O que é uma botnet?

Por Pedro Cipoli | 21 de Junho de 2019 às 09h37

Imagine que você possui um grande galpão para pintar. Você pode fazer essa tarefa sozinho, o que pode demorar bastante, ou contratar vários pintores para acelerar o processo. Quanto mais pintores (ainda que até um certo limite, neste exemplo), menos tempo será necessário para finalizar a pintura. Ou seja, a tarefa é ditribuída entre vários agentes, cada um deles responsável por uma parte da pintura. Uma botnet é basicamente isso, só que com computadores.

Nós e mais nós

O exemplo acima usa diversas pessoas para fazer uma determinada tarefa, todas elas controladas por você. No caso de uma botnet, um computador usa os recursos de outros computadores em uma rede para executar uma tarefa específica. Tarefas que seriam muito pesadas para uma só máquina, como cálculos matemáticos complexos, por exemplo, são distribuídas entre vários computadores. O BOINC funciona basicamente com esse conceito.

Exemplo do BOINC usando diversas máquinas para buscar vida inteligente no universo.

Em vez de concentrar as tarefas em um supercomputador, que seria um “superpintor” na analogia anterior, usa-se diversos computadores comuns que, somados, entregam uma quantidade considerável de processamento. Em outras palavras, trata-se de computação distribuída. Seria como renderizar um vídeo pesado usando diversas máquinas ao mesmo tempo, cada uma responsável por um trecho de acordo com o comando da sua máquina.

Essa é uma forma intuitiva de enteder o que é uma botnet. Então por que elas são geralmente representadas como algo ruim, associada a atos criminosos?

Neutralidade tecnológica

Assim como o torrent, uma botnet é apenas uma tecnologia. Pode ter aplicações boas, como vimos acima, ou de formas ilegais. É o caso, por exemplo, de botnets utilizadas para executar ataques DDoS, envios de spams ou qualquer outra finalidade semelhante. É semelhante ao que acontece com os torrents: há diversas aplicações bacanas e trata-se de uma tecnologia robusta, mas muitos a associam à pirataria.

A tecnologia em si é neutra, mas pode se utilizada para tarefas maliciosas.

São casos onde um nó – uma máquina dentro da rede – comumente nem sabe que faz parte de uma botnet. E é exatamente por isso que é importante sempre manter a sua máquina protegida, independentemente do sistema operacional. A tecnologia em si é “amoral” e tem boas aplicações, mas também pode ser utilizada de formas maliciosas.

Fontes: Techopedia, Kaspersky

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.