada esteja a caminho para saciar os fãs. Vamos aguardar!

Enquanto isso, se você ainda não conferiu esse fenômeno, veja estes 5 motivos para correr para a Netflix e começar a assistir Marianne agora mesmo:

1. Madame Daugeron

Você pode até não gostar da trama, da ideia, de terror ou mesmo de séries, mas será difícil não gostar do trabalho de Mireille Herbstmeyer como Madame Daugeron. A cena inicial da série, que provavelmente irá lhe fisgar se você der uma chance, é assustadora justamente por causa dessa atriz.

Madame Daugeron é uma mulher completamente insana, que assusta as pessoas ao seu redor por seu comportamento estranho. Ao longo da série, no entanto, descobrimos muito mais sobre ela e camadas de emoções são adicionadas, o que torna a atuação bastante complexa. Herbstmeyer faz muito mais do que dar conta do recado, ela domina todas as sequências em que aparece e dá um verdadeiro show de horror: sem uma maquiagem que agregue qualquer coisa sobrenatural ao seu rosto, a atriz nos faz sentir medo apenas com o seu desempenho, sobretudo com seu sorriso e olhar amedrontadores.

Pouquíssimo conhecida em terras estrangeiras, Mireille Herbstmeyer tem uma extensa carreira no teatro e traz desse meio seu método de atuação. Geralmente o cinema (no qual incluo muitas séries) não abraça muito bem a atuação teatral, pouco contida por conta do seu próprio meio. Em Marianne, as expressões faciais aumentadas não conferem ar de exagero, mas sim de medo.

Imagem: Netflix

2. Sem pena

Às vezes nos apegamos demais aos personagens e não queremos ver eles morrendo. Bons filmes de terror entendem que o mal não tem pena e que algumas pessoas, muitas vezes inocentes, irão morrer de uma forma ou de outra. No entanto, mesmo com essa compreensão, ainda vemos roteiros que tentam salvar personagens a todo custo, mas esse não é o caso de Marianne.

Não chega a ser um Game of Thrones nesse quesito, mas Marianne mata muitos dos seus personagens: primeiro ela nos faz criar expectativas de relações e relacionamentos e, em seguida, destrói as projeções que fizemos só para nos pegar de surpresa e nos deixar sofrendo.

Se você estiver gostando muito de alguém, talvez seja o momento de preparar o coração para o que vai acontecer.

Imagem: Netflix

3. Francês, mas nem tanto

Nem sempre é fácil ter contato com algum tipo diferente de linguagem. Quando nos acostumamos com uma forma de contar histórias, como a hollywoodiana, filmes e séries de outros lugares podem soar muito estranhos. Mas não desista de Marianne por isso.

Apesar de ser uma série francesa e ter suas surpresas por isso, a história é toda contada dentro de moldes que nos são muito familiares, o que deixa o espectador brasileiro bem mais confortável diante da tela. Diferente na medida certa para quem quer fugir do óbvio sem sair da zona de conforto.

Imagem: Netflix

4. Estética

Marianne tem excelentes surpresas quando o assunto é nos mostrar a bruxa que dá nome à série: as influências são múltiplas (americanas, europeias e orientais) e Marianne se manifesta de muitas formas, cada uma delas assustadora do seu modo.

Uma das decisões criativas que mais chamam a atenção é como a série mostra diferentes personagens com os olhos brilhando no escuro para indicar a presença do mal. Para brincar com isso, a fotografia tem um excelente trabalho ao mostrar personagens na luz e/ou nas sombras.

Além disso, Emma Larsimon tem pesadelos terríveis com as mais variadas bizarrices e, aqui, a equipe de arte não poupa esforços: muito mais que modificar a realidade ao redor de Emma, criaturas bizarras, sem pálpebras e cobertas por algo viscoso e preto, aterrorizam personagem e espectadores.

Imagem: Netflix

5. Surpresas

Embora saibamos que a protagonista fará todo o possível para derrotar Marianne, o que é um clichê inevitável, a série nos guarda uma porção de imprevisibilidades: para além de matar personagens que imaginávamos acompanhar até o fim, a série produz reviravoltas bastante tensas no caráter desses personagens.

Mesmo quando estiver tudo bem, não se engane, existem surpresas até o último minuto, coisas que vão lhe deixar sedento(a) pela próxima temporada.

Imagem: Netflix

Bônus

Na sua conta oficial no Twitter, Stephen King recomendou Marianne para aquelas pessoas que, assim como ele, gostam de se assustar.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.