Ransomware dirigido a empresas cresce cerca de 150% no Brasil em 2021

Ransomware dirigido a empresas cresce cerca de 150% no Brasil em 2021

Por Dácio Castelo Branco | Editado por Claudio Yuge | 22 de Dezembro de 2021 às 21h20
Divulgação/Pete Linforth

2021 está chegando ao fim, e com isso é hora de ver o quanto o crime virtual aumentou durante o ano em relação a 2020. Para o ransomware direcionado para empresas da América Latina, especificamente, a Kaspersky afirma que houve um aumento de 150% em relação ao ano passado.

A análise da Kaspersky levou em conta os bloqueios de tentativas de ataques realizadas pelas tecnologias da empresa conectadas com sua rede de proteção em nuvem, a Kaspersky Network Security, no período de janeiro de 2019 até o fim de novembro de 2021.

Gráfico mostrando o crescimento dos ransomware de 2020 até 2021. (Imagem: Reprodução/Kaspersky)

Além disso, a análise só computou invasões realizados por ransomware “dirigidos”, ou seja, direcionados a vítimas específicas, como o Conti, Darkside, Lockbit, Ransomexx, Revil (também conhecido como Sodinokibi ou Sodin), Ryuk, e Wastedlocker. Isso fez com que a Kaspersky só pudesse comparar os meses onde as atividades foram detectadas, em vez de em ordem cronológica, como foi de 2019 para 2020.

“Como apresentamos no Panorama dos ataques de ransomware na América Latina, esta nova onda de ataques é planejada. Não existe mais soldados atirando a esmo para ver quantas vítimas são feitas, hoje o pensamento do cibercriminoso é de um atirador profissional -- um tiro, uma vítima”, explica Roberto Rebouças, gerente executivo da Kaspersky no Brasil.

Como se proteger

Como atualmente os ransomware modernos usam tecnologias fortes para bloquear o acesso a dados e sistemas que não podem ser quebradas, o executivo destaca que a prevenção é a única solução possível para evitar “virar notícia”.

“Quando você sabe como um golpe funciona, fica fácil impedi-lo, correto? Na teoria sim e nossa time de pesquisadores já detalharam como todos esses ransomware funcionam. Porém, na vida real, as empresas dependem de processos bem executados, do fator humano e da aprovação dos chefes”, explica Rebouças.

Considerando as principais falhas, a Kaspersky recomenda as seguintes medidas para impedir ser vítima de ransomware:

  • Saibam quais são as possíveis falhas em seus sistemas, rede e estrutura;
  • Avalie o conhecimento de seus funcionários, e treine-os onde for necessário;
  • Sempre teste como suas defesas estão atuando e mude ou atualize onde for necessário;
  • Cheque regularmente os backups de segurança para não ser pego de surpresa caso sofra um ataque ransomware.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.